MotoGP, 2021, Áustria: Beirer elogia a calma de Oliveira

Por a 1 Agosto 2021 16:30

Miguel Oliveira manteve-se calmo apesar de um começo difícil no Qatar e desde então já conseguiu três pódios, um deles uma vitória, antes das férias de Verão do MotoGP. O Diretor de Competição da KTM Pit Beirer elogia a sua abordagem.

“Nunca se pode ser demasiado esperto no MotoGP” Pit Beirer

Pit Beirer

Miguel Oliveira conseguiu três pódios e um quinto lugar nas últimas quatro corridas antes das férias de Verão. O único português na MotoGP passou assim do 20º para o 7º lugar no campeonato do mundo de pilotos.

Numa entrevista recente, o Diretor da KTM Motorsport Pit Beirer está entusiasmado com o seu novo piloto de ponta, que já foi duas vezes vice-campeão da KTM: na Moto3 em 2015 e na Moto2 em 2018.

Oliveira também ganhou todas as suas 15 vitórias em GP na KTM. Seis cada uma nas classes pequenas, e entretanto três na classe rainha.

A KTM tem uma opção sobre Oliveira para 2023 e 2024.

“Oliveira faz parte da família KTM”, disse o diretor da empresa Stefan Pierer no passado mês de Junho. “Nada mudará a esse respeito depois de 2022″.

Miguel Oliveira tem mostrado um desempenho impecável desde Mugello. Nas classes pequenas, ainda se dizia que ele tinha uma clara fraqueza na qualificação.

Ao passar para a MotoGP, entretanto, eliminou esse ponto fraco, diz Beirer:

“Sim, absolutamente. Estive muito atento em Mugello a observar os pilotos. O Miguel faz trajetórias muito limpas, como e ele e a moto fossem um só.”

Ele é muito suave no acelerador, não tem quaisquer nervosismos quando acelera. Toda a pilotagem do Miguel mostra uma qualidade extremamente elevada.

Só que ele é muito sensível. É por isso que as dificuldades que tivemos na Primavera afetaram o seu desempenho.”

“Porém, foi um prazer ver como ele melhorou rapidamente quando lhe demos algumas pequenas coisas que o ajudaram. Depois pôs toda a sua qualidade em ação, como no ano passado em Spielberg e Portimão.”

“A partir de Mugello podia-se dizer: agora a moto está onde ele quer. Em seguida, destacou-se em todos os treinos desde o TL1 na sexta-feira de manhã. E a base para o resultado do domingo é frequentemente assente na sexta-feira.”

“O Miguel, por exemplo, não quis pneus frescos na primeira sessão de treino em Barcelona. Começou imediatamente a trabalhar na afinação da corrida no TL1 com pneus usados. Tem de ter tudo muito claro na sua cabeça para sacrificar o tempo máximo absoluto, para trabalhar na afinação para a corrida desde o TL1.”

Nas classes pequenas, por vezes tinha-se a sensação de que Oliveira só conseguia dar o seu melhor em condições ideais, continua Beirer:

“Parece que, por vezes, pensava demais. Mas agora subiu para o topo da liga na MotoGP. Três GPs ganhos em nove meses, apenas Quartararo e Morbidelli podem acompanhar o ritmo.”

“Sim, cheguei a acreditar que não se pode ser demasiado inteligente para o MotoGP porque a categoria é tão brutalmente complexa. Se olhar apenas para quantos botões os rapazes têm no guiador e todas as coisas que têm de operar… Só isso já é uma tarefa complexa!”

“É também um grande desafio planear um fim-de-semana assim, ter um plano sensato já na sexta-feira para durar até domingo, mas depois ainda precisa de um plano especial para a corrida: O que posso conseguir? Quantas voltas posso andar ao meu ritmo de forma consistente?”

“Nestes assuntos, o Miguel é muito analítico com a equipa. Ele quer rever todos os dados à noite, quer compreender tudo exatamente. Isso torna-o muito forte.

Gostamos desta cooperação. Mas também gostámos de como ele permaneceu calmo quando estávamos realmente em apuros no Qatar.”

“Ele não arrastou toda a equipa para baixo na altura por estar desanimado e apático, antes, continuou a trabalhar com a mesma diligência.”

Agora podemos ver os frutos dessa sua atitude num curto espaço de tempo.

4.9 9 votes
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas Autosport
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x