MotoGP, Opinião: Jorge Lorenzo em queda livre

Por a 21 Maio 2019 13:05

Começa, de certa forma, a gerar vergonha alheia o que sucede em cada fim de semana de Grande Prémio a Jorge Lorenzo face ao monólogo que o seu colega de equipa na Honda, de nome Marc Márquez, vem a protagonizar em MotoGP.

É aterrador o modo como um tricampeão do mundo de MotoGP, sim Lorenzo tem três títulos, está a ser engolido por um outro piloto, que leva no seu currículo cinco coroas mundiais da classe maior. Já não estamos perante uma pequena diferença entre os dois pilotos espanhóis, mas sim um abismo. É isto que separa os craques que de 2010 para cá comeram dos oito dos nove títulos em disputa (!) Daí a denominação de ‘Dream Team’, na imprensa especializada, quando foi anunciada a contratação de Jorge Lorenzo, por parte da Honda. Parece que foi há muito tempo, mas nem meio ano tem o início desta sinergia.

Agora é para um poço sem fundo que está a cair o piloto espanhol e que tem como consequência a degradação a todo o vapor da sua imagem no seio do MotoGP, competição onde é, apesar deste recente filme de terror, uma referência. Basta ver que em cinco Grandes Prémios já disputados, Lorenzo não conseguiu somar um único top 10. Parece mentira, mas é mesmo assim. Nem na Ducati, onde teve igualmente um início atribulado, as coisas correram tão mal. Ao quarto evento já tinha um pódio. A humilhação ganha ainda outros contornos quando vemos o homem de testes da Honda, Stefan Bradl, a conseguir um 10º lugar na sua única aparição em part-time esta época.

Bem se pode falar de azares, lesões, adaptação a uma nova moto e até de mau olhado, mas tudo isto está a ser penoso e a roçar o indigno. Não sabemos o que reserva o futuro, mas se as coisas continuarem assim Jorge Lorenzo vai chegar ao final da temporada reduzido a pó às mãos do insaciável Marc Márquez e com a sua permanência na Honda a gerar um intenso debate na mesa redonda japonesa. Aí não serão só rumores e todos nós já sabemos como funciona a mão de ferro de Alberto Puig, chefe de equipa.

Não é bonito, pois estamos perante um grande campeão e que terá, com carácter de urgência, ir buscar forças sabes-se lá aonde para salvar a cara. Guerrero é o seu apelido e é precisamente um guerreiro que terá de ser até ao final do ano, tal como já foi noutras situações da sua carreira onde conseguiu sair por cima.

4
Deixe um comentário

Please Login to comment
1 Comment threads
3 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
3 Comment authors
SNN81joaoJF Recent comment authors
recente antigo mais votado
JF
Membro
JF

Lorenzo vai cumprir o contrato com a Honda e vai regressar à Yamaha quando o Rossi for embora no ano que vem Lorenzo precipitou-se em sair da Ducati e cometeu o mesmo erro que o Rossi, sairam demasiado cedo da Ducati, e se a Ducati no tempo do Rossi nao era o que é hoje, no tempo de Lorenzo já era diferente, mas Rossi devia ter ficado mas a ansia de querer voltar a ser campeão do mundo levou-o de volta à Yamaha, mas a Yamaha está muito longe dos bons velhos tempos do Rossi e do Lorenzo, a mota… Ler mais »

joao
Membro
joao

a diferença é q o Çorenzo qd saiu da Ducati estava a ganhar e o Rossi nunca o consegiu fazer; ele não precisa de ir para a Yamaha para ganhar. Dêem-lhe mais algum espaço e logo irão ver. Quanto à electrónica, TOTALMENTE DE ACORDO

SNN81
Membro
SNN81

O Lorenzo para ganhar corridas, não precisa de ir para a Yamaha…mas para ganhar títulos(se é que vai ganhar mais algum), não vejo outra hipótese!

SNN81
Membro
SNN81

Excelente comentário…
O Crutchlow tinha toda a razão quando disse que a Honda era muito mais difícil de pilotar do que a Ducati…

últimas Moto GP
últimas Motosport
AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/logo.png