MotoGP, 2021: Raul Fernández substitui Petrucci na KTM Tech3 em 2022

Por a 30 Julho 2021 13:30

Após muita incerteza, é quase certo que Raúl Fernández, de 19 anos, substituirá Danilo Petrucci na KTM Tech3 na época de 2022

Restam apenas alguns lugares por definir no Campeonato do Mundo de MotoGP para 2022.

A Yamaha Petronas procura dois pilotos para substituir Rossi e Morbidelli, na Aprilia Racing o lugar ao lado de Aleix Espargaró está vago, e tudo aponta para que seja Maverick Viñales a preenche-lo.

E na KTM Tech3 Factory Racing, apenas o lugar do líder do Campeonato Mundial de Moto2, Remy Gardner, foi confirmado até agora, mas será à custa de Iker Lecuona, que também não tem tido grandes resultados.

Danilo Petrucci tinha algumas esperanças para uma segunda temporada na KTM RC16 após bons resultados em Le Mans (5º) e Mugello (9º).

Mas era um segredo aberto que a KTM Red Bull também estava a considerar promover o sensacional novato de Moto2 de 19 anos Raúl Fernández para a classe rainha em 2022, após um único ano na Moto2, recusando aliás a libertar o seu contrato a outras marcas interessadas.

Na atual classificação do Campeonato do Mundo, Gardner lidera com 184 pontos e o 2º é Raúl Fernández com 153.

Em Mugello, a 30 de Maio, o piloto declarou numa conversa com o chefe de equipa de Moto2, Aki Ajo e o diretor da KTM Pit Beirer, que preferia disputar outra época de Moto2.

Mas desde então, Rául Fernández recebeu ofertas tentadoras, por exemplo da Yamaha Petronas e da Sky VR46 para Moto2.

Assim, parece que o rápido rookie só ficará no Campeonato Mundial de Moto2 durante um ano, como Viñales fez em 2014.

A KTM quis esperar e ver se Fernández ainda poderia ganhar o Campeonato Mundial de Moto2, razão pela qual a decisão sobre a possível mudança de classe não deve ser tomada antes de Agosto ou meados de Setembro depois de Aragón ou Misano.

O espanhol venceu as suas duas primeiras corridas do Campeonato do Mundo de Moto3 no Outono de 2020 e, por isso, foi marcado para o Campeonato do Mundo de Moto2 de 2021, no final da época e mais cedo do que o previsto.

No entanto, agora, a KTM decidiu também promover o antigo Campeão do Mundo de Moto3 Júnior Raúl Fernández para o Campeonato do Mundo de MotoGP ao lado da Gardner.

Em Junho, Aki Ajo disse:

“Se eu entregar um piloto de Moto2 por ano à KTM para a classe de MotoGP, isso é suficiente”.

A Ajo estava interessada em formar um Dream Team em Moto2 em 2022 com o atual dominador das Moto3 Pedro Acosta, que tem só 16 anos, e Rául Fernández.

Agora os dois protegidos da Ajo vão encontrar-se novamente no próximo ano na KTM Tech3 na classe de MotoGP.

Remy e Raúl já ganharam sete das nove corridas de Moto2 em 2021.

Pit Beirer disse em Junho que um piloto rápido de meia-idade da família KTM como Danilo Petrucci também seria bem-vindo como piloto de testes, com um máximo de três wildcards por ano, e piloto de substituição para as duas equipas de MotoGP da KTM.

Isto porque Dani Pedrosa só quer correr em casos excecionais, e o segundo piloto de testes Mika Kallio terá em breve 39 anos.

Mas se Petrucci, aos 30 anos, se contentará com o papel de piloto de teste é questionável.

O duas-vezes vencedor na MotoGP com a Ducati (Mugello 2019 e Le Mans 2020) e sexto classificado do Campeonato do Mundo de 2019 ainda tem contactos de primeira classe com a Ducati.

É bem possível que lhe seja oferecido um contrato de fábrica da Ducati para o Campeonato Mundial de Superbikes em 2022, que foi aliás de onde ele veio, tendo sido vice-campeão das extintas Superstock 1000 em 2011.

A curta carreira de Petrucci na KTM não esteve sob uma boa estrela desde o início. Devido à Covid, não houve testes em Valência e Jerez em Novembro, e o teste de Fevereiro em Sepang também foi vítima da pandemia.

Petrux teve de disputar os dois primeiros Grandes Prémios em Doha após apenas quatro dias de testes, sem marcar pontos e já sofreu um par de quedas este ano.

A KTM nunca tinha tido um piloto da sua estatura (1,84m, 78 kg) e teve de adaptar a moto com novas peças (banco, braço oscilante mais comprido, etc.) e criar uma configuração completamente diferente.

“Veremos se ainda hoje sou procurado como piloto de MotoGP com quase 80 kg”, Petrucci declarou já no GP de Portugal.

Ultimamente, sentia-se cada vez mais confortável na KTM RC16 e esperava fortes desempenhos nas corridas seguintes.

“Também quero ser um desses pilotos de que a KTM se orgulha em breve“, explicou Petrucci após a vitória da estrela da KTM Miguel Oliveira no MotoGP na Catalunha, em Junho.

0 0 vote
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas Autosport
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x