Como escolher o melhor capacete de moto

Por a 1 Agosto 2018 14:47

Do ponto de vista legal, o capacete é o único equipamento de moto que somos obrigado a usar; também é indiscutivelmente o elemento mais importante que devemos adquirir com atenção e seguindo alguns princípios.

Quer se pretenda gastar 100 ou 1.000 euros, existem aspectos importantes na compra de um capacete. Algumas questões de segurança são fundamentais, mas  quando se está a iniciar no mundo das motos o primeiro conselho é o de que conduza sempre com uma atitude defensiva para garantir anos de prazer no melhor meio de transporte do mundo.

Capacete integral, aberto ou modular… qual se deve comprar?

Primeiro decida que tipo de capacete você quer em função também do tipo de moto que irá conduzir. Enquanto um capacete aberto poderá ser ótimo e fresco no verão o certo é que não oferece a proteção da sua cara e queixo num impacto frontal.

Alguns capacetes abertos ou “Jet” têm uma viseira interior extra , fumada, mas geralmente é aconselhável usar óculos de proteção e aí deverá escolher óculos específicos para a moto que sejam resistentes ao impacto de pedras

Nota importante: não aconselhamos o uso de óculos de sol com lentes de vidro que ao quebrar com o impacto de uma pedra lhe poderão causar danos irreversíveis e mesmo cegar ).

Por isso nunca ande sem proteção para os olhos e lembre-se também de que uma pedra levantada por um carro batendo na sua cara (ou nos dentes) pode causar sérios danos, isto ara não falar em vespas, abelhas e outros insectos de dimensão .

Os capacetes abertos do tipo JET deverão ter um “J” no rótulo, o que significa que são homologadas (testados por um organismo certificado) .

Um capacete integral envolve totalmente sua cabeça e é marcado com um ‘P’ (embora esteja ciente de que alguns modelos de capacete mais especializados têm uma máscara que os faz parecer integrais, mas oferecem apenas a segurança de um capacete aberto – estes são marcados como ‘NP’ para Não Protetores como os JET ( J

Algumas pessoas acham que os capacetes integrais são um pouco claustrofóbicos e, no caso de você usar óculos, terá que tirá-los antes de o colocar. Também em algumas bombas de gasolina pedirão para o temover antes de poder abastecer. No entanto estes são os que mais protegem e são os modelos que os pilotos de competição usam em pista.

Um capacete modular de abertura frontal potencialmente oferece o melhor dos dois mundos, com quase toda a proteção de um integral, mas com a facilidade de abrir e se converter num capacete aberto tipo JET. Se estiver marcado com apenas um “P” no rótulo (geralmente na alça), só pode ser legalmente utilizado com a barra do queixo para baixo e aberto apenas quando parados.

Se estiver marcado como “P / J”, estará homologado como capacete fechado ou aberto e poderá utilizar como quiser. A principal diferença é que a barra de queixo está certificada para poder ficar aberta – o Shoei Neotec original, por exemplo, só foi testado fechado enquanto que o novo Neotec II foi testado fechado e aberto.

A maior parte das queixeiras quando abertas causam resistência ao ar em andamento a não ser aqueles cuja queixeira rode até à parte de trás do capacete.

O novos capacetes de aventura ou de todo o terreno geralmente têm um bico para proteção do queixo e uma pala. Muitos condutores optam por usar óculos de proteção em vez de viseira. Um capacete de motocross ou enduro é projectado para uso off-road, e tem também um bico na queixeira, mas não viseira, estando desenhado para uso com óculos de proteção. Estes também tendem a ter uma ventilação mais aberta, muitas vezes com filtros de esponja.

Quanto devemos gastar?

A questão que deverá colocar a si próprio nesta matéria é de que “Quanto vale a sua cabeça? ”. Poderá gastar de 50 ou 100 euros, 500 ou mesmo 1000 euros… no entanto lembre-se de que todos os capacetes homologados têm que obrigatóriamente alcançar um padrão mínimo de segurança.

Os capacetes mais caros geralmente utilizarão materiais mais caros na sua construção, tais como o carbono e o kevlar. Os mais baratos terão uma calote externa de policarbonato, que é boa, mas é potencialmente mais vulnerável à degradação (especialmente da gasolina) e não pode/deve ser pintada.

Capacetes mais caros terão uma calote composta, muitas vezes usando misturas de fibras de aramida (como Kevlar), fibra de vidro, fibra de carbono e outros materiais. Estes poderão ser menos propensos à deformação e mais capazes em dispersar um eventual impacto. Também podem ser personalizados com uma pintura por um profissional, se é isso que você deseja.

