Ensaio – Husqvarna 701 Enduro

Por a 5 Agosto 2016 11:33

A Husqvarna chama, às suas 701, motos de estrada, as primeiras desde 2013. A 701 Enduro pode vir a ser uma das mais polivalentes trails do mercado, pronta para qualquer desafio de enduro ou até para viagens de aventura em off road.

_M4S4654_2

[ninja_forms_modal_form id=5 image_link=’http://motosport.com.pt/wp-content/uploads/2016/09/botao_1.jpg’]      [ninja_forms_modal_form id=9 image_link=’http://motosport.com.pt/wp-content/uploads/2016/09/botao_2.jpg’]

Com 112 anos de história, a Husqvarna nasceu na Suécia e é uma das mais antigas marcas de motos mundiais, com um passado recheado de muitos títulos e conquistas em quase todas as modalidades do motociclismo desportivo. Depois de em 1987 ter sido comprada pela Cagiva, a marca esteve durante 20 anos sob domínio italiano, até ter sido levada para a Alemanha pela mão da BMW. Em 2013, de forma surpreendente a marca é novamente vendida ao patrão da KTM, Stefan Pierer, que começou a nova etapa da Husqvarna com o regresso às decorações nas cores azul, amarelo e branco, que vêm directamente da bandeira sueca.

701

O primeiro impacto com a 701 é forte e não deixa ninguém indiferente. A moto tem presença, com a linha superior bem definida pelo banco comprido e multicolor, a peça que melhor define a estética desta Husky. A Husqvarna ainda não tinha fabricado nenhum modelo de “estrada”, como são apresentadas as 701 pelos responsáveis da marca, desde que mudou a sua sede e produção para a Áustria. A 701, é baseada na KTM 690 Enduro R, herdando o motor, quadro e muitos outros componentes que as tornam muito próximas. A principal diferença reside no posicionamento do produto e da marca também, a Husqvarna não “radicalizou” tanto a sua enduro, pretendendo que seja uma moto mais estradista, mais viajante, mais polivalente. Se na estética é na mesma uma endurista, nos detalhes percebe-se esta nova faceta mais civilizada, com o depósito com mais um litro, nos pneus mistos Continental TwinDuro em vez de “tacos” mais agressivos, nos acessórios propostos (depósito auxiliar frontal de gasolina, vidro alto e sistema de bagagem traseira) e no formato com que a marca a está a promover.

2

Laranja na base

Para conhecer a 701 Enduro explorámos alguns dos trilhos do sul da Costa Vicentina, entre Aljezur e Vila do Bispo, uma zona maravilhosa do país com condições ideais para o todo o terreno e uma beleza que nos deixa, a cada curva, cada elevação e descida, cada falésia, completamente deslumbrados com a paisagem e também com as capacidades dinâmicas da 701. Foram muitas as exclamações de aprovação dos nossos colegas de diversos países, aos caminhos onde passámos, foi enorme o deslumbre com o potencial que Portugal tem para andar de moto. O ritmo foi bastante rápido, com a 701 enduro a dar excelente conta de si. Numa toada rápida, sentem-se os 145kg a seco da moto, mas a confiança que a moto inspira é enorme, com uma saída muito controlada do motor, que se sente potente, mas que deixa explorar muito bem todo o seu binário, mesmo quando entramos com uma mudança mais alta numa curva mais apertada. A Husqvarna disponibiliza três modos de motor, soft, standard e advanced, que podem ser mudados por baixo do banco e o acelerador “ride-by-wire” tem uma resposta bastante suave e previsível. As forquilhas WP têm um curso mais longo para aumentar o conforto, mas ainda assim, ajudadas pelo amortecedor traseiro, fazem um excelente trabalho a digerir tudo o que aparece no caminho, fazendo da moto uma boa opção também de viagem. O sistema de travagem está entregue à Brembo e apesar de montar a última versão do ABS da Bosh, o funcionamento é muito eficiente mesmo em terra, onde podemos desligá-lo na roda traseira, sendo a melhor opção para o todo o terreno pois dá para derrapar a traseira facilmente, ao mesmo tempo que a frente nos transmite a segurança necessária sem que o sistema actue por tudo e por nada. A instrumentação é muito pequena, típica das motos de enduro, mas assegura a informação necessária para uma utilização tranquila em estrada. Os espelhos, de origem, são de dimensão assinalável, mas a partir de certo regime vibram bastante tornando-se quase ineficazes. Os plásticos têm bastante qualidade, uma das características da marca, e só o banco tricolor é um pouco escorregadio por causa dos materiais coloridos e lisos usados nas laterais.

5

Identidade própria

Apesar de na essência ser idêntica à sua gémea KTM (vários plásticos interiores da moto vêm com a marcação KTM), a Husqvarna está a conseguir dar um cunho próprio aos seus modelos, uma deliberada e desejada diferença que se acentua a cada produto. De facto a 701 é diferente da 690, mais fácil de usar, menos agressiva e pensada na competição, com um pacote mais pensado para um utilizador descontraído, de fim de semana, que quer ir mais longe nos seus passeios e que prefere estar ligado a uma marca com uma história e tradição imbatíveis do que a uma imagem de corrida e competição pura e dura. No final ganham todos com esta divisão, quem compra e quem vende e a 701 vale cada cêntimo que custa.

Preço base: € 10.418

Mais informações: Aqui

Texto:  Hugo Ramos

Imagem: Husqvarna

0 0 vote
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas Ensaios
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x