Moto2, 2022, Portugal, Corrida: Joe Roberts faz história em Portimão

Por a 24 Abril 2022 16:05

Após a queda colectiva na volta 9 da corrida de Moto2 devido ao subido aparecimento da chuva, Joe Roberts venceu a corrida de sprint subsequente em Portimão ao longo de sete voltas, tornando-se no primeiro americano a vencer na classe intermédia desde John Kocinski em 1990.

Aron Canet da equipa Flexbox HP40 colocou a sua Kalex na pole position na pista de 4,592 km no Algarve com o tempo de 1’44.151 min. Foi a segunda pole do espanhol na Moto2, mas até agora não foi suficiente para uma vitória.

Atrás de Canet, Cameron Beaubier foi o segundo na grelha de Portimão. A posição inicial 3 foi para Jake Dixon. Marcel Schrötter terminou os treinos livres em Portugal como o mais rápido, mas o alemão não passou do 12º lugar na qualificação. O líder do campeonato, Celestino Vietti, largou do 13º lugar.

Com uma temperatura de 17 graus e nuvens escuras, os 30 pilotos largaram para a corrida ao longo de 23 voltas. Em contraste com sexta e sábado, a pista estava completamente seca. Cameron Beaubier teve a melhor largada, à frente de Canet e Tony Arbolino. Enquanto isso, as primeiras gotas de chuva podiam ser vistas. Aron Canet atacou no início da segunda volta e agarrou Beaubier na frente. O americano ficou em segundo, seguido por Somkiat Chantra, que ainda teve que cumprir uma longa penalidade de volta após um acidente de corrida em Austin que ele foi culpado.

Na volta 3, o tailandêz Chantra cumpriu a sua penalidade e caiu para o 8º lugar. No início da quarta volta, Canet e Beaubier lideravam, com Arbolino e Ai Ogura em 3º e 4º lugares. Augusto Fernandez foi 5º com sua Red Bull KTM Kalex. Na curva 13, Marcos Ramirez (MV Agusta) caiu. Recorde-se que no ano passado Remy Gardner e Raul Fernandez venceram as duas corridas em Portimão. À medida que as gotas de chuva aumentavam, Ai Ogura ganhou velocidade e alcançou os dois líderes.

Depois foi o drama no início da volta 9 com um acidente colectivo na curva 2. Quase todos os da frente cairam na pista repentinamente molhada. Onze pilotos foram parar ao solo em alta velocidade e a bandeira vermelha foi imediatamente mostrada. Envolvidos foram: Canet, Beaubier, Ogura, Fernandez, Arbolino, Chantra, Lowes, Arenas, Acosta, van den Goorbergh e Corsi. Todos os pilotos estavam conscientes. Para poder participar no reinício da corrida, cada piloto devia regressar às boxes no prazo de cinco minutos sem cortar a pista, o que fez que, entretanto uma autência corrida de scooters se desenvolvesse. A corrida seria depois reiniciada para mais sete voltas.

No recomeço da corrida, Jake Dixon fez a melhor largada, seguido de perto por Joe Roberts e Fermin Aldeguer. Marcel Schrötter lutou para chegar ao 4º lugar depois de apenas algumas curvas. Então Dixon caiu fora da corrida na curva 7, ficando o americano com uma grande margem. Aldeguer e Schrötter completavam os três primeiros após a volta 1. Schrötter passou para o segundo lugar na curva 4, passando Aldeguer. Uma volta depois Roberts estava com uma vantagem de 2,5 segundos, na frente de Schrötter, Navarro, Aldeguer e Vietti.

Roberts era o piloto mais rápido do pelotão e a quatro voltas do final o americano liderava com quase quatro segundos de vantagem sobre Schrötter, que estava sob pressão de Navarro. Na curva 3, Niccolo Antonelli caiu e Navarro passou Schrötter. Na volta 5, o líder do Campeonato do Mundo Vietti também ultrapassou o alemão e com tudo isto as posições definiam-se com Roberts a liderar sobre Navarro e Vietti. Atrás deles vinham Gonzalez e Schrötter, Aldeguer e Bo Bendsneyder. Na última volta, Schrötter lutou com Gonzalez e ficou em quarto lugar, logo à sua frente o duelo entre Navarro e Vietti pelo segundo lugar.

Joe Roberts venceu a corrida de Moto2 em Portimão por uma margem de 2,8 segundos sobre o líder do mundial Celestino. O terceiro foi Jorge Navarro.

0 0 votes
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x