Os capacetes de custos mais altos geralmente vêm com mais tamanhos de calotes externas, o que significa que podem existir três calotes em toda a faixa de tamanho interior – caso contrário, um capacete XS terá que usar uma calote externa grande o suficiente para acomodar um interior de XXL, tornando-o mais pesado.

Nos capacetes mais caros também se estará a pagar por materiais internos de melhor qualidade e, potencialmente, que asseguram melhor ventilação. Na minha experiência, é mais provável que você encontre um capacete mais confortável e de melhor desempenho nas faixas de preço mais altas, mas há muitos na categoria abaixo de 200 eur que podem ser igualmente bons. Depende da forma da sua cabeça, por isso experimente sempre vários capacetes até se decidir por aquele com que se sente mais confortável.  Lembre-se que os esquemas de pintura de réplica de pilotos de competição são geralmente mais caros do que os gráficos genéricos, que tendem estes também a ser mais caros que as cores simples/lisas.

 

O meu capacete é seguro?

A sua escolha de capacete deverá ter uma calote externa dura, com um poliestireno deformável no interior. A carga de um impacto será espalhada por essa calote externa, e só então o interior será comprimido para minimizar a força transferida para o seu crânio. No caso improvável de você bater com o seu capacete nalguma coisa de forma mais violenta aconselhamos que o mesmo deva ser substituído. A regra geral é que se você deixar cair o capacete sobre uma superfície rígida talvez o mesmo tenha sofrido danos estruturais e não ofereçam mais a segurança necessária . Em caso de dúvida, peça sempre para que o mesmo seja revisto no seu representante ou na própria marca.

Todos os capacetes vendidos em Portugal devem ser testados para o ECE 22.05. Envolvendo testes de abrasão, impacto, penetração, deformação e retenção, bem como o campo de visão da viseira. Esta norma é aceite em toda a Europa e em 47 países.

Outra marcação que poderá ver é a “DOT”, que é um padrão americano e que não substitui a ECE na Europa – o seu capacete também deve ser testado para o ECE 22.05. O teste DOT é realizado pelo fabricante, e naquilo que difere do ECE 22.05 é que um capacete com certificação apenas DOT pode transferir muito mais energia para a sua cabeça numa colisão do que um capacete ECE 22.05.

A vida útil de um capacete é normalmente de cinco anos – depois disso, deverá ser substituído para garantir que o poliestireno ou a camada externa não se degradaram ao ponto de poder ser inseguro em caso de acidente. Verifique sempre quando um capacete foi feito – economizará dinheiro com os esquemas de cores de anos anteriores, mas tenha cuidado com qualquer capacete que tenha mais de 2 ou 3 anos.

Claro que nenhum capacete pode garantir a sua total segurança num acidente, e há mais do que uma simples análise a partir do preço dos mesmos. Por exemplo, a Arai afirma que pela forma de seus capacetes, os mesmos são projetados para desviar o impacto sem causar arrasto ou torção na cabeça e no pescoço. Teóricamente, também é possível projetar um capacete para ser mais resistente nos pontos mais sensíveis testados, mas geralmente qualquer capacete de uma marca de qualidade deve proporcionar uma boa proteção geral.

Nota muito importante:  Nunca compre um capacete em segunda mão ( em segunda “cabeça”, neste caso); Não sabemos nunca o que pode ter acontecido com ele, como é que foi tratado, e o seu interior foi, ao longo do tempo de utilização, obviamente compactado para se adequar à cabeça do proprietário anterior.

 

Obter o ajuste certo

Um capacete adequado não é apenas segurança – se o seu não for totalmente confortável, pode significar a diferença entre o prazer de andar de moto e o ser um sacrifício.

Deverá sempre experimentar um capacete antes de comprar. Algumas lojas on-line permitirão que possa devolver os capacetes que ainda conservem os seus adesivos de viseira, mas aquilo que deve fazer é ir a uma loja e experimentar uma grande variedade de capacetes – experimente modelos de vários fabricantes e no início sem olhar para os preços. – o objectivo é o de ficar com uma idéia de como os diferentes modelos das diferentes marcas melhor se podem adequar a si.

Conselho: 

Aconselhamos a que não os experimente na loja para depois os comprar on-line. Lembre-se que um dia você pode vir a precisar da ajuda ou conselho do seu vendedor…

 

A Medida certa 

Pode começar por medir a circunferência de sua cabeça – logo acima dos olhos – para descobrir o tamanho que à partida deverá ter. Em seguida, comece a experimentar os capacetes, tendo em mente que dependendo das marcas o tamanho ideal pode ser diferente de uma para a outra. E inclusivamente algumas marcas usam formas diferentes nas suas gamas de capacetes . É muito importante e fundamental experimentá-los.

