CR MX Ribatejo, Cortelha: Hugo Santos e Martim Espinho vencem em MX1 e MX2

Por a 4 Maio 2022 22:15

O Motocross regressou à Cortelha no 1º dia de Maio para cumprir uma tradição algarvia de muitos anos e que arrasta multidões até ao interior da serra do Caldeirão.

No fim de semana mais de uma centena de pilotos aqueceram ainda mais o ambiente com muitas lutas e incerteza até ao final pelos melhores lugares da 3ª ronda do campeonato regional centro/sul MX Ribatejo.

65cc

Na classe mais nova em pista, as 65cc, só com a bandeira de xadrez se soube o vencedor final. Quatro pilotos lutaram para ganhar, mas no final Guilherme Gomes ocupou o 1.º posto após vitória suada na manga inicial e um 3.º na segunda manga onde um segundo separou os três primeiros colocados.

A partilhar vitórias esteve Francisco Fernandes ao conseguir suster os ataques dos oponentes na segunda manga, bem melhor que o 4.º posto obtido na manga inaugural devido a queda.

Apesar de ser o mais rápido nos treinos Duarte Pinto não foi além de terceiro, deixando atrás de si Gustavo Pitschieller que viu pequenos erros comprometer o resultado final. A completar o top 5 ficou Isaac Santos após duas mangas alheio a guerras e a possíveis erros.

85cc

Na classe 85cc, a disputar somente a segunda prova do ano, nove pilotos mostraram os seus dotes ao longo do percurso algarvio, destacando-se no final Gonçalo Cardoso depois de dominar durante todo o dia e onde nem mesmo uma queda na segunda manga, que o colocou a meio do pelotão, o afastou da vitória.

Pelos lugares seguintes foram muitas as lutas, mas no final o melhor foi sempre Bernardo Pinto ao ser 2.º em ambas as mangas, na frente do duo de Guilhermes que alternaram postos para serem terceiro e quarto respetivamente com vantagem para Rocha sobre o adversário Leandro.

A encerrar o top 5 tivemos Martim Vieira, ele que também se envolveu em algumas guerras e acabou por levar a melhor devido a melhor posição na segunda manga.

Clássicas e Femininas

A corrida que mais classes junta continua a ser a de Clássicas, Femininas, Livres e Modernas e na Cortelha tivemos meia grelha ocupada com vários pilotos locais a marcarem presença.

Se a primeira manga teve um dominador isolado, Nelson Agostinho, a segunda manga foi bem mais mexida com pilotos de várias classes a lutarem não só pelos melhores lugares, mas também pela vitória à geral conjunta.

Em termos de resultados Gerson Pinto deslocou-se do norte do país para ser o melhor não só em termos gerais como também na classe Clássicas onde levou a melhor sobre Jorge Pinela e Paulo Pereira, ambos empatados em pontos, mas com o segundo posto de Pinela na segunda manga a fazer a diferença.

Já na classe Feminina, Bárbara Nunes não deu qualquer hipótese à concorrência ocupando o lugar mais alto do pódio, deixando atrás de si Diana Murta e Dalila Nascimento nas posições seguintes.

Relativamente à classe Livres a regularidade de Fábio Paias valeu-lhe o triunfo final aproveitando da melhor forma os azares dos seus adversários, relegando Ivan Paixão para segundo e Rodrigo Simões para terceiro. Nota final para Nelson Agostinho que depois do domínio inicial abandonou a segunda manga na volta inaugural com problemas mecânicos e a ausência de pilotos da classe Modernas.

MX2

Como habitualmente a classe MX2 agregou igualmente os Juniores. Dominador nos últimos eventos nem uns arranques menos conseguidos impediram Martim Espinho de voltar a vencer embora a concorrência nunca tenha andado longe. Prova disso foi a primeira manga em que somente três segundos separaram 1.º e 2.º, cabendo este posto a Martim Palma.

Infelizmente para Palma bastante forte esteve também Pedro Rino que levou a melhor na geral por ter obtido melhor lugar na segunda manga, tendo assim o piloto da Yamaha que se contentar com o último lugar do pódio.

Sempre próximo a pressionar e à espreita de qualquer erro andou Jorge Leite não indo além do quarto posto na frente do campeão em título Luís Carreira. Em Juniores Espinho triunfou igualmente em 125cc adiante de Salvador Sampaio e Filipe Palma, cabendo a Martin Palma a vitória em 250cc na frente de Bernardo Santos e Rúben Ribeiro.

MX1

Entre os pilotos das classes MX1 e Pró, em termos globais, o vencedor foi André Sérgio após uma grande corrida em que nem uma queda coletiva na primeira curva o demoveu de triunfar.

De volta ao Algarve Hugo Santos seria 2.º mesmo depois de ter problemas mecânicos nas voltas finais da primeira manga quando era 1º, deixando atrás de si Ricardo Aires que mostrou o porquê de ser um dos principais candidatos ao triunfo na segunda manga ao vir de último até 4.º.

Separando por classes André Sérgio foi o vencedor da Pró face ao outro piloto presente Pedro Costa. Em MX1 nem problemas mecânicos nem arranques menos conseguidos (já referidos) impediram o público de assistir a boas lutas entre Hugo Santos e Ricardo Aires com vantagem para o 1.º, cabendo a Alexandre Cardoso o 3.º lugar depois de duas mangas em que rodou fora do alcance dos oponentes e logrou mesmo ser segundo na segunda manga o que o mantém na luta pelo título. A jogar em casa Nuno Palma e Rúben Sequeira seriam o quarto e quinto colocados respetivamente.

Os pilotos participantes ao Regional MX Ribatejo terão agora um pequeno período de descanso, com as corridas a regressarem somente no dia 17 de Julho à localidade da Carvoeira, próximo de Torres Vedras, numa das melhores pistas do nosso país. As lutas irão continuar pelo que convidamos todos a comparecer.

:.

(Fotos: Rúben Policarpo)

0 0 votes
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x