MotoGP, 2021, San Marino: Martin x Bastianini: quem será (agora) o Rookie do Ano?

Por a 20 Setembro 2021 16:00

Um brilhante pódio da “Bestia” em San Marino coloca a dupla das Ducati satélite dividida por apenas 10 pontos a quatro corridas da final

Algumas semanas atrás, depois de ganhar o GP da Estíria e reclamar o terceiro lugar uma semana depois no Red Bull Ring, muitos teriam pensado que Jorge Martin (Pramac Racing) reclamaria confortavelmente a coroa de 2021 do MotoGP Rookie of the Year.

E seria compreensível. No entanto, Enea Bastianini (Avintia Esponsorama) está agora em brasa e muito perto do seu colega da Ducati.

“Bestia” – que obviamente significa “animal” em italiano – espantou no domingo no Gran Premio Octo di San Marino e della Riviera di Rimini ao reclamar o seu primeiro pódio na classe rainha vindo detrás.

Bastianini produziu uma performance impressionante para chegar a 3º, terminando com apenas 4,7s de margem sobre o vencedor da corrida Francesco Bagnaia (Ducati Lenovo Team).

Para tal, o atual Campeão do Mundo de Moto2 passou em pista e derrotou nomes como Marc Márquez (Honda Repsol), Jack Miller (Ducati Lenovo Team) e Joan Mir (Suzuki Ecstar), Campeão do MotoGP de 2020.

Subir ao pódio do MotoGP é sem dúvida o mais difícil que alguma vez foi. Mas o que é mais impressionante no pódio de Bastianini é que ele o fez em equipamento supostamente inferior, com dois anos.

Tanto ele, como o colega de equipa novato Luca Marini (SKY VR46 Avintia) estão a correr em Ducati Desmosedici de 2019, em teoria motos satélite, mas na verdade as motos de fábrica desse ano, revistas e entregues às equipas contra um par de milhões de euros.

Esse desfasamento só pode ter tornado as suas já duras campanhas de novatos um pouco mais difíceis.

A Ducati GP19 não é de modo algum uma moto lenta, daí a capacidade de Bastianini a colocar no pódio, mas todas as outras fábricas melhoraram os seus pacotes, incluindo a Ducati, desde 2019.

Numa Ducati de 2021, Martin tem sido simplesmente excepcional nesta temporada. Assegurando a pole position e um pódio apenas na sua segunda corrida, o espanhol impressionou imediatamente.

A sua enorme queda em Portimão perturbou fortemente o seu início irreal da época, mas mesmo depois de ter perdido três corridas e recuperado de vários ossos partidos, a Martin nunca faltou ritmo este ano. Longe disso, de facto.

As suas actuações no Red Bull Ring foram sublimes. Apenas Mir conseguiu chegar perto do Campeão do Mundo de Moto3 de 2018 na Estíria, enquanto em Silverstone, Martin esteve novamente lá em cima com os melhores em termos de ritmo.

Dois abandonos nas últimas três, incluindo a queda precoce de Misano, viram um Bastianini colar-se a ele na classificação geral.

Por outro lado, 6º em Aragón fora o melhor resultado de Bastianini antes do GP de San Marino. Quatro vezes entre os 10 melhores tinham sido um retorno muito sólido para o novato, mas não terá havido muitos à espera de um ataque ao pódio em Misano – especialmente vindo do 12º na grelha.

Escolher o seu caminho através do pelotão, numa moto com dois anos, e continuar a definir a volta mais rápida da corrida, é mais do que uma tarefa difícil, que Bastianini fez parecer fácil. Se tivesse começado uma ou duas filas mais acima na grelha, com o ritmo que exibiu, uma vitória poderia muito bem ter estado nas cartas…

Assim, com quatro corridas restantes, a batalha do Rookie do Ano de 2021 fica um pouco mais complicada.

Martin está com 71 pontos, com Bastianini 10 atrás em 61. A seguir, a dupla faz uma viagem a Austin e ao Circuito das Américas, um traçado técnico e exigente em que empatam pois nenhum dos dois tem experiência com uma máquina de MotoGP.

Seja quem for que saia no topo, deve dar uma luta fascinante.

0 0 votes
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x