MotoGP, 2021: Morreu o bicampeão mundial Jan De Vries

Por a 18 Janeiro 2021 17:00

Uma triste notícia chega-nos da Holanda, com o falecimento do bicampeão do mundo de 50cc e ex-piloto da Kreidler Jan De Vries, que morreu aos 77 anos após uma paragem cardíaca

Em 1972, como privado, De Vries terminou o Mundial de 50 empatado em pontos com Angel Nieto

Jan De Vries estreou-se no Campeonato do Mundo em 1968, no seu GP de casa em Assen, e a partir de 1969 começou a correr regularmente no Campeonato do Mundo de 50cc para o fabricante alemão Kreidler.

Venceu o Grande Prémio das Nações de 1970, em Monza e no mesmo ano, também competiu pela primeira e única vez num GP de 125, acabando no 7º lugar em Assen com uma MZ.

De Vries teve os seus maiores sucessos em 1971 e 1973, quando conquistou os seus dois títulos de Campeão do Mundo na classe 50 cc.

Em 1971 dominou com cinco vitórias em nove corridas.Visto que só os cinco melhores resultados eram contados na altura, ganhou na sua Kreidler com a pontuação máxima de 75 pontos e tornou-se o primeiro detentor do título holandês na história dos Mundiais da FIM.

Em 1972, De Vries terminou o Mundial de 50 empatado em pontos com Angel Nieto. Como ambos os adversários tinham três vitórias e três segundos lugares, a decisão do título foi tomada a favor do espanhol com base nos tempos de corrida adicionados. 21 segundos foram o fator decisivo.

De Vries e Angel Nieto, 13 vezes campeão do mundo e 90 vezes vencedor em GP, foram ferozes adversários, como quando em Imola, no GP de 1972, De Vries e Nieto, em Derbi, travaram uma impiedosa batalha pela vitória.

Na última volta, Nieto teve de ultrapassar o talentoso privado holandês Jan Huberts, e quando perdeu tempo precioso, desperdiçou a vitória e pensou que era um jogo planeado pela Kreidler, e que Huberts o tinha deliberadamente atrasado para dar o apoio a De Vries.

No Parc Fermé, Nieto atacou a soco o adversário holandês De Vries, mas não havia câmaras de televisão na altura, e o ataque, que agora veria um piloto banido,  não foi sancionado.

Em 1973, o holandês venceu cinco corridas em nove Grandes Prémios e garantiu o seu segundo título de campeão mundial na Kreidler Van Veen. Henk Van Veen, o importador holandês da Kreidler, formava a equipa de fábrica do fabricante alemão.

No total, De Vries festejou 14 vitórias e 27 lugares no pódio, todos na categoria conhecida como a classe de shot. Isto deveu-se ao facto de os pistões dos motores de dois tempos de dois cilindros de 50 cc serem do tamanho de um copo de shot.

Por causa do tom estridente do escape, também eram chamadas motoserras.

De Vries, que terminou a carreira após a temporada de 1973, foi ele próprio um excelente artesão e técnico. Após os seus sucessos como piloto de corridas, foi ainda um afinador de sucesso dos motores de corrida Kreidler Van Veen durante muitos anos.

Foi assim que se encontrou num papel inesperado durante a temporada de GP de 50cc de 1975, a afinar os motores para o seu antigo arquirrival Angel Nieto, que ganhou o campeonato mundial de 50cc em 1975 numa Kreidler Van Veen depois de se separar da Derbi.

Com Jan De Vries, que completara 77 anos no dia 5 de Janeiro e morreu a 14 de Janeiro, exatamente no aniversário da morte da sua esposa Rommy, deixou-nos um desportista exemplar e uma personalidade inesquecível.

As nossas condolências vão para a sua família e amigos. DEP.

5 1 vote
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas Autosport
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x