MotoGP, 2020: Rossi espera melhor em 2021

Por a 13 Dezembro 2020 14:00

Valentino Rossi fala sobre as circunstâncias difíceis e o calendário alterado pela pandemia de Covid em 2020, bem como as suas esperanças para o Mundial de MotoGP de 2021

“Chegámos a alguns locais na altura errada: às vezes era demasiado quente, como em Jerez, outras vezes estava muito frio, por exemplo em Le Mans!”

“Não esperava que a pandemia de Corona mudasse tanto o Campeonato do Mundo no início da temporada”, admitiu Valentino Rossi em retrospetiva. “Foi difícil, foi uma época muito complicada. Nesta situação tudo se torna difícil, especialmente as viagens, tudo foi difícil.

Também só andámos em algumas pistas, mas muitas vezes duas vezes seguidas. E chegámos a alguns locais na altura errada: às vezes era demasiado quente, como em Jerez, outras vezes estava muito frio, por exemplo em Le Mans. No entanto, tínhamos os mesmos pneus de sempre. Foi difícil de lidar com isso.”

“Devo dizer que tem sido uma época difícil para todos. E as circunstâncias tiveram impacto no Campeonato do Mundo”, foi a conclusão do piloto da Yamaha do calendário de emergência de 2020: o início da classe rainha só foi dado a 19 de Julho em Jerez, seguido de mais 13 Grandes Prémios em quatro meses, mas apenas em nove pistas.

O calendário provisório para a próxima temporada, por outro lado, volta a basear-se nas datas e locais habituais. No entanto, todas as nomeações devem ser vistas com reserva, uma vez que dependem do desenvolvimento da pandemia e das decisões correspondentes das respetivas autoridades.

“Espero, mas também acredito que no próximo ano será melhor”, diz o “Dottore” confiante. “Na minha opinião, a chave é organizar as corridas na Europa na data clássica, Jerez em Maio, Catalunha em Junho… Espero que, pelo menos no próximo ano, as corridas europeias se realizem em diferentes pistas e na altura certa. Se acontecer assim, seria um Campeonato do Mundo com um bom nível. Talvez seja um pouco mais difícil viajar para fora da Europa. Mas só veremos no próximo ano.”

O Italiano de 41 anos ficou contente por a temporada de 2020 ter passado à história depois de 14 corridas

“Se tivesse havido mais corridas, talvez em pistas de que gosto, porque este ano muito da temporada teve lugar em pistas que não são realmente as minhas preferidas, eu estaria pronto”, disse o já vencedor de 115 GP, que marcou sete zeros este ano e acabou apenas no 15º lugar do Campeonato do Mundo, o seu pior resultado de sempre, depois de danos no motor e um problema de eletrónica, bem como três quedas de corrida em série e ainda um afastamento por Covid.

Claro, muitos já odeiam 2020. Já se falou muito em Itália sobre o velho ditado de que um ano bissexto traz desastres. E tudo foi na direção errada desde o início. Mas não sei… Esperemos que

0 0 vote
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas Autosport
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x