MotoGP, 2020, Portimão: LCR diz adeus a Crutchlow

Por a 27 Novembro 2020 15:00

Cal Crutchlow terminou a sua carreira como regular de MotoGP no último fim de semana e despediu-se da Honda LCR.

“Cal foi o piloto mais importante da história da equipa ” Lucio Cecchinello

Depois de três anos na Yamaha Tech3 e uma temporada na Ducati, Cal Crutchlow juntou-se à Honda LCR em 2015.

Já na terceira corrida na RC213V foi terceiro no pódio na Argentina.

Em 2016, ele e a equipa de Lucio Cecchinello venceram o seu primeiro MotoGP no GP de Brno, o primeiro britânico a vencer na classe rainha depois de Barry Sheene em 1981.

Cal também alcançou o seu segundo sucesso em 2016 em Phillip Island, e o terceiro em 2018 na Argentina.

O homem de família, de 35 anos, subiu ao 12º e último lugar do pódio em cores LCR no GP da Austrália de 2019.

A temporada encurtada de 2020 transformou-se então numa viagem de azar para Crutchlow: clavícula partida em Jerez, cirurgia a uma tendinite e outra operação, já para não falar da lesão aos ligamentos numa queda no paddock do GP da Catalunha.

O britânico Campeão de Supersport de 2009 falhou as duas corridas em Misano, terminando a sua última temporada como piloto regular apenas no 18º lugar do Campeonato do Mundo, antes de ser contratado como piloto de testes de MotoGP da Yamaha no próximo ano.

O facto de ter de abandonar o seu lugar na equipa cliente da Honda para Alex Márquez já tinha sido confirmado antes do atraso no início da temporada.

O espumante ainda estava ao alcance no final da temporada em Portimão, porque a equipa LCR não resistiu em deixar o veterano participar.

Cecchinello em particular achou difícil dizer adeus, “porque Cal foi definitivamente o piloto mais importante na história da equipa LCR Honda. Passou a maior parte do ano connosco, por isso faz parte da nossa família.”

Claro que os sucessos também desempenham um papel importante: “Cal deu à LCR três vitórias esmagadoras e um total de 12 lugares no pódio. Também conseguimos apoiar a Honda e contribuir com pontos para o Campeonato do Mundo de Construtores e ganhámos em 2016 na classificação de ‘Melhor Equipa Independente’. O que o Cal fez pela equipa da LCR Honda é simplesmente extraordinário”, sublinhou o dono da equipa italiana.

“Durante estas seis temporadas juntos, também vivemos momentos difíceis, dificuldades e lesões… Mas tudo isto faz parte deste desporto incrível, que também nos dá muitas emoções, felicidade e adrenalina. Por outro lado, claro, também há dores de cabeça, medos, stress”- confessou Cecchinello. “Se tudo fosse sempre plano e perfeito, não gostávamos tanto do nosso trabalho no final. Acho que é por causa destas emoções e desta mistura de sentimentos que adoramos o MotoGP.”

Para dizer adeus, o presidente executivo da LCR acrescentou: “Cal Crutchlow fará sempre parte da nossa família. Desejamos-lhe o melhor para o seu futuro profissional e a sua vida privada com a Lucy e Willow.”

0 0 vote
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas Autosport
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x