Ensaio – Ducati Multistrada 1200 Enduro – Até ao fim do Mundo

Por a 26 Agosto 2016 15:02

Com um depósito de 30 litros, uma roda dianteira maior, uma suspensão nova e muita electrónica, a nova versão Enduro da Multistrada passa a ser uma das referência entre as “tour-adventure”, mantendo o carácter latino do motor 1200 com 160 cv.

A56A8382

[ninja_forms_modal_form id=5 image_link=’http://motosport.com.pt/wp-content/uploads/2016/09/botao_1.jpg’]      [ninja_forms_modal_form id=9 image_link=’http://motosport.com.pt/wp-content/uploads/2016/09/botao_2.jpg’]

Uma moto com aspecto aventureiro, electrónica que nunca mais acaba, desde vários níveis de controlo de tracção e sistema anti-cavalinho, até ao acerto da atitude do motor e da suspensão. Ainda por cima uma Ducati. O Ferrari das motos. Não há ninguém que não olhe com admiração para uma Ducati e não é só por causa do design. Mas também é. Seja ela qual for.

A Multistrada já é uma moto conhecida, mas a versão Enduro é novidade.

60 componentes novos

Tem uma roda dianteira maior, jantes de raios e muita electrónica. É um resumo muito sintético da nova Multistrada Enduro 1200. Isto sem esquecer que tem 60 componentes novos, como por exemplo o guiador 50 mm mais alto, o depósito de 30 litros, ou o novo braço oscilante.

No primeiro contacto, percebe-se que o banco é alto e só a ponta dos pés tocam no chão, o que causa sempre apreensão em manobras, mesmo para quem tem um 1,76 metros. Se é mais baixo, escolha outra moto. Se está fixado nesta, invista num banco (bem) mais baixo. Se está confiante ao ponto de lhe bastar um pé no chão para a conduzir a Multistrada, então é dos que vai gostar muito desta Ducati.

A56A8618

A quantidade de configurações possíveis, através dos vários menus no paínel digital, que tem óptima visibilidade, merece largos minutos de estudo para se perceber o que é cada um e como se chega ao que se pretende. Ou então deixar isso para depois e não perder tempo a ir para estrada. O que nos parece a melhor opção.

Um motor de 1200 cc e 160 cv, é o suficiente para se adivinhar o nível de performance desta moto. Ainda para mais, com sangue italiano. O bicílindrico em L que dá pelo nome de Testastretta, conta com sistema Desmodromic, que consiste no controlo variável do tempo de abertura das válvulas. Isto permite uma combustão mais eficiente e a disponibilidade certa para cada momento específico da condução. Seja em modo de passeio tranquilo, ou a atacar uma estrada de curvas como se não houvesse amanhã.

Sangue italiano

Como qualquer Ducati, a veia desportiva está sempre presente e é fácil querer andar depressa com a Multistrata, a resposta do motor é pronta em qualquer regime e só em relações de caixa altas, a baixa velocidade, o bater do motor é mais desconfortável. O selector não é o mais preciso do mundo (a humilhação de uns ponto-morto parasitas aconteceu algumas vezes de 4ª para 5ª), mas o escalonamento da caixa é correcto e a manete de embraiagem é leve.

A56A8689

Há uma grande diferença no temperamento desta Ducati consoante o modo de condução que se escolhe. Em Urban, tudo é suavidade para as deslocações citadinas e a potência é restringida a 100 cv. Em Touring, a entrega de potência sobe para 160 cv, mas mantém-se progressiva, com o controlo de tracção (DTC), o sistema anti- wheelie (DWC) e o ABS a assumir parâmetros menos conservadores. No modo Sport, a Multistrada transfigura-se. A resposta do acelerador é imediata e a roda dianteira já sobe em acelerações bruscas. A suspensão semi-activa Skyhook, mantém sempre uma monitorização do peso em cima da moto, varia o grau de amortecimento consoante o modo de condução escolhido e também pode ser configurada à vontade do condutor. A roda dianteira maior não altera a facilidade com que esta Ducati se insere em curva e o comportamento entusiasma ao ponto de se querer andar sempre um bocadinho (ainda ) mais depressa. A travagem é potente, o ABS está bem calibrado, e a qualidade da ciclística instiga a procurar estradas com curvas. O controlo de tracção é um anjo da guarda quando se acelera cedo à saída das trajectórias mais fechadas, mas mesmo com este desligado, a aderência do pneu 170/60 ZR17 é elevada. Os mais experientes conseguem fazer maravilhas com este dispositivo “a dormir”.

