MotoGP, 2021, Le Mans: Hervé Poncharal em entrevista, II

Por a 21 Maio 2021 19:34

O gestor da KTM Tech3 fez um ponto da situação depois do GP de França e concluiu passando pela presença em Moto3 e MotoE

“Não é surpreendente ver os pilotos a sair da Moto3 e depois muito rapidamente subir ao MotoGP e serem logo competitivos.”

“Na Moto3, pelo nosso segundo ano, mantivemos os mesmos pilotos do ano passado e demos claramente um bom passo em frente. Vimos o nosso piloto japonês, Ayumu Sasaki, fazer um grande começo.”

“Normalmente não faz qualquer progresso à chuva, mas aqui estava imediatamente no grupo certo e era muito agressivo em condições de pista difíceis. Entrou no carro certo e aguentou no grupo da frente.”

“Por outro lado, o Deniz Öncü, que teve uma corrida magnífica e magistral em Jerez, mesmo que não tenha terminado, estava muito menos à vontade no início da corrida. Teve um ou dois sustos na primeira volta, quando é preciso ter a sensação certa e confiança na chuva.”

“Nas primeiras 10 voltas, ele simplesmente não estava no ritmo. No entanto, por razões que ainda não conhecemos, porque estas são condições especiais e é muito mental andar à chuva, tivemos a impressão de que ele não era o mesmo piloto, ou que tinha sido picado por uma vespa, a partir de aproximadamente o meio da corrida: ele rodou incrivelmente bem e definiu a melhor volta da corrida em cada volta.”

“Enquanto todos estavam nos mesmos pneus, começou a recuperar cerca de três segundos sobre os líderes, o que lhe permitiu voltar aos pontos e terminar nos calcanhares de Acosta na nona posição.”

“Sabemos que o Deniz pode ganhar corridas: nas últimas três corridas, Portugal, Jerez e Le Mans, ele tem o segundo tempo de corrida mais rápido.”

“Ainda não está a dar frutos, mas vai dar frutos um dia, e quanto a Sasaki, ele ainda está a cinco pontos do segundo lugar na classificação geral, por isso está a fazer um grande começo de campeonato, e para além do acidente da última volta quando estava a liderar a primeira corrida no Qatar, ele só fez bons desempenhos e avançou realmente desde o ano passado, como o Öncü. Então porque não considerar ganhar nas próximas corridas?”

“O bom da Moto3 é que o campo está agora muito equilibrado entre todas as motos, entre todas as equipas e entre os dois fabricantes, que são a Honda e a KTM. Estamos numa categoria muito difícil, muito excitante mas soberba! Aprendemos tanto!”

“Não é surpreendente ver os pilotos a sair da Moto3 fazendo o que Raúl Fernández fez nas suas primeiras corridas de Moto2, e depois muito rapidamente fazendo o que Jorge Martin fez ao passar pela Moto2 muito rapidamente antes de subir ao MotoGP e ser logo competitivo.”

“A Moto3 é realmente uma categoria maravilhosa e encontrámos a receita técnica para preparar um motor de 250, originalmente de TT, com um pequeno chassis à sua volta com muitas restrições técnicas e pouco desenvolvimento para tornar o custo financeiro aceitável. Temos realmente uma grande categoria de entrada no mundial!”

“E depois, também estou muito feliz pela MotoE, porque tive feedback de pessoas que assistiram à corrida na televisão em Le Mans, e foram levadas pelo programa. Porque são motos pesadas, motos que não dão muitas voltas, mas penso que foi um grande espetáculo em Le Mans.”

“Tivemos o nosso piloto Lukas Tulovic que foi terceiro durante muito tempo antes de ficar um pouco de fora na luta da última volta, em que foi um pouco contra o outro e terminou em último do grupo a menos de um segundo do vencedor. O Corentin Perolari, depois de um fim-de-semana complicado em Jerez, terminou em nono, o que também é muito bom. “

0 0 vote
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas Autosport
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x