MotoGP, Grã-Bretanha, Corrida: Francesco Bagnaia vence após as férias

Por a 7 Agosto 2022 13:47

Francesco Bagnaia (Ducati Lenovo Team) venceu a animada corrida do GP da Grã-Bretanha. A Ducati conseguiu colocar as suas duas motos no pódio, com Jack Miller (Ducati Lenovo Team) no terceiro lugar, mas Maverick Viñales (Aprilia Racing) foi um bom adversário dos pilotos da equipa italiana, tentando inclusivamente ultrapassar Bagnaia na fase final da prova britânica.
Viñales foi o piloto mais rápido na fase final da corrida, que contou ainda com a liderança inicial de Johann Zarco (Pramac Racing), mas o piloto da Pramac caiu e não conseguiu levar o seu esforço até ao fim da prova.
Miguel Oliveira (Red Bull KTM Factory Racing) terminou no sexto posto, depois de ter arrancado do 13º posto da grelha de partida.

Destaques:
Francesco Bagnaia tem de receber o maior destaque da primeira corrida após as férias de verão, porque conquistou a vitória. O piloto italiano ultrapassou com alguma facilidade o seu companheiro de equipa, Jack Miller e ficou apenas com Àlex Rins pela frente, sendo mais rápido do que o piloto da Suzuki em poucas voltas. Venceu com justiça.
No entanto, Maverick Viñales esteve muito forte na corrida. Ainda teve alguns problemas deixar Jorge Martin para trás, mas depois de o ter feito definitivamente, num curto espaço de tempos chegou à traseira da Ducati de Jack Miller. Ultrapassado o australiano, Viñales estava num ritmo tão forte que rapidamente atacou a liderança de Bagnaia. Não teve muitas oportunidades, em parte porque os seus pneus já não o permitiam e porque já não tinha muito tempo para o fazer. Além de Bagnaia não ser um piloto fácil de ultrapassar. Uma corrida muito consistente e que fez sonhar o piloto com a sua primeira conquista com a Aprilia.
Enea Bastianini, a partir de meio da corrida, sensivelmente, apresentou um ritmo muito alto e conseguiu ultrapassar vários adversários sem lhes dar oportunidade para de defenderem ou responderem às ultrapassagens. Terminou a corrida num belo quarto lugar, a apenas 1.651s do vencedor.
Miguel Oliveira também esteve em grande evidência, principalmente perto do final da corrida. Desde o início da corrida manteve-se dentro do top 10, após um bom arranque, e quando os seus adversários passavam por algumas dificuldades com os pneus, Oliveira conseguiu chegar ao sexto lugar final. A ultrapassagem definitiva ao líder do campeonato, Fabio Quartararo é muito boa e uma das melhores da corrida.
Do lado oposto, com um desempenho uns furos abaixo do esperado, estiveram Fabio Quartararo e Aleix Espargaró, por razões completamente diferentes. Enquanto Espargaró estava ainda queixoso após a violenta queda sofrida nos treinos e não aguentou o ritmo imposto pelos pilotos da frente, Quartararo não conseguiu recuperar posições após ter cumprido a penalização da ‘long lap’. Não foi um bom regresso do piloto francês após uma fase muito boa antes das férias. No campeonato não sofrerá muito porque Espargaró terminou em posições ainda mais atrasadas.
O azar bateu à porta de Johann Zarco. O piloto da Pramac liderou as primeiras voltas, mas a queda sofrida sozinho, fê-lo desistir da corrida e não poder disputar o resto da prova.

