MotoGP, 2020: Joan Mir fala do seu título

Por a 1 Dezembro 2020 14:00

Joan Mir, campeão do mundo de MotoGP, fala sobre a sua vitória e volta a olhar para a corrida de domingo em Valência, quando o seu sonho finalmente se concretizou

“Quase como se fosse o destino”

Com apenas uma vitória da temporada, Joan Mir sagrou-se campeão do mundo na classe rainha, apenas no seu segundo ano de MotoGP.

Ninguém tinha conseguido isso antes dele. Uma corrida antes do final da temporada, e  sétimo lugar, foi o suficiente para ganhar a luta pelo título de campeão do mundo.

No seu blogue, o jovem de 23 anos de Palma escreve: “Fiz história com a Suzuki, e isso é uma grande honra. Quando vejo o termo “campeão do mundo”, sinto uma gratidão infinita por tudo o que as pessoas na Suzuki e a fizeram por mim.”

Mirt diz que não consegue encontrar palavras para expressar completamente a sua gratidão a todos os que o apoiaram, apesar de ter 12 vitórias em GP, mas entusiasma-se e diz:

“Tive alguns dias para tentar perceber tudo o que aconteceu desde de ganhar o título, mas na realidade havia sempre muita coisa a acontecer, havia tantas mensagens simpáticas dos fãs para ler e tantas entrevistas e assistir a eventos. E é ótimo colocar as emoções das últimas semanas em palavras.”

Um dia antes de conseguir o título, estava especialmente calmo e relaxado, disse Mir.

“As pessoas mais próximas de mim repararam na manhã do dia da corrida como estava calado quando me levantei. Não falei com , só porque estava tão concentrado no objetivo. Lembro-me de comer ovos estrelados ao pequeno-almoço para ter muita energia. Depois disso, não me lembro muito da corrida, só que estava nervoso na grelha, mas durante a corrida fiquei calmo”, conta.

“Mas lembro-me com muita clareza no momento em que cortei a meta, foi puro êxtase. Comecei a gritar, a gritar da garganta para fora! Depois fiquei muito emotivo quando vi toda a gente à minha volta a começar a aplaudir, especialmente os meus concorrentes! Esta volta de arrefecimento foi algo incrível, enquanto todos os outros pilotos me felicitaram e pararam para me apertar a mão”, continua a estrela da Suzuki.

“Então cheguei ao Parc Fermé e fiquei tão espantado por ver lá toda a minha família! Eles tinham ficado longe toda a temporada devido à situação complicada com o coronavírus, por isso foi espantoso vê-los à espera de me abraçarem, foi a coisa mais bonita e memorável de sempre.”

“As celebrações com a minha equipa nos momentos após a corrida também foram fantásticas, mas à noite não tivemos uma grande festa, como muita gente esperava; Só jantei num ambiente calmo, juntamente com a minha família. Queria algo íntimo e descontraído, algo seguro nestes tempos difíceis”.

“Nas horas que se seguiram, apercebi-me gradualmente que tinha alcançado o meu sonho final. Atingiu-me em ondas quando me lembrei do que tinha acontecido! Toda esta época será inesquecível, mas estes momentos de celebração com os meus colegas pilotos, a minha equipa e a minha família vão ficar na minha memória para sempre”, assegura o campeão.

0 0 vote
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas Autosport
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x