MotoGP, 2021, Qatar: Unidos para vencer é o lema da Suzuki

Por a 25 Março 2021 22:23

Após vários dias de testes bem sucedidos na pista de Losail, a equipa Suzuki sente-se pronta para a defesa do título conquistado em novembro do ano passado, isto após tomar a decisão de permanecer no Qatar no período de intervalo entre os testes e as corridas, como uma questão de segurança para diminuir o risco de infecção por Covid-19.

Joan Mir entra na corrida do próximo fim-de-semana – a primeira da temporada 2021 – determinado a defender a coroa de MotoGP com a Suzuki GSX-RR, mas o piloto de Maioca não dá nada por garantido, e está ciente dos desafios que tem pela frente. 

“É óptimo voltar às corridas depois das férias de Inverno! O Qatar é um circuito bastante bom para mim, e embora não tenhamos corrido aqui no ano passado (o GP acabou cancelado devido à pandemia) estou agora bastante familiarizado com o traçado após todos os testes e treinos que aqui fizemos. Estou pronto a dar tudo de mim para começar esta nova temporada da melhor forma e já entrei em contagem decrescente”

Alex Rins regressa em plena forma física para o início da temporada, depois dos problemas nos ombros o terem prejudicado ao longo de 2020. Apesar disso, Rins ainda alcançou um bom terceiro lugar na classificação do último campeonato, considerou positivos os testes realizados e está desejoso por dar início à sua quinta época na MotoGP. Em 2019, ficou em quarto no circuito do Qatar. “A atmosfera no Qatar é sempre espantosa; quando se vê o sol a pôr-se e todos os holofotes se acendem, sabe-se que é algo de especial! Toda a gente está pronta para lutar depois da época de defeso, por isso penso que a corrida será emocionante e sinto-me pronto! Cheguei aqui em 2019, mas gostaria de ir mais alto e apontar para um pódio”!

Toda a equipa da Suzuki Ecstar – pilotos incluídos – decidiu permanecer no Qatar entre o final dos testes oficiais e a primeiras corrida, uma escolha difícil que foi tomada com o objectivo de proteger e ser responsável. Recordamos que a temporada 2021 está agora oficialmente em curso, mas começou – como no ano passado – com restrições e modificações de calendário. Recordamos que a pandemia de Covid-19 já motivou o cancelamento dos Grande Prémios da Argentina e do Texas, assim como à anulação dos testes na Malásia que tradicionalmente dão início a cada nova época.

9 DIAS NO QATAR APÓS OS TESTES OFICIAIS

Em vez disso, as equipas tiveram nove dias de folga antes da primeira corrida, também em Doha, mas a equipa Suzuki decidiu não regressar a casa e permanecer no Qatar, a fim de minimizar o risco de contágio para si ou para os outros.

Pedi a toda a equipa que considerasse ficar no Qatar entre os dias de teste e as corridas, para evitar qualquer risco de infecção pelo vírus Covid-19 enquanto viaja e fica em casa com amigos e famílias”, disse Shinichi Sahara, Chefe de Projecto e Director de Equipa. “Todos eles aceitaram, incluindo os pilotos, e isto deixa-me muito orgulhoso do grupo que somos. Quando fiquei a saber que seríamos a única equipa a ficar no Qatar, incluindo os pilotos, pensei: ‘uau, devia estar orgulhoso do meu povo’ e talvez estejamos a provar mais uma vez que somos a equipa mais unida, uma vez que enfrentamos esta situação difícil todos juntos, como um grupo e uma família fortes”.

“Decidi permanecer no Qatar como um acto de responsabilidade, no que diz respeito ao risco de infecção durante a viagem, tanto para nós como para os outros”, começou por dizer Joan Mir. “Quero proteger-me e proteger os meus entes queridos, mas também a minha equipa que está a fazer esforços para iniciar a época da melhor forma. Não me sentiria à vontade em casa com os meus amigos e família sabendo que a minha equipa e toda a equipa está no Qatar com limitações e sacrifício. E além disso, temos sorte porque estamos alojados num hotel muito agradável e estamos a ser muito bem tratados”.

A CUMPRIR AS RESTRIÇÕES

A equipa também desfrutou de algumas actividades alternativas, tais como karting, ciclismo, e dias de pista em mini-motos, juntamente com um treino mais estruturado: “Ficar longe de casa é um esforço para todos nós, por isso tentámos aproveitar o tempo o melhor que podemos. Não nos é permitido sair do nosso hotel ou visitar os espaços comuns do hotel, uma vez que estamos na bolha do MotoGP, pelo que a minha rotina foi bastante baseada nas instalações que temos à nossa disposição: comida no restaurante, ginásio no hotel, e algum treino com mini-motos no circuito”, disse Alex Rins.

O ‘sistema de bolha’ do Qatar impediu a equipa de sair do hotel, excepto para ir ao circuito. A refeição e as atividades tinham de ser feitas em áreas especialmente designadas do hotel onde o público não tem acesso, de modo a que os membros da equipa corram o menor risco de contrair o vírus. Como contrapartida a este isolamento, a Dorna e o governo do Qatar fizeram um enorme esforço para fornecer a vacina Pfizer à equipa e aos membros do paddock. As primeiras vacinas já foram administradas àqueles que as solicitaram, e a segunda dose será dada antes da Corrida 2 em Losail.

O piloto de testes Silvain Guintoli foi um dos mais ativos nos testes em Losail

Losail, nos arredores da capital do Qatar, Doha, é um circuito único devido à sua localização no deserto e às espetaculares corridas nocturnas. As luzes brilhantes que iluminam a pista tornaram-se sinónimo de um início de temporada emocionante desde 2007… veremos como se vão iluminar para a Suzuki Ecstar, já a partir de amanhã sexta-feira com os treinos livres para o GP do Qatar. 

0 0 vote
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas Autosport
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x