Filme da corrida:
Johann Zarco arrancou melhor do que a concorrência, enquanto Fabio Quartararo (Monster Energy Yamaha MotoGP) assumiu o segundo lugar da classificação nos primeiros metros da corrida, com Jack Miller no terceiro posto. Miguel Oliveira chegou ao décimo posto ainda antes da primeira passagem pela linha de meta.
Com Quartararo e Zarco na frente com cerca de 0.4s sobre o restante pelotão, o piloto da Yamaha tinha ainda de cumprir uma penalização de ‘long lap’. Enquanto isso, Jack Miller tentava recuperar algum terreno para Quartararo, pressionando o piloto francês para cumprir a sua penalização.
Na volta 3, Francesco Bagnaia foi ultrapassado por Maverick Viñales, mas o italiano recuperou o quinto posto logo de seguida e Jorge Martin conseguiu subir ao sexto posto, depois de passar pelo lesionado Aleix Espargaró (Aprilia Racing).
Quartararo cumpriu a sua penalização na volta 4, a última disponível para o fazer, regressando ao pelotão no quinto posto, deixando Zarco na frente, com Miller a ser pressionado imediatamente por Álex Rins (Team Suzuki Ecstar). 
Johann Zarco deitou por terra a possibilidade de vencer a corrida, depois de uma queda na volta 5. Sem Zarco na frente, que conseguiu regressar à pista, Miller e Rins discutiam entre si o primeiro posto, já com a companhia de Bagnaia. Rins conseguiu ascender ao primeiro lugar na volta seguinte, deixando os dois pilotos da Ducati atrás de si. Jorge Martín (Pramac Racing) ultrapassou Maverick Viñales e ficou muito próximo da traseira da Yamaha de Quartararo. Martin conseguiu ultrapassar o líder do campeonato e subir ao quarto posto da classificação. Na frente, Rins ganhou uma vantagem de 0.7s para os seus perseguidores, com os pilotos da Ducati a trocarem de posição entre si. Bagnaia tinha ultrapassado Miller e tentava “apanhar” o líder. 
Aleix Espargaró continuava a perder posições, tendo baixado para oitavo depois de Joan Mir (Team Suzuki Ecstar) o ultrapassar. Tinha nessa altura Miguel Oliveira colado à traseira da sua moto. Já Maverick Viñales subia na classificação, deixando Fabio Quartararo para trás e ascendendo ao quinto posto. 
Depois de passar o meio da prova britânica, Álex Rins cometeu um pequeno erro na saída de uma curva de Silverstone, alargando a trajetória e perdendo algum do terreno que tinha conquistado sobre Francesco Bagnaia. Ficou com 0.258s de vantagem para o homem da Ducati. Com nove voltas para o final da corrida, Bagnaia conseguiu ultrapassar Rins e assumir a liderança da corrida. Miller era novamente terceiro, deixando Jorge Martin no quarto posto e Maverick Viñales no quinto lugar. 
Enea Bastianini (Gresini Racing MotoGP), que tinha ultrapassado algumas voltas antes Brad Binder (Red Bull KTM Factory Racing), conseguiu recuperar terreno para Miguel Oliveira, ultrapassando o piloto português na volta 13. Também Viñales ultrapassou Martin e subiu ao quarto posto. 
A sete voltas do final da prova, Jack Miller ultrapassou Rins pelo segundo lugar da classificação. O piloto da Suzuki foi pressionado por Viñales, mas o homem da Aprilia não conseguiu ultrapassar Rins. Enea Bastianini estava em recuperação nesta fase final da corrida e subiu ao sétimo lugar, prontamente colado a Fabio Quartararo. 
Jorge Martin recuperou o quarto posto, no mesmo instante em que Oliveira ultrapassou Aleix Espargaró, subindo ao oitavo lugar.
Sem alterações na frente, Viñales voltou a ultrapassar Jorge Martin, enquanto Bastianini subiu ao sexto lugar por troca com Fabio Quartararo. Oliveira tentou ultrapassar Quartararo, mas o francês respondeu e manteve durante mais algum tempo a sétima posição. 
Alex Rins perdeu duas posições e o pódio, sendo ultrapassado por Maverick Viñales e Jorge Martin. 
A três voltas para o final da corrida, Viñales ultrapassou Miller e passou para a segunda posição, apenas com Francesco Bagnaia à sua frente a 0.6s de diferença.
No mesmo momento em que Bastianini ultrapassou Rins, também Miguel Oliveira deixou Fabio Quartararo para trás e chegou ao sétimo lugar.
Na frente, Maverick Viñales recuperou terreno para Francesco Bagnaia e chegou a atacar a primeira posição, com resposta imediata do italiano. O piloto da Aprilia sonhou com a liderança da corrida, mas Bagnaia defendeu-se bem e manteve o primeiro posto até ao final da corrida, mas Viñales nunca desistiu. Miguel Oliveira subiu mais uma posição, depois de ultrapassar Alex Rins e terminou a corrida no sexto lugar na 100ª corrida da KTM no MotoGP.

0 0 votes
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x