Dakar 2017 – Pedro Bianchi Prata: “A credibilidade da prova está em risco”

Por a 19 Janeiro 2017 09:45

O último Dakar ficou inevitavelmente marcado pela penalização de uma hora imposta aos pilotos da Honda no final da quarta etapa, que deitou por terra as hipóteses de lutarem pela vitória. Isto porque segundo a organização da prova, a Amaury Sport Organisation, os pilotos da marca nipónica terão reabastecido as CRF 450 Rally  numa zona não autorizada.

Pedro Bianchi Prata foi um dos pilotos visados por esta decisão e expressou ao MotoSport a sua insatisfação com tudo o que aconteceu. “A culpa do que aconteceu foi da equipa, pois tivemos ordens para reabastecer naquele local. Porém ficou provado no regulamento que nada nos impedia de meter gasolina naquela bomba. Tudo não passou de uma manobra de secretaria devido à muita pressão que existia por parte das outras equipas. A penalização, que segundo a ASO acabou por ser mal aplicada, acabou por não ser retirada porque o protesto da Honda não foi apresentado a tempo”.

O experiente piloto português realçou ainda o facto de mais pilotos terem reabastecido no mesmo local, mas apenas os homens da Honda e mais tarde Stefan Svitko, piloto ligado à KTM, foram alvos de sanção. “Não foi só o Svitko e a Honda que reabasteceram as motos. Foram mais de 20 pilotos que fizeram o mesmo. É uma vergonha que a organização não tenha verificado todos os GPS dos concorrentes de modo a saber quem esteve realmente a reabastecer as motos. Se foi tão grave a acção e se tem de imperar a verdade desportiva as coisas nunca poderiam ter sido aplicadas desta forma. Não podem ser só uns a serem penalizados e os outros a saírem incólumes desta situação”.

Agastado com todo este enredo, Bianchi Prata deixou ainda reparos ao facto de durante a prova as penalizações serem atribuídas ao pilotos e não ser comunicado aos mesmos os motivos. “Ninguém diz nada, o que não é bom para a credibilidade da prova. A organização faz o que quer e entende. Se quisermos saber alguma coisa temos de ir ao secretariado da prova. Na etapa em que tive de rebocar o Ricky Brabec desde o final da especial até ao bivuoac fui penalizado em três horas e não fazia a mínima ideia do motivo. Perguntei a quem de direito a razão para essa penalização e ninguém sabia. Fizeram aquilo que queriam”. Perante tais episódios, Pedro Bianchi Prata considera que é “urgente fazer alguma coisa, pois a credibilidade da prova está completamente em risco”.

Apesar da vitória ter ficado pelo 16º ano consecutivo no campo da KTM, o piloto nortenho entende que a superioridade da marca da asa dourada ficou bem patente durante as duas semanas de competição. “Ficou provado que os mais rápidos foram os pilotos da Honda, pois vencemos metade das especiais realizadas. Se descontarmos a hora de penalização, as duas primeiras posições ficariam nas mãos do Joan Barreda Bort e do Paulo Gonçalves. Estes dois pilotos demonstraram ser os melhores em termos de rapidez, navegação e consistência. Mas pronto as corridas são mesmo assim e só me resta felicitar a KTM pela vitória”.

0 0 votes
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x