MotoGP, 2021, Doha: Bagnaia quer liderar outra vez

Por a 2 Abril 2021 12:00

De repente, estamos de volta a Losail para a 2ª ronda de MotoGP de 2021. Com os seis primeiros classificados do último domingo a anteciparem uma Ronda imprevisível, Bagnaia espera gerir melhor o pneu traseiro para ser mais competitivo no final

“Sabemos que esta pista é boa para nós, mas também é boa para outras marcas.”

O terceiro classificado no Qatar, Bagnaia, fez exatamente isso em Misano o ano passado. Um primeiro pódio em MotoGP surgiu no GP de San Marino, e Pecco parecia pronto a vencer o GP de Emilia Romagna a seguir mas não o fez.

Tanto ele como Zarco esperam gerir melhor os pneus traseiros para que possam lutar nos instantes finais, mas a dupla não está preocupada em não ganhar numa pista que é um terreno privilegiado da Ducati.

Bagnaia concorda com o seu colega da marca de Bolonha. “Penso o mesmo. A Yamaha e a Suzuki têm sido quase tão competitivas como nós. Na primeira parte da corrida fomos muito competitivos, abrindo um intervalo, e só estávamos a perder tempo na aceleração, o que nos custou a corrida, mas para mim não temos de nos preocupar. Sabemos que esta pista é boa para nós, mas também é boa para outras marcas.”

“Temos a possibilidade de ganhar, com certeza, mas temos a possibilidade noutros circuitos, como vimos no ano passado. Às vezes, eu estava em dificuldade e o Johann e o Jack eram rápidos, às vezes eu era rápido e os outros pilotos estavam a lutar com dificuldades. Sabemos que o pacote é muito competitivo e ganhar ou estar entre os três primeiros é muito possível. O grande objetivo deste ano é ser competitivo e constante em todas as situações e em todos os circuitos.”

Antes disso, porém, Pecco abordou a sua corrida ao máximo e o ritmo geral foi oito segundos mais rápido do que em 2019. Bagnaia nota ainda que o aumento do ritmo do GP de San Marino para o GP de Emilia Romagna foi de meio segundo, apoiando o ponto de Viñales.

“Acho que se voltar a fazer a primeira curva à frente tentarei fazer o mesmo. Nestes dias, perguntava-me se era melhor gerir os pneus com um ritmo mais lento, mas se pensava em ir devagar, os pilotos da Yamaha e os pilotos da Suzuki estavam a ultrapassar-me e a ir embora. Olhando para o resultado de há dois anos, fomos mais rápidos 8 segundos. Portanto, o ritmo foi forte e muito exigente para o pneu traseiro, o vento também estava a empurrar-nos para longe e a única maneira de virar a moto era com a traseira”, disse Bagnaia.

0 0 votes
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x