Capacetes JET abertos ou de modulares ( flip-fronts ) são fáceis de se colocar, mas a melhor forma de colocar um integral é afastar fitas externas na parte inferior e fazê-los deslizar sobre a cabeça, mantendo as fitas sempre afastadas durante o processo . Pode de início parecer apertado, mas a sua cabeça deve encaixar suavemente. Uma vez colocado, deverá sentir a pressão ao redor de sua cabeça, sem pontos demasiado apertados. Áreas problemáticas mais comuns são orelhas excessivamente esmagadas e pressão ao redor da área da testa.

Deverá então concentrar-se em sentir os pontos de pressão e deixar o capacete algum tempo na sua cabeça pois o mesmo irá adaptar-se à mesma. Depois de comprar o seu novo capacete essa pequena pressão sentida na loja pode continuar a parecer ainda excessiva após a primeira hora de utilização e aí já será tarde demais para poder trocá-lo.

A melhor forma de garantir que está a comprar o capacete certo para si é agarrar o capacete com as mãos tentando mantê-lo imóvel enquanto tentar rodar a sua cabeça para um lado e para o outro, para cima e para baixo – se sentir a sua cabeça a deslocar-se demasiado dentro do capacete então esse capacete é grande demais para si. Lembre-se que o interior irá naturalmente comprimir-se durante o uso e adaptar-se à sua fisionomia pelo que deverá escolher aquele que lhe esteja justo sem causar desconforto. Há marcas que incluem um kit de pequenas almofadas para ajuste interior do capacete de forma a melhor adaptá-lo à sua fisionomia.

Os capacetes de competição geralmente têm interiores mais apertados para evitar que o capacete se desloque a alta velocidade – algumas pessoas acham isso desconfortável, por isso deverá ter mais do que um capacete caso participe em track days ou em competições. No meu caso por exemplo, que utilizo capacetes NEXX, em pista utilizo tamanho M e no dia a dia o tamanho L.

Conselho: Se você usa óculos, deve experimentá-los com o capacete posto obviamente, pois enquanto muitos têm recortes para segurar os óculos, outros não.

 

As melhores viseiras

Uma viseira embaciada é muito irritante na melhor das hipóteses e absolutamente perigosa na pior das hipóteses. Alguns capacetes são “Pinlock ready” e alguns vêm com um Pinlock na caixa. Um Pinlock é um painel de plástico com uma perfil de silicone que se prende a um par de pinos instalados no interior da viseira e que efetivamente o converte em vidro duplo e, quando encaixado corretamente , ajuda a evitar / reduzir drasticamente o embaciamento.

Atenção pois devem ser mantidos limpos e podem-se riscar facilmente se você não for cuidadoso, mas são extremamente úteis na estrada. Os Pinlocks normalmente não são fornecidos montados na viseira, pois os capacetes não são homologados para o seu uso pois podem reduzir um pouco a visão , por isso vêm separados na caixa.

Os capacetes mais baratos não têm um Pinlock – verifique antes de comprar o seu e esteja preparado para um adicional de 25 ou 30 euros. No verão e em climas secos normalmente não é preciso usar Pinlock.

Outra coisa a ter em conta com a sua viseira é a facilidade de abertura e fecho e a possibilidade de a abrir um pouco para reduzir o embaciamento – isto é importante e ainda mais relevante no caso de usar usar óculos.

Nunca use qualquer forma de solvente na sua viseira ou utilize algo como produtos de polish na mesma- uma viseira pode rapidamente enfraquecer e quebrar se algo bater nela.

Verifique como se pode remover a sua viseira , lendo as instruções primeiro e com cuidado, pois pode danificar o sistema de fixação, e deve sempre limpar a mesma com ela desmontada. A maioria dos fabricantes oferece viseiras de reposição no caso da sua ficar muito riscada .

 

Os capacetes são à prova de água ?

Deveriam ser. Algumas vezes capacetes integrais deixam passar água para o seu interior. Isso normalmente ocorre ao longo da borda superior da vedação da viseira, embora algumas aberturas de ventilação do capacete possam também e ocasionalmente permitir a entrada de água, mesmo quando fechadas. Se você sentir a água a escorrer por dentro, poderá eventualmente regular as placas de montagem da viseira e ajustá-las para trás para obter um ajuste mais apertado.

 

Qual é a lei sobre viseiras escuras? Será que é preciso utilizar uma que seja protectora do sol ? 

Muitos capacetes têm uma pequena viseira interior que desliza para fora na frente do capacete, protectora do sol. Os capacetes de competição normalmente não montam viseiras de proteção solar interiores e preferem substituir a viseira principal por uma fumada.

Para estar legal a viseira deverá transmitir 70% ou mais de luz, o que significa que as viseiras totalmente escuras são ilegais.

