Dakar 2018: É Méo o triunfo! Kevin Benavides novo líder

Por a 11 Janeiro 2018 18:57

Está encerrada a primeira fase do Dakar de 2018 com a sexta tirada da prova, que ligou San Juan de Marcona (Peru) à capital da Bolívia, La Paz, onde amanhã irá decorrer o merecido dia de descanso. Hoje pela frente os concorrentes tiveram uma especial encurtada e onde as elevadas altitudes foram as maiores dificuldades depois de, nos últimos dias, o deserto peruano ter colocado em sentido toda a caravana.

No final dos 195 quilómetros cronometrados o mais rápido foi Antoine Méo. Desde o segundo waypoint que o piloto da KTM realizou uma tirada em crescendo e com uma ponta final muito forte alcançou a primeira vitória (terceira no total) em quase dois anos, em etapas, no Dakar. Uma exibição de mão cheia que deu continuidade ao bom resultado obtido ontem, naquela que foi a primeira aparição a um muito bom nível do piloto gaulês, que fez parte da sua carreira no enduro e falhou o último Dakar por lesão.

Motivos de satisfação nas hostes de Mattighofen, mas também na Honda. Com uma etapa muito regular – foi segundo a 30s de Méo –  Kevin Benavides roubou o comando da corrida a Adrien Van Beveren, que foi apenas 10º. Os dois pilotos partiram para o dia de hoje separados por um minuto, mas Benavides ganhou 2m57s ao piloto da Yamaha. Resultado, detém agora a liderança com 1m57s de vantagem sobre o piloto que nos últimos dois dias comandou o Dakar. Um primeiro lugar histórico, pois Benavides é o primeiro piloto argentino a liderar o Dakar na categoria moto.

No terceiro lugar e também apenas a 30s da vitória ficou Toby Price, piloto que desde o miolo da tirada vinha a comandar as operações. No entanto o australiano, que teve até ao momento o melhor desempenho neste Dakar, não resistiu ao ataque de Méo num dia onde a KTM fez a dobradinha e venceu a terceira etapa em seis realizadas, o que representa uma taxa de 50% de sucesso.

Num dia onde os pilotos privados surpreenderam, aproveitando da melhor forma a menor extensão e o próprio grau de exigência do percurso, Diego Duplessis deu finalmente nas vistas neste Dakar ao obter o quarto registo a 1m13s de Antoine Méo. Seguiu-se Dani Oliveras, que já há dois dias tinha estado em grande plano ao ser sexto.

Pablo Quintanilla tentou redimir-se do pesadelo vivido, na véspera, e hoje, aos comandos da sua Husqvarna, quedou-se pela sexta posição, tendo ganho tempo a alguns rivais. Atrás do piloto chileno ficou o local Daniel Nosiglia, que obteve nesta etapa, até ao momento, o melhor resultado no Dakar de 2018.

Matthias Walkner e Xavier de Soultrait quedaram-se pela oitava e nona posições, respetivamente. Soultrait ainda liderou a primeira fase da etapa, mas depois caiu na classificação numa etapa onde os 10 primeiros ficaram separados por menos de 3m30s.

Quem esteve bem mais discreto foi o vencedor do dia de ontem, Joan Barreda Bort. Depois do recital dado na véspera, hoje o piloto da Honda abriu a pista e esteve mais apagado. Foi apenas 11º e perdeu tempo para todos os mais diretos rivais. O mesmo desempenho modesto tiveram, igualmente, os restantes pilotos oficiais da Honda (Michael Metge, Ricky Brabec e José Ignacio Cornejo) à excepção do já citado Kevin Benavides.

Classificação da etapa provisória:

Deixe um comentário

Please Login to comment
últimas TT
últimas Motosport
AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/logo.png

Facebook

Instagram

Follow Me on Instagram