Ensaio – BMW C650 SPORT + C650 GT

Por a 11 Agosto 2016 11:34

Com uma clara intenção de manter as suas maxi-scooters atuais e melhorando-as nos pontos que necessitavam de revisão, a BMW apresentou em Valência as C 650 Sport e GT, duas versões que oferecem as mesmas características técnicas, com tendências de concepção ligeiramente diferentes.

Valência é uma cidade moderna, com avenidas largas na sua zona mais cosmopolita, que se estende até ao mar Mediterrâneo. Tem ruas bem estruturadas onde o trânsito, que é muito, acaba por fluir de forma ordeira. Este é um ambiente que se torna perfeito para quem usa scooters de maiores dimensões. Foi aqui que a BMW decidiu apresentar as suas novas maxi-scooter, duas versões do mesmo modelo que acabam por se destinar a clientes com desejos ligeiramente diferentes, embora tenhas as mesmas necessidades base.

As duas versões da C 650, a Sport e a GT, apostam em ligeiras diferenças conceptuais, distanciando-se um pouco em ergonomia, conforto e comportamento. Cada uma aponta a clientes com gostos diferentes, mas que exigem o máximo de qualidade da sua scooter. A C 650 Sport adapta-se a um utilizador que procura uma scooter com um cariz mais ligeiro, dinâmico e desportivo, enquanto que a C 650 GT foi pensada para oferecer o conforto e capacidades turísticas mais convencionadas para as maxi-scooter.

Ligação directa

Estas novas C 650 receberam algumas alterações importantes a nível da transmissão. A BMW ouviu os seus clientes, que queriam uma resposta mais imediata e directa das suas unidades. Para tal o sistema automático, com base num variador contínuo, sofreu profundas alterações, e a embraiagem recebeu um composto revisto para o seu revestimento e molas diferentes. O resultado de todo este trabalho foi uma melhoria assinalável, tendo estas novas “C” uma ligação quase directa entre a acção do acelerador e energia que a roda traseira passa à estrada.

Os arranques são rápidos e imediatos, com um ganho de velocidade inicial que mais se assemelha a scooters de menores dimensões. Mas as recuperações estão igualmente mais agradáveis, novamente com uma forte sensação de que o punho direito está directamente ligado à roda traseira. Além destas vantagens na aceleração, a BMW reclama um aumento de velocidade máxima em 5 km/h, devido a esta alteração.

Para acompanhar esta novidade em dinamismo, também o sistema de escape veio acrescentar alma ao modelo. O novo conjunto dispensou o silenciador frontal, apostando apenas num traseiro. Esta alteração, com um novo desenho do silenciador traseiro, garante uma sonoridade muito interessante, audível mas que não é incomodativa, até porque cumpre as normas EU4.

BMW C 650 Sport_052  BMW C 650 Sport_030  BMW C 650 Sport_041  BMW C 650 Sport_082

[ninja_forms_modal_form id=5 image_link=’http://motosport.com.pt/wp-content/uploads/2016/09/botao_1.jpg’]      [ninja_forms_modal_form id=9 image_link=’http://motosport.com.pt/wp-content/uploads/2016/09/botao_2.jpg’]

Grande Turismo

A GT, mesmo com a sua volumetria mais elevada, acaba por se sentir bem enquadrada no ambiente citadino das grandes avenidas de Valência. Neste ambiente com muito movimento de veículos pudemos dar um extenso uso ao Side View Assist, que é um opcional exclusivo da GT. Este sistema, que ajuda nas mudanças de direcção, alertando-nos para a presença de algum veículo no nosso ângulo morto de visão. Facilita-nos a vida, mas se a luz não estiver acesa o melhor é deitar um olho antes de mudar de faixa. O sistema não é infalível, como a BMW alerta.

O conforto desta GT é irrepreensível com um assento que consegue oferecer um excelente apoio, inclusive serve de encosto na zona lombar. A posição de condução pode ser bastante descontraída se optarmos por esticar as pernas no amplo espaço que existe no estrado. As suspensões receberam novas afinações e calibração das molas, de forma a aumentarem um pouco mais o nível de conforto desta scooter. As molas tem uma resistência 10% inferior e o curso de trabalho de 115 mm mantém-se. É o suficiente para que mesmo com uma maior capacidade de amortecimento se mantenham as características necessárias para uma condução mais desportiva.

Foi necessário sair do ambiente citadino para a GT fazer o meu imaginário trabalhar. Esta GT é realmente uma scooter pensada para passar grande parte do seu tempo em estrada. Ao fim de poucas curvas ficamos com a certeza de que esta é uma excelente escolha para fazer uns dias largos de viagem as seus comandos. Bom conforto, proteção aerodinâmica, espaço de carga e lugar para o passageiro. Sabemos que há motos próprias para esse fim, mas encontramos nesta scooter uma componente prática que nos liberta de parte das preocupações da condução e nos deixa embrenhar mais profundamente nos prazeres da viagem em si.

Em zonas de montanha a nova transmissão garante uma resposta muito pronta e permite disfrutar das prestações do motor de uma forma despreocupada. A ciclística desta grande scooter é bastante neutra e suficientemente rápida para nos deixar desfrutar de zonas de curvas encandeadas. Nos trajectos mais rápidos de autoestrada, a volumosa parte frontal faz o seu trabalho em proteger-nos da descolcação do ar. O ecrã da BMW C 650 GT possui

_D4_2905

Novidades na Transmissão

O motor utilizado nestas duas C 650 é um bicilíndrico paralelo com uma cilindrada de 647 cc, uma potência máxima de 60 cv às 7500 rpm e 63 Nm de binário. São prestações suficientes para estes dois modelos, que cumprem as normas EU4. Para garantir um baixo centro de gravidade, o bloco dos cilindros está inclinado para a frente, numa posição a 70 graus. O sistema de escape foi redesenhado, de forma a garantir uma sonoridade mais interessante, mas dentro das regulações de ruído. O característico trabalhar deste motor e devido ao desfasamento de 90 graus dos apoios da bielas na cambota, com um ciclo de ignição espaçado a 270 graus.

