MotoGP, 2021, Aragón: Márquez na luta

Por a 10 Setembro 2021 17:48

Marc Márquez começou por dominar o TL1, mas uma queda na parte da tarde que o deixou em 20º não ajudou à sua motivação

Lá atrás a partir do 6º lugar é o caos

Marc Márquez

Logo no primeiro dia de treinos, Marc Márquez foi de um extremo ao outro em Aragón: No TL1 deixou tudo a quase um segundo, mas à tarde, depois de uma queda, o 20º lugar, baixou-o para 8º na classificação no agregado.

Após cair, Márquez acabou conseguindo apenas o 20º lugar, 1,2 segundos atrás do melhor tempo de Jack Miller da Ducati. Mesmo assim, Marc ainda conseguiu o 8º lugar com o tempo da manhã de 1:48.048.

“O acidente estragou um pouco o nosso programa de treinos para hoje. Mas ainda estou contente com o primeiro dia. De acordo com o plano, devia ter usado o composto macio nas duas primeiras sessões. Queria ver se duraria a distância da corrida. Mas infelizmente o acidente ocorreu a meio. Mas também pudemos testar hoje o pneu traseiro duro, pelo que o incidente no TL2 não virou tudo de pernas para o ar. Já compreendemos algumas coisas em termos de configuração”.

“Mas é verdade, que fiquei irritado após o acidente. Fui ao limite e disse para comigo: ‘OK, desiste desta volta, é só um treino livre’… mas depois perdi o controlo da roda da frente num ponto sujo onde não esperava. Fiz manobras como aquela 100 vezes na minha carreira, e correu sempre bem… Foi por isso que fiquei zangado. Porque eu sabia logo, que ira interferir com o nosso plano”.

Marc ficou tão irritado após o acidente que simplesmente deixou a moto de lado.

Tudo isto porque Marc Márquez sabe que no MotoGP hoje em dia é absolutamente necessário ter uma posição de partida nas duas primeiras filas se se quiser lutar pelo pódio.

“Claro, na corrida o primeiro grupo é o mais rápido”, diz a estrela Honda. “Especialmente os pilotos em primeiro, segundo e terceiro podem escolher uma boa linha e sair depressa. Mas no pelotão nunca se sabe onde se pode travar nas primeiras voltas de corrida, porque se pode ter múltiplos cones de ar a atrapalhar. Vi que hoje… se pode travar demasiado cedo. Depois um par de pilotos ultrapassam-te, travam mais tarde, outros vão demasiado longe nos curvas. Foi o que aconteceu em Silverstone com o Quartararo e o Martin. Saíram largos e quando voltam à trajetória, não têm a velocidade necessária. Então um piloto mais rápido vem de trás, e dessa vez em Inglaterra fui eu. Do sexto ao último, tudo é um pouco mais caótico do que nos seis primeiros do grupo da frente!”

0 0 vote
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas Autosport
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x