MotoGP, 2021: A força mental de Joan Mir

Por a 5 Janeiro 2021 15:00

Davide Brivio, manager da Suzuki em MotoGP, tem razões de sobra para estar encantado após o título mundial de pilotos e equipas, conseguido num orçamento reduzido. Uma das razões foi o equilibrio mental de Joan Mir

“Para Joan Mir, isto é apenas o início” Davide Brivio

A aposta no projeto Suzuki baseada na otimização de meios longe de ilimitados, com apenas duas máquinas em pista, pilotos da nova geração e uma mentalidade guerreira de uma equipa pequena e unida compensou para além de todas as expectativas em 2020.

Ainda por cima, o título de Campeão do Mundo de Pilotos chegou com Joan Mir, de 23 anos, apenas na sua segunda temporada de MotoGP, o que promete.

E segundo Brivio, muito se fica a dever à mente sólida de Mir, que dispensa jogos psicológicos…

A mentalidade, no MotoGP, como na verdade em toda a competição, é um elemento-chave que pode ganhar muitos segundos de tempo e lugares na classificação.

Alguns trabalham mais neste aspeto, para além de rever a sua técnica de pilotagem.

Durante a sua ascenção, Andrea Dovizioso reconheceu que a sua metamorfose veio do lado mental para melhor se preparar para 2021, e Fábio Quartararo já reconheceu que iria rodear-se de pessoas competentes para canalizar melhor a sua energia mental.

Pelo contrário, esses investimentos aparentemente não precisam de ser feitos para Joan Mir. O campeão do mundo já está naturalmente equipado com uma cabeça fria, de acordo com Davide Brivio, o maestro do sucesso da Suzuki:

“Na época passada descobrimos como o Joan é forte mentalmente”, disse o italiano, elogiando o seu protegido. “Estava sempre tão descontraído e focado na corrida. No segundo Grande Prémio de Valência, talvez fosse um pouco diferente do meu ponto de vista, com um pouco mais de pressão. Porque, claro, ele sabia o que estava em jogo”, disse o team manager da Suzuki Ecstar, referindo-se ao Grande Prémio que decidiu o título.

“Até à corrida anterior, estava sempre focado e a tentar subir ao pódio ou ganhar. Por exemplo, quando estávamos em 12º lugar na grelha em Aragón, o seu único pensamento era como poderia recuperar o mais rápido possível. Estava sempre muito descontraído e focado no que tinha de fazer na corrida. Por isso, não tínhamos de trabalhar muito com a Joan psicologicamente”, sorri Brivio, que acrescenta: “Para Joan Mir, isto é apenas o início”

“Encontrámos um piloto muito forte. Mas é claro que teremos de ver como corre no futuro. Se começares como campeão mundial, talvez tenhas de lidar com essa situação, mas estou convencido de que ele é bastante forte a esse respeito”, disse o diretor da equipa Suzuki, voltando-se para o próximo desafio para o agora bicampeão mundial, que também já venceu em Moto3.

Brivio sabe o que os campeões em título têm passado desde o seu tempo com a Yamaha e Valentino Rossi.

Como vê Joan Mir comparado com a nove vezes campeão mundial?

“Não é assim tão simples de analisar, porque quando comecei a trabalhar com o Valentino, ele já era cinco vezes campeão do mundo”, disse o italiano. “Ele já era um piloto maduro. O Joan veio ter connosco como um rookie, mas certamente tem a determinação e se tiver de lidar com isso, vai conseguir. “

“É uma comparação difícil porque é apenas o começo para o Joan. Temos que esperar pelo futuro. Pode levar dois, três ou quatro anos para um piloto amadurecer, para se desenvolver completamente. Mas, claro, se isto for só o começo, então estamos numa boa situação”, disse Brivio numa entrevista recente.

Recorde-se que Kevin Schwantz avisou que Joan Mir estaria sob nova pressão, pois é agora o alvo a abater para todos os pilotos, a começar pelo formidável Marc Márquez, quando regressar…

0 0 vote
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas Autosport
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x