MotoGP, 2021, Áustria: Ducati felicita a KTM pelo seu trabalho

Por a 17 Julho 2021 17:00

Para um fabricante de MotoGP, é bastante raro fazer elogios a um dos seus rivais. Isso torna ainda mais impressionante ouvir a Ducati dizer bem da KTM ultimamente

No MotoGP, a competição entre concorrentes é feroz, mas com a Ducati, podemos ver que o fair play não está ausente do paddock.

Assim, quando marchamos a passos largos  para Spielberg, uma pista que a Desmosedici adora, mas que é também a pista caseira para as motos de Mattighofen, os homens de Borgo Panigale estão cheios de elogios para os seus homólogos europeus.

A marca aponta também para eles como um terceiro elemento no duelo entre eles e a Yamaha de Fabio Quartararo.

Tem que se reconhecer que a evolução da RC16 da KTM tem sido surpreendente. Após um início da campanha difícil, houve uma reviravolta espetacular logo a seguir ao Grande Prémio de Itália, uma reviravolta que continuou até metade do caminho em Assen, especialmente pela mão de Miguel Oliveira.

Agora, espera-se que as KTM estejam na ribalta quando regressarem ao Red Bull Ring, onde Oliveira conseguiu a sua primeira vitória e segunda de sempre da KTM.

O piloto da Ducati Jack Miller diz que a KTM fez “um trabalho fantástico” e explica o que ele acredita ser a força da RC16:

“A moto tem uma aderência incrível. Os pilotos podem posicioná-la em qualquer parte da pista e é sempre excelente sob aceleração.”

Miller notou isto particularmente no Grande Prémio da Alemanha no Sachsenring, quando foi passado por Brad Binder enquanto estava entre os cinco primeiros.

O colega de equipa de Binder Miguel Oliveira terminou em segundo lugar nessa corrida, e antes disso também em Mugello, tendo já ganho em Barcelona.

Graças aos bons resultados das últimas semanas, a KTM ultrapassou a Suzuki no terceiro lugar do campeonato dos fabricantes.

Na classificação por equipas, a equipa da fábrica KTM está logo atrás da Ducati Pramac em quarto lugar, mas também à frente da equipa da fábrica da Suzuki.

“O bom deste campeonato é que há uma batalha emocionante entre vários fabricantes”, diz o piloto da Ducati Francesco Bagnaia e, tendo em mente a KTM, elogia Oliveira em particular:

“Miguel é um dos pilotos mais talentosos da classe de MotoGP. Se conseguir andar atrás dele, posso ver que é ele quem faz a diferença. Ele é definitivamente alguém que pode lutar pelo título mundial.”

A próxima pista, o Red Bull Ring em Spielberg, recebe um Grande Prémio duas vezes: a 8 de Agosto o Grande Prémio da Estíria e a 15 de Agosto o Grande Prémio da Áustria.

Uma vez que ambas são corridas em casa para a KTM, é uma marca a seguir com especial atenção. As duas corridas em 2020 já demonstraram que a RC16 funciona em Spielberg.

Oliveira celebrou a sua primeira vitória no Grande Prémio da Estíria e nessa altura, o português ainda andava para a Tech-3, que nunca ganhara em MotoGP.

Uma semana antes, no Grande Prémio da Áustria, o então piloto de fábrica da KTM Pol Espargaró estava a jogar na frente antes de colidir com Oliveira, pelo que, sem esse azar, a marca poderia ter outra vitória no seu palmarés.

A palavra final vai para o chefe da Ducati Corse Gigi Dall’Igna.

A curto prazo, teme a concorrência da KTM, que em muitos aspetos segue a mesma filosofia da Ducati.

“A KTM surpreendeu-me duas vezes este ano. Primeiro, porque tiveram um mau começo, o que eu não esperava, e a segunda vez porque recuperaram muito rapidamente. E penso sinceramente que isso é muito difícil de fazer e eles foram muito bons nisso.”

Dificilmente se poderia dizer melhor do que isso.

4.6 5 votes
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas Autosport
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x