MotoGP, 2020, Portimão: Brivio fala na Conferência dos Construtores

Por a 6 Dezembro 2020 15:00

No último Grande Prémio da temporada de MotoGP de 2020, representantes dos seis fabricantes envolvidos na classe rainha falaram à imprensa reunida em Portimão, a fazer um balanço da temporada. Davide Brivio da Suzuki foi o primeiro

“Em quatro ocasiões tivemos os nossos dois pilotos no pódio”

Davide Brivio, (Team Manager da Suzuki Ecstar), um gestor de equipa feliz cuja equipa Suzuki Ecstar conquistou o título de campeão do mundo de 2020 com Joan Mir ainda antes da última corrida em Portugal, falou primeiro.

“Tem sido um grande ano para nós. Não começámos muito bem e não conseguimos pontos com os dois pilotos na primeira corrida, mas depois começámos lentamente a recuperar. A volta aconteceu na Áustria quando Joan subiu ao pódio!”

“Depois reforçámos a nossa consistência e estávamos lá: o Joan ganhou o campeonato no fim-de-semana anterior, ainda estivemos a lutar pelo segundo lugar com o Alex Rins, o que é muito bom e muito positivo. Estou muito feliz e também estivemos a lutar com a Ducati pelo título de construtor. Assim, chegar à última corrida com os nossos principais objetivos alcançados é bom, e o que também nos deixa felizes e orgulhosos é que conseguimos duplos pódios várias vezes.

“Em quatro ocasiões tivemos os nossos dois pilotos no pódio, e é um bom sinal que mostra como os nossos pilotos estão a ficar fortes e as nossas motas estão a ter um bom desempenho. Então, sim, claro, estamos felizes!”

“Muitos pilotos ganharam corridas e a Yamaha ganhou mais corridas do que qualquer outra marca, mas nós conseguimos manter-nos consistentes, estivemos 11 vezes no pódio com os dois pilotos. Tem sido uma época estranha. Na minha opinião, também foi um pouco diferente, pois tivemos muitas vezes três corridas seguidas, quando não estávamos habituados, (…) e as corridas duplas no mesmo circuito mudaram um pouco o jogo em comparação com o que costumávamos fazer: Quando se chega à primeira corrida, temos de adaptar a moto rapidamente, depois na segunda, normalmente, a competição é ainda mais difícil. Isto é algo que tornou esta temporada diferente do normal.”

“Já falámos muito sobre uma equipa satélite para o ano. De um certo ponto de vista, pode-se pensar que não é necessário porque ganhámos o título, mas os nossos engenheiros não concordam com isso (risos) porque na pista sentimos que precisamos de ter mais informação. Em algumas situações, dois pilotos não são suficientes, especialmente dependendo das condições meteorológicas, quando só se pode ter algumas sessões a seco, tendo mais motos traria mais informações. Por isso, para nós, é mais difícil do que para outros fabricantes.”

“Dito isto, gostaríamos de o fazer: Como equipa de fábrica, gostaríamos de ter uma equipa satélite para obter e partilhar mais informações, mas este projeto precisa de obter a aprovação da marca geral. Isso é algo que se está a passar, mas como o objetivo é fazê-lo em 2022, temos de decidir no início de 2021, digamos, no máximo em Março ou Abril, ter tempo para nos organizarmos. Ainda estamos a trabalhar nesse sentido e ainda não tomámos nenhuma decisão.”

0 0 vote
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas Autosport
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x