Moto2, 2021, Assen: Gardner chega com vantagem

Por a 23 Junho 2021 15:00

O australiano fez um pouco de história na Alemanha ao destacar-se, mas poderá alguém voltar para o incomodar na Catedral?

Remy Gardner (KTM Red Bull Ajo) pode ter sido derrotado até à primeira vitória do ano pelo seu companheiro de equipa estreante Raul Fernández, mas desde então, o australiano tem dado gás a fundo.

Já vai com três vitórias consecutivas e é o primeiro australiano a fazer isso na classe intermédia, ganhando algum bom terreno na classificação.

Não só isso, mas o seu companheiro de equipa caiu na Alemanha, um primeiro erro do que é, no entanto, um ano de estreia impressionante e Gardner tem agora uma almofada de segurança de 36 pontos no topo. Porém, conhecendo o Australiano, será que ele vai jogar pelo seguro?

Infelizmente para o resto, o filho de Wayne Gardner já está a equilibrar melhor o risco e recompensa do que o resto em 2021, bem como a manter-se devastadoramente rápido. Então, porque mudaria agora? A pressão de ganhar está resolvida, e com a vantagem na classificação já fez um pouco de história.

A velocidade que o australiano já demonstrou muitas vezes vem agora emparelhada com consistência, e está a revelar-se um problema para o resto do campo.

Para Raul Fernández, do outro lado da garagem, a pressão está um pouco mais forte após a sua queda, certamente na classificação.

No entanto, como um novato a vencer corridas, o seu desempenho continua a ser um dos maiores destaques da época até agora em qualquer classe, e a época continua a ser longa.

Conseguirá ele ripostar em Assen? E será que vamos conseguir uma repetição da incrível velocidade que ele e Gardner mostraram ao desaparecerem na frente na Alemanha, logo no início?

Marco Bezzecchi (Sky VR46), entretanto, permanece na caça por mais do que um pódio, mas o italiano fez um excelente trabalho no Sachsenring, duma sexta-feira difícil ao pódio no domingo.

Assim como Aron Canet (Aspar Team), que tomou a sua segunda tribuna da época em segundo num grande dia para o chassis Boscoscuro, com três motos no top nove pela primeira vez. Essa forma pode continuar em Assen?

Fabio Di Giannantonio (Federal Oil Gresini) procurará um pouco mais depois de terminar fora do pódio, assim como Sam Lowes (El Marc VDS) e o seu companheiro de equipa Augusto Fernández, o mais recente vencedor em Assen na Moto2.

Joe Roberts (Kalex Italtrans) e Xavi Vierge (Petronas Sprinta), ambos caíram para o fim e também vão querer recuperar, e Jake Dixon (Petronas Sprinta) teve um incidente com Augusto Fernández.

Para complicar um pouco mais as suas vidas, tanto Roberts como Dixon têm também penalizações de Volta Longa em Assen… o primeiro por cair sob bandeiras amarelas, o segundo pelo incidente já mencionado. Dixon tem, contudo, um pouco de experiência prévia em Assen do paddock das BSB.

Também há alguns candidatos um pouco mais abaixo: Albert Arenas (Aspar Team) foi o estreante de topo e levou de longe o seu melhor resultado de Moto2, e o substituto de lesões Alonso Lopez, depois na Flexbox HP 40, este fim-de-semana na Ego Speed Up, igualou a melhor posição do seu companheiro de equipa do Campeonato Europeu de Moto2, Fermin Aldeguer, 12º em Mugello.

A sua rivalidade não vai continuar em Assen, pois Aldeguer regressa à MotoE, mas Lopez vai ganhar mais tempo de pista na Triumph no chassis Boscocuro.

Gardner está em vantagem à partida, e com 36 pontos no bolso, continuará à saída. Mas será que ele consegue fazer quatro de seguida? Poderá Fernández atacar? Ou será que os que estão na perseguição podem aproximar-se do duo da KTM Red Bull Ajo pouco antes de entrarmos nas férias de Verão?

0 0 vote
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas Moto GP
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x