É na transmissão que se encontram as maiores novidades e aquelas que mais afetam o bom comportamento destes modelos. A embraiagem tem um composto melhorado no seu revestimento e as molas mais suaves, a que se juntam uns roletes mais pesados no variador. A relação entre o veio primário e o secundário foi alterada. O resultado é uma resposta mais imediata em aceleração e a velocidade máxima passou de 175 km/h para 180 km/h, segundo a marca.

A ciclística tem poucas novidades e o destaque vai para as novas afinações das suspensões que, mantendo o mesmo curso de 115 mm, conseguem um bom compromisso entre a firmeza necessária para uma condução mais animada e a suavidade que garante o bom nível de conforto. A estrutura híbrida do quadro continua a ser feita por um elemento tubular em aço, com uma zona de alumínio na fixação ao motor. Bem ao jeito BMW a segurança é rainha com o sistema de ABS e ASC, que garantem travagem e acelerações livres de sobressaltos. Estes dois sistemas são equipamento “standard”, nestas “Cs”. Na versão GT somos ainda brindados com a possibilidade de a equipar com o Side View Assist, um um sistema que nos auxilia nas mudanças de faixa, alertado para a presença de veículos no nosso ângulo morto de visão, com regulação eléctrica em altura, na Sport esta regulação é feita manualmente, que nos permite ir bem protegidos e ganhar uma melhor visibilidade e mais agilidade em estradas sinuosas.

BMW C 650 GT_051  BMW C 650 GT_041  BMW C 650 GT_178 BMW C 650 GT_042

Em modo F1

Depois de um almoço na zona da marina onde se realizou o circuito de F1, e onde ainda se vêm as marcações no asfalto e parte das zonas de rails de proteção, chegou a vez da versão Sport. Esta é a versão ideal para quem procura uma opção mais ligeira, divertida de pilotar e que não sacrifica em demasia o conforto. Se analisarmos os dados não existem grandes diferenças entre as duas versões além dos 12 quilos e os 5 mm de altura no assento. Em utilização, contudo, nota-se um carácter muito diferente. A posição de condução da Sport é ligeiramente mais baixa e sobre a frente, com o guiador também mais baixo e um assento mais firme. A carenagem frontal é menos volumosa e toda esta configuração dota a Sport de uma atitude mais dinâmica.

A sonoridade do novo escape torna-se aqui mais notória. E a nossa condução transforma-se, assim como a disposição. Agora temos vontade de procurar uma boa estrada de montanha. E a BMW C 650 Sport não desilude, garantido um bom comportamento, com uma frente bem plantada, aceitavelmente rápida de direção, e com um tacto de acelerador que nos dá uma boa sensação de tração. Aqui revela-se também a boa travagem e a electrónica do ABS e do sistema de controlo de estabilidade, sempre prontos a corrigir algum excesso. Se sairmos rápido de uma curva e rodarmos com convicção o acelerador, sentimos a roda traseira escorregar ligeiramente , dominada pelo ASC. Por certo que com o piso molhado ou de menor aderência este sistema será uma preciosas ajuda para a nossa segurança.

De volta à cidade notamos que deixámos de ter a ajuda do SVA no ângulo morto mas a ligeireza desta versão acaba por a tornar mais apetecível numa utilização urbana. O menor peso também se nota nas acelerações e recuperações, um bocado mais imediatas. A altura do assento é ligeiramente mais baixa, se bem que aqui, acabam por ser as dimensões de toda a scooter que irão facilitar a vida a quem tenha as pernas mais curtas. Embora bastante mais pequena na zona do assento, a versão Sport consegue conter dois capacetes debaixo do mesmo. Um engenhoso sistema flexível, permite que o espaço de arrumação aproveite a zona do curso da suspensão traseira para conter o capacete extra quando a scooter está estacionada.

_D4_1860

Difícil escolha

As novas C650 GT e Sport, receberam acertos a vários níveis, incluindo estéticos, mas foi na transmissão que as diferenças se revelaram mais notórias. Com uma profunda reformulação na relação entre a transmissão primária e a secundária, a resposta deste motor ao acelerador é muito mais directa. Aquele atraso na aceleração típico da grandes scooters, onde parece que o motor roda em “seco”, não se sente. A resposta é muito rápida, o que dá um prazer de condução e eficácia francamente superior. Entre as duas versões com caracteres distintos, a BMW consegue oferecer solução para diferentes tipos de clientes, os que procuram mais conforto e os que querem mais dinamismo. No caso da versão Sport temos uma maior ligeireza que beneficia claramente quem procura uma maxiscooter, mas quer agilidade para as voltas na cidade e nas saídas de fim de semana com os amigos mais “acelerados”. Já a opção GT é mais adequada para quem, embora queira a simplicidade de utilização de uma scooter, não irá ter “pressas” entre o trânsito mas quer beneficiar de todo o conforto e requinte nos passeios de fim de semana a dois.

Cores disponíveis C650 Sport:

Laranja ‘Valencia’ metal mate

Preto ‘Storm’ metal

Branco ‘ Light’

Cores disponíveis C650 GT:

Bronze ‘Fronzen’ metal

Preto ‘Storm’ metal

Branco ‘ Light’

Preço C650 Sport: €11,250

Preço C650 GT: €11,700

Mais informações e concessionários: Aqui

Text: Marcos Leal

0 0 vote
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas Ensaios
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x