As viseiras de proteção solar internas podem ser extremamente úteis pois em condições de pouca luz solar podem ser facilmente removidos a qualquer momento, utilizando um botão deslisante que normalmente existe no exterior do capacete. Certifique-se de testar a viseira interior pois a mesma em posição fechada não deverá tocar no seu nariz . Pode ser também perturbador ter uma linha de luz entre a parte inferior da viseira solar interna e o topo da queixeira do seu capacete. Verifique que tudo está de acordo com o necessário.

 

Como posso ajustar a ventilação do meu capacete?

Os capacetes têm normalmente ventiladores colocados na frente e atrás para arejar o seu interior . Estude que ventiladores foram colocados pelo fabricante no modelo do seu capacete e saiba como os utilizar. Normalmente têm uma posição de fechado e aberto sendo a primeira certamente mais silenciosa.

Os capacetes desenhados especialmente para a competição costumam ter uma ventilação mais potente, mas às vezes isso torna-os mais ruidosos. Em pista é normal vermos os pilotos utilizarem protetores de ouvido com os seus capacetes . Na via pública não o recomendamos pois toda a atenção é pouca e diminuir um dos sentidos como o ouvido pode ser perigoso.

Em última análise uma boa ventilação é uma combinação das aberturas e uma viseira que pode ser aberta alguns milímetros – manter a calma é vital para se manter alerta.

 

Interiores de capacete

 

Um interior removível é mais fácil de manter limpo, sendo particularmente importante para aqueles que utilizam a moto diariamente. Procure também que o capacete tenha uma pequena cobertura interior ao nível do queixo que impede que o ar suba ao longo da cara e perturbe a visão. No verão certamente não será necessária e se tiver a rodar numa moto com uma boa proteção aerodinâmica também não.

Se você quiser encaixar um intercomunicador no capacete então verifique se há espaço para os auscultadores – alguns capacetes têm intervalos mas outros podem empurrar os auscultadores de forma incómoda e dolorosa sobre os seus ouvidos.

 

 

 

Existem normalmente dois tipos de fixação dos capacetes – um de duplo anel em D , aquele que é mais seguro e que todos os pilotos utilizam e outro com fecho micrométrico que facilmente se consegue o ajuste pretendido. A nossa recomendação, tal como o Miguel Oliveira referiu numa conferência sobre prevenção rodoviária, é a utilização de capacetes com fecho de dois anéis em D.

 

Cuidados a ter com o seu capacete?

Nunca deixe seu capacete no topo do depósito da sua moto, pois o vapor de combustível pode danificar o revestimento de poliestireno e o risco do mesmo poder cair para o chão devido a vento ou um toque na moto é muito maior e escusado.

Também não o coloque nos espelhos laterais da moto, pois isso pode danificar o seu interior e sujar o mesmo. Colocar as luvas dentro do capacete é totalmente desaconselhado já que toda a sujidade contida nas mesmas irá para dentro do capacete e posteriormente para a sua cabeça. Se necessitar pousar o capacete pode colocar as luvas no chão e o capacete em cima das mesmas.

Para limpeza periódica deverá desmontar o seu interior e lavá-los com água fria, à mão, e um detergente/champô suave se possível anti-bacteriano deixando posteriormente secar sobre uma toalha e nunca ao sol nem com secador. O ideal é ter dois interiores e sempre que um estiver a lavar utilizar o segundo. Poderá obter o segundo interior junto da loja ou representante da marca. Para a limpeza exterior existem uma série de produtos recomendados por várias marcas no mercado próprios para o efeito sendo que o produto utilizado na limpeza da viseira muitas vezes não será o mesmo para o exterior restante do capacete.

Dica 1 : Pode usar uma balaclava de algodão ou sintética para tornar a utilização do capacete mais confortável e higiénica, e no inverno representa uma proteção extra ao frio. Depois pode mais facilmente lavar a mesma que secará rapidamente de um dia para o outro, poupando assim o interior do seu capacete e contribuindo para a sua higiene pessoal

Dica 2 : Para eliminação de bactérias dentro do seu capacete e para prevenção do seu desenvolvimento pode utilizar um pequeno sistema de spray onde coloque água oxigenada e com o mesmo pulverizar ligeiramente o interior do seu capacete, deixando secar de um dia para o outro ou com um pequeno ventilador a frio dentro do mesmo. ( é impressionante a quantidade de coisas para as quais se pode utilizar a água oxigenada ).

Esperamos ter contribuído para vos ajudar a poderem escolher de forma correcta o vosso novo capacete e desejamos a todos o máximo de segurança a rodar de moto… sempre “à defesa” e dentro dos vossos limites pessoais e dos legais.

 

 

 

 

Deixe um comentário

Please Login to comment
últimas MOTO+
últimas Motosport
AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/logo.png