Em viagem

Em ritmo Touring, em viagem, o conforto está num bom patamar, não só pelo trabalho da suspensão, mas também pelo banco específico desta versão, que permite aguentar um par de horas sem queixas. Sim, porque os 30 litros do depósito dão para fazer mais de 400 km sem necessidade de parar na bomba.

O ecrã dianteiro é pequeno, mas dá o seu contributo na protecção contra o vento, sobretudo na posição mais alta, um ajuste que pode ser feito manualmente, sem dificuldade, mesmo em andamento.

E como se porta a Multistrada em modo Enduro? Com estes pneus, não há milagres quando se abandona o alcatrão, mesmo assim percebe-se que quando se activa este modo, a potência desce para 100 cv (como em Urban), mas o DTC fica no grau mínimo de intervenção, assim com o o ABS que chega inclusivamente a deixar bloquear a roda traseira, para quem deseja ter o controlo das operações. Os 100 cv podem parecer um valor mais modesto, mas fora-de-estrada podemos adiantar que chega e sobra para ter emoções fortes. O acelerador ride-by-wire tem um bom tacto e o pedal do travão pode ser regulado (duas faces com altura diferentes) consoante o tipo de calçado que se utiliza.

Quais os principais defeitos da Multistrada Enduro? O banco alto, o preço de 21 249 euros que não inclui malas laterais (1597 euros) nem punhos aquecido (271 euros), o que para uma moto como esta não deixa de ser criticável. Porque, de resto, esta Ducati é uma moto difícil de esquecer depois de um convívio de alguns dias. Mesmo muito difícil.

Ficha Técnica

1198 CC

160 cv

30 L

254 KG

TIPO 2 CIL. EM L, REFRIGERAÇÃO LÍQUIDA

DISTRIBUIÇÃO 8 VÁLVULAS

BINÁRIO 136 NM ÀS 7500 RPM

EMBRAIAGEM MULTIDISCO EM ÓLEO

CAIXA 6 VELOCIDADES

TRANSMISSÃO POR CORRENTE

QUADRO TUBULAR EM AÇO

SUSPENSÃO DIANTEIRA FORQUILHA INVERTIDA DE 48 MM, CURSO DE 200 MM

SUSPENSÃO TRASEIRA MONOAMORTECEDOR, CURSO DE 200 MM

TRAVÕES DISCOS DIANTEIROS DE 320 MM + DISCO TRASEIRO DE 265 MM, COM ABS

RODAS 120/70 ZR19’’ + 170/60 ZR17’’

DISTÂNCIA ENTRE EIXOS 1594 MM

ALTURA DO ASSENTO 870 MM

(up):

Ciclística

Conforto

Autonomia

Som do motor

(down)

Preço

Altura do banco

ATRIBUTOS

10% citadina

40% turismo

10% desportiva

40% enduro

Cores disponíveis:

Phantom Grey

Star White Silk

Ducati Red

Se estiver interessado em mais informações sobre este modelo ou mesmo proceder à sua aquisição clique em: Ducati Norte/Ducati Lisboa

Preço Base:  €17.299

A56A8571

Texto Luís Guilherme

2
Deixe um comentário

Please Login to comment
2 Comment threads
0 Thread replies
1 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors
ajbmartins@hotmail.comJarno Saarinen Recent comment authors
recente antigo mais votado
Jarno Saarinen
Membro
Jarno Saarinen

2 Cil em L, A sério?! Só se for no alfabeto de Jorge de Jesus.

ajbmartins@hotmail.com
Membro

Excelente opção para estrada e não só!

últimas Ensaios
últimas Motosport
AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/logo.png