MotoGP, 2020: A Yamaha à procura de soluções

Por a 3 Dezembro 2020 16:00

Depois de começar 2020 com duas vitórias consecutivas e um pódio todo Yamaha, a marca que mesmo assim, teve mais vitórias em 2020, acabou a época em baixa e um pouco perdida

“A própria Yamaha reconhece-o” Fabio Quartararo

Para Fabio Quartararo, primeiro vencedor, as últimas corridas da temporada de MotoGP de 2020 foram “um desastre”. No entanto, ao contrário do seu futuro companheiro de equipa na Yamaha, Maverick Viñales, o francês não perdeu a confiança.

Já Maverick Viñales descreveu 2020 como “a pior época da minha carreira”, e não poupou críticas à Yamaha. Entre outras coisas, o espanhol fez saber em Portimão, com frustração, que tinha baixado as suas expectativas, porque “ganhar não é possível com esta moto e ninguém tem uma solução para os nossos problemas”.

O vencedor de Misano 2 despediu-se então das férias de inverno, dizendo: “Agora é a hora de ir para casa e manter a calma. São os outros que têm que se preocupar.”

O seu futuro companheiro de equipa Fabio Quartararo foi mais diplomático, apesar da despromoção de favorito a 8º no Campeonato do Mundo:

“Certamente que há uma solução, a moto do ano anterior funcionou tão bem. Só tens de encontrar uma maneira de melhorar os pontos onde estamos em dificuldade.”

Como vice-campeão de MotoGP, Franco Morbidelli bateu os seus colegas de marca na tabela do Campeonato do Mundo no final, embora tenha sido o único a usar uma moto “de segunda”, uma YZR-M1 de especificação A, baseada no modelo do ano anterior, mas fornecida com atualizações.

“Quando comparamos os dados com o Franco, é bastante claro que estamos a ficar sem argumentos quando se trata de virar, juntamente com a aderência na roda traseira”, disse Quartararo. “Só temos de trabalhar nisso e analisá-lo. Acho que a Yamaha está muito motivada. Viu que a moto de 2020 foi um desastre nas últimas corridas para todos.”

“Quer dizer, não temos de lhes dizer o tempo todo que a moto não está a funcionar”, enviou “El Diablo”  indiretamente uma mensagem a Viñales.

“Eles vêem por si mesmos e trabalham muito. Vão encontrar algo e espero que comecemos bem com os testes. Também agarrámos o Cal e espero que estejam motivados e prontos para encontrar o problema.”

Na final da temporada de MotoGP, Miguel Oliveira (Tech3), Jack Miller (Pramac) e Franco Morbidelli (Petronas) formaram um pódio exclusivamente com pilotos de equipas satélite.

Mas mesmo antes disso, na variada temporada, com 9 vencedores em 14 corridas, a questão repetidamente levantada era se um lugar na equipa de fábrica oferece melhores hipóteses.

Quartararo está convencido: “Será benéfico ser piloto de fábrica. Mal posso esperar para estar lá e ter uma reunião para expor as minhas ideias.”

“Não tenho muita experiência no MotoGP, mas acho que tenho uma ideia muito clara do que vou dar à Yamaha, o que temos de melhorar”, disse o francês de 21 anos. “Também acredito que devemos acreditar neles. É bom dizer que têm de trabalhar porque a moto não é assim tão boa. Mas também precisamos de ter confiança. Fizeram grandes motos no passado. O ano passado é o melhor exemplo porque foi apenas a minha primeira temporada. Acho que temos de confiar na Yamaha, dar-lhes as nossas ideias e depois é importante acreditar no projeto.”

0 0 vote
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas Autosport
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x