MotoGP, 2021, Áustria: Puig elogia ritmo de Márquez

Por a 17 Agosto 2021 16:00

O chefe da Honda Repsol acredita que o oito-vezes Campeão do Mundo está a demonstrar que está perto de estar de volta ao seu melhor

“Marc conseguiu andar com os pilotos de topo

Alberto Puig

O próprio Marc Márquez da Honda Repsol admitiu que a atuação de domingo passado no Red Bull Ring foi o seu melhor de 2021.

Esqueçam a emoção por detrás da sua vitória em Sachsenring, onde o traçado todo para a esquerda o favorece.

O oito-vezes Campeão Mundial disse que lutar na frente com os melhores da MotoGP, num circuito em que nunca ganhou e em que estava a lutar com problemas de físico antes do dia da corrida, foi a performance de destaque da sua época de regresso. E o patrão Alberto Puig concorda.

O espanhol despistou-se pouco depois de ter começado a cair mais chuva na Curva 1, e o facto de ter sido o piloto da frente do grupo apanhou-o de surpresa.

No entanto, apesar de ter visto o que teria sido um segundo pódio desde que regressou em Portimão ir por água abaixo, há um sentimento positivo crescente na boxe da Honda Repsol após um início frustrante da temporada.

“Obviamente, o resultado final não foi bom”, começou o chefe da Honda Repsol Alberto Puig. “Mas se olharmos para a corrida de Marc, podemos ver que mesmo que ele tivesse desvantagens, foi capaz de andar com os melhores pilotos e ficar com eles no seco. Isso é importante para Marc Márquez e também muito importante para a Honda Repsol porque compreendemos que ele está a regressar ao seu verdadeiro potencial. É claro que estamos a deixar a Áustria sem parte do potencial da nossa RC213V, mas estamos constantemente a trabalhar para melhorar. Ainda não estamos lá, mas estamos a caminho.”

“O positivo é que Marc pode andar com os melhores pilotos todo o Grande Prémio e o negativo é a sua queda no final da corrida. Penso que a sua escolha de pneu traseiro foi uma boa decisão, foi diferente do normal, mas o Marc e a equipa compreenderam o que precisavam”.

No entanto, as dificuldades continuam do lado oposto da boxe da Honda Repsol. Pol Espargaró culpou uma falha de comunicação entre piloto e equipa, que resultou na sua falta de tempo com apenas uma volta e acabando por terminar atrás de Márquez, apesar da queda na Curva 1 do 93.

Dois 16º lugares no Red Bull Ring viram o antigo piloto da KTM terminar a dupla de Grand Prix fora dos pontos, pela primeira vez na sua carreira MotoGP.

“O entendimento entre Pol Espargaró e a sua moto é negativo”, diz Puig. “Ele está longe do seu potencial, e está a perder o potencial da moto. Ele está a sofrer com isso e precisamos de trabalhar com ele para ultrapassar a situação”.

0 0 votes
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x