Moto3, San Marino: Sem tréguas na Riviera

Por a 8 Setembro 2020 15:00

O pelotão da classe leve, sempre uma garantia de caos em pista, desce sobre Misano, com a grelha toda a apontar para o líder Arenas mais uma vez como o homem a abater

A Áustria deu-nos mais duas corridas de reter o fôlego na classe dos pesos-leves, e não esperávamos menos. Agora, a grelha de Moto3 está pronta para voltar à ação para o Grande Prémio Lenovo di San Marino e della Rivieira di Rimini, e podemos ter a certeza de que será mais um espetáculo incrível, uma vez que a grelha tenta juntar-se novamente na perseguição a Albert Arenas (Pull&Bear Aspar Team). O espanhol continua firme no comando provisório da classificação, e ainda é o favorito, cortesia da sua impressionante forma de 2020 e manobras inteligentes que lhe deram a primazia até agora.

Da última vez, Arenas não levou tudo à sua maneira e não conseguiu subir ao pódio. O homem mais próximo dele nos pontos, no entanto, é Ai Ogura (Honda Team Asia, 79 abaixo) que vai apontar para um regresso e repetir na Riviera di Rimini enquanto tenta recuperar a diferença. Consistente no sentido mais verdadeiro da palavra, o piloto japonês não coloca um pé, ou roda, errados há muito, muito tempo, e continua a somar pódios. Uma primeira vitória ainda não o bafejou, mas certamente só pode ser uma questão de tempo, e ele terá de equilibrar a pontuação e vencer Arenas com esse instinto de ataque na última volta para vencer a qualquer custo…

John McPhee (Petronas Sprinta Racing), em terceiro lugar na geral, também tem conseguido algum equilíbrio. Ainda há muitos pontos em jogo em 2020, apesar da época condensada, e o britânico vai procurar um regresso ao topo e resolver o tipo de erro que o viu morder o pó no GP da Estíria. McPhee já voltou a ascender antes, e é um veterano e um vencedor comprovado, por isso não pode ser eliminado da contabilidade.

O contingente italiano está ansioso por alguma glória caseira em Misano, e as suas fileiras são lideradas pelos dois primeiros classificados do GP da Estíria: o vencedor estreante em Moto3 Celestino Vietti (Sky VR46) e o vice-campeão Tony Arbolino (Rivacold Snipers). Vietti tem sido um candidato ao pódio desde a sua estreia, literalmente, e uma vitória parece uma questão de tempo, mas reforçaria a confiança do impressionante italiano. Assim como mais um pódio para Arbolino, à medida que ganha alguma tração em 2020…

O vencedor do ano passado pode ser tido também como um dos homens da frente: Tatsuki Suzuki (SIC58 Squadra Corse). Foi uma primeira vitória emocional para o piloto e equipa na pista batizada com o seu nome o ano passado, e isso vai aumentar a sua confiança depois de um par de corridas mais difíceis após a sua vitória no GP Andaluz.

Raul Fernandez (KTM Red Bull Ajo), Gabriel Rodrigo (Kömmerling Gresini), Jaume Masia (Honda Leopard) e o seu companheiro de equipa Dennis Foggia, outro vencedor estreante em 2020, vão tentar combatê-lo nos escalões superiores, juntamente com a agora consistente ameaça no dia de corrida, Darryn Binder (CIP Green Power). E que dizer de Niccolo Antonelli (SIC58 Squadra Corse) e Romano Fenati (Sterilgarda Max), veteranos, e este último um vencedor na pista? Podem dar o máximo em território caseiro?

O ritmo da KTM Red Bull Tech 3 também poderia surpreender, já que tanto Ayumu Sasaki como Deniz Öncü desempenharam grandes papéis nos comboios de Moto3 na Áustria e na Estíria… antes de por um azar terrível Öncü abalroar o seu companheiro de equipa e ambos ficarem de fora. Misano dá-lhes mais duas hipóteses de chegar lá na batalha pela supremacia nas Moto3.

0 0 vote
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas Autosport
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x