MotoGP, 2020: Pol Espargaró o mais rápido das KTM

Por a 21 Novembro 2019 16:30

O teste de pré-temporada de MotoGP de 2020 chegou ao fim e várias equipas tiveram a sua parcela de desempenhos dignos de nota, incluindo a KTM Red Bull. A equipa passou por dois dias rentáveis de testes no circuito Ricardo Tormo, em Valencia, e Pol Espargaró conseguiu definir o 8º melhor tempo do teste com a nova configuração da sua KTM RC16 de fábrica.

Tanto a KTM Red Bull Factory Racing como a equipa irmã KTM Red Bull Tech3 fizeram pleno uso do programa de testes em Valencia. Além de Espargaró, o novo companheiro de equipa Brad Binder também se familiarizou com as novas máquinas de MotoGP e foi o 22º mais rápido. O piloto de testes Dani Pedrosa ficou em 14º lugar, enquanto o novato da Tech3, Iker Lecuona, que já experimentara a RC16 na última corrida da temporada, ficou logo atrás em 15º. Miguel Oliveira, ainda a convalescer da recente cirurgia aos tendões do ombro esquerdo, não participou do teste.

Aqui está o que os pilotos tiveram a dizer sobre o programa de testes.

Pol Espargaró: “No geral, foram dois dias bons, com muitas informações recolhidas sobre a eletrónica para os funcionários da fábrica e os técnicos de chassis, que foram bastante positivas. Claro que, quando já estamos tão próximo do topo, é difícil evoluir muito nos tempos. Hoje, (ontem) voltamos a concentrar-nos na ciclística e testamos uma evolução. Quando cai na moto com o quadro de ontem, mudámos imediatamente para o novo e foi muito bom, nem acreditava que umas voltas depois fiz logo um 1:30,6. Estou super contente; ter um segundo chassis como este, a funcionar imediatamente, significa que sabemos o que estamos a fazer, o que é tão importante. Estamos “a tocar no botão” e a melhorar os nossos pontos mais fracos. Agora vamos a Jerez e vamos ver o que está a acontecer por lá e se podemos permanecer ao mesmo nível de Valencia ”, diz Espargaró, citado no site da KTM Factory Racing.

Brad Binder: “Foram dois dias excelentes e completamente diferentes do que eu esperava. Desde a primeira volta, foi como um outro mundo. Estava à espera de me sentir melhor a cada volta, mas depois voltei à forma como pilotava a minha Moto2, que não funciona! A quantidade de potência na moto de MotoGP é inacreditável. É incrível ver os dados do Pol, algumas das coisas que ele está fazendo são uma loucura. Eu tenho muito que aprender, analisar o que posso mudar para Jerez a seguir. É principalmente apenas nas trajetórias e a maneira como se pega na moto à saída das curvas. Trabalhar com a nova equipa foi incrível, não há pressão, eles são super calmos. Querem que eu melhore ao meu próprio ritmo. Eu tive um pequeno acidente no final, mas fora isso tudo esteve muito bem. Mais velocidade chegará com o tempo e quando eu encontrar maneira de ter mais confiança na moto.”

Iker Lecuona: “Agora tenho mais dois dias na moto, aqui em Valencia. No geral, foi muito agradável andar com a moto, a minha sensação ficou muito melhor. Até melhorei o tempo da minha volta em comparação com a qualificação no Sábado. Sei que ainda preciso de continuar o meu trabalho e adaptar muito mais o meu estilo de pilotagem. Para o próximo teste em Jerez, quero mudar mais algumas coisas em relação ao ângulo de inclinação e à posição do meu corpo. Nas travagens, eu já me sinto melhor e também com a eletrónica, mas ainda há muito a fazer do nosso lado.

Mike Leitner, KTM Red Bull Team Manager “Estamos muito contentes com o teste, a posição conseguida e o trabalho que fizemos. Precisávamos desse tempo em pista e com coisas novas sem a pressão de fazer tempos por volta como numa corrida. Os nossos quatro pilotos passaram pelos seus respectivos programas e fomos na boa direção. Pol já está a trabalhar com a moto do ano que vem – o primeiro protótipo que Dani usou neste verão – e o próprio Dani continuou a trabalhar com essa versão. Iker e Brad usaram a última especificação de 2019 para se habituar à moto e havia muito a aprender. Podemos ver que a velocidade está a chegar, mas eles precisam de perceber como tudo funciona, familiarizar-se com os pneus e os componentes da eletrónica. Tivemos sorte com dois dias secos aqui e esperamos poder continuar em Jerez. Mais uma vez, quero agradecer a todos da fábrica por todo o esforço e trabalho duro para nos levar a este ponto. Vamos continuar pressionando.”

Sebastian Risse, Diretor Técnico MotoGP: “Como todos os anos, o começo de uma nova época é um momento emocionante para nós, como equipa e como engenheiros. Tínhamos muitas peças novas aqui, talvez 30% do que precisamos validar antes do final do ano e já conseguimos fazer isso. Temos virtualmente uma nova moto, um novo pacote, com diferentes partes a serem testqadas juntas pela primeira vez. Estamos trabalhando nisso com o Dani e o Pol e também há opções em que temos que decidir ‘A’ ou ‘B’ e ver se elas funcionam tão bem como a antiga peça: é aí que poderíamos envolver um pouco mais os nossos novos pilotos, mas geralmente tentamos mantê-los o mais livres possível para focar na condução e no entendimento da moto. No geral, foi um teste realmente bem-sucedido e estamos felizes com o que temos para a nova moto. O Pol foi rápido e muito consistente. Ainda estamos no ponto em que temos que explorar este pacote, por isso temos que continuar a puxar e a ajustar as afinações. Ainda temos que decidir sobre muitas peças e esperamos fazer isso em Jerez e no resto em Sepang já no próximo ano.”

Deixe um comentário

Please Login to comment
Ensaios
últimas MotoGP
últimas Motosport
Motomais