MotoGP, Qatar- Michelin pronta para a nova época

Por a 6 Março 2019 13:07

A Michelin está pronta para o GP do Qatar, mas como é a atribuição de pneus para os pilotos de MotoGP para a primeira jornada? Depois de meses de preparação e testes em França, na Malásia e, mais recentemente, no Qatar, a borracha da Michelin vai finalmente ter o seu primeiro sabor de ação competitiva neste fim de semana, sob os holofotes do Circuito Internacional de Losail.

Como o Grande Prémio do Qatar é a única corrida noturna no calendário de 19 eventos do Campeonato do Mundo de MotoGP, cria um ambiente único para as equipas gerirem e problemas específicos para os fornecedores de pneus – a Michelin na MotoGP e a Dunlop nas outras classes.

A areia do deserto pode facilmente depositar-se na superfície, tornando a pista ao mesmo tempo escorregadia e abrasiva, o que tem um efeito pronunciado na vida útil do pneu. Enquanto as temperaturas caem ao anoitecer, o orvalho pode começar a formar-se na pista e nos corretores, o que significa menos aderência disponível.

Todas as 11 equipas do MotoGP terão uma quota de pneus Michelin de fim-de-semana de misturas macias (faixa branca), médias (sem faixa) e duras (faixa amarela) para a frente e para trás. O pneu dianteiro terá um design simétrico, no entanto, a curva 2 do Qatar é um dos principais pontos críticos do circuito, com muitos pilotos a escorregar de frente nas travagens ao longo dos anos.

Mais notavelmente e recentemente, o francês Johann Zarco, da KTM Red Bull, perdeu a liderança da corrida de estreia na complicada esquerda.Já o pneu traseiro terá um acabamento assimétrico, com o lado direito mais duro que o esquerdo para oferecer um ótimo desempenho e duração máxima através das 10 curvas para a direita e 6 para a esquerda do circuito.

Mudanças nos compostos para 2019 incluem um novo composto duro dianteiro e um novo traseiro mais macio. O pneu traseiro é um dos pneus de nova tecnologia que a Michelin adicionou à gama e foi concebido para proporcionar maior consistência e melhor aderência.

Além disso, se levarmos em conta o clima húmido, compreende-se que também haja compostos leves e médios para a frente e traseira disponíveis. A Michelin tem os recordes de volta e corrida do Circuito Internacional de Losail, e com a introdução de um pneu traseiro novo e melhorado, espera-se que os tempos de volta no deserto sejam quentes.

Diz Piero Taramasso, gerente de duas rodas da Michelin Motorsport: “

 “Tivemos um período de pré-época muito bem-sucedido, pois introduzimos alguns novos compostos de slicks que temos vindo a desenvolver e os pilotos ficaram muito satisfeitos com a performance, logo, eles foram adicionados à gama de 2019. São pneus mais voltados para as pistas europeias, mas também os adicionamos à alocação em Losail, pois acreditamos que eles são ideais para o que essa gama tem a oferecer.”

“Estamos ansiosos por começar a nova temporada, há novos pilotos, motos e ­­equipas que mudaram de marca, por isso há uma enorme quantidade de variáveis para todos os nossos técnicos trabalharem. Estamos prontos para o desafio e todos estão prontos para voltar ao ambiente de corridas.

“Losail tem sido uma boa pista para a Michelin desde que voltámos, apesar de ser um circuito único com exigências específicas, por isso estamos determinados a puxar o desempenho novamente este ano, como planeamos fazer em todas as pistas que visitamos.”

Deixe um comentário

Please Login to comment
últimas Moto GP
últimas Motosport
AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/logo.png