MotoGP: Marquez quer 10 seguidas

Por a 3 Julho 2019 15:30

Nove vitórias seguidas é como Marc Marquez (Honda Repsol) chega esta semana a um dos seus locais favoritos: o Sachsenring. Uma região que tem uma longa história de corridas, mas tem sido dominada por Marquez em todas as classes em que ele competiu desde 2010, com o seu sucesso aqui muitas vezes uma parte essencial da sua própria história.

Chegar à frente das férias de verão a vencer é um bom prémio e, embora Marquez não possa perder a sua liderança de 44 pontos no Grande Prémio da Alemanha, pode estender a vantagem e liderar o jogo com uma maior margem de segurança.

Outro circuito no início desta temporada já tinha exibido a supremacia de Marquez antes de 2019 … e depois deu para o torto.

O Circuit of the Americas  mostrou que Márquez não é infalível, embora os fatores que contribuíram para esse acidente, diz ele, estejam compreendidos e superados. Então, isso poderia acontecer de novo? Ou pode o espanhol  ser batido, dadas as condições certas?

Dois dos principais adversários da temporada passada estão a mostrar-se novamente. Maverick Viñales (Yamaha Monster) chega em alta de sua impressionante vitória em Assen, e o Sachsenring viu-o subir ao pódio o ano passado.

A Yamaha também chegou perto de depor Marquez recentemente, quando Jonas Folger também levou a luta ao Campeão em 2017. O companheiro de equipa de Viñales, Valentino Rossi, deixou-o para segundo em 2018 e tem uma forma vencedora na Alemanha, como de resto em todo o lado… Apesar de uma última corrida dura para o Doctor, começou em topo de forma no início do ano e tudo pode mudar novamente num instante.

Certamente isso foi verdade para Fabio Quartararo (Yamaha Petronas SRT) desde o seu desgosto em Jerez, e o estreante francês tem agora dois pódios de categoria rainha em seu nome, apesar de ainda se estar a recuperar de uma cirurgia no braço.

O colega de equipa Franco Morbidelli também impressionou e conquistou o top 5 em Assen, dividindo a dupla da Ducati, Andrea Dovizioso, e Danilo Petrucci, que teve um fim de semana mais difícil, aparentemente exacerbado pelo calor.

Dovizioso é o homem capaz, mais do que qualquer outro, já que continua a ser o mais próximo de Márquez no Campeonato. No Grande Prémio holandês, no entanto, a diferença aumentou mais uma vez quando ficou de fora do pódio.

A Alemanha pode vê-lo recuperar, pois apesar de tradicionalmente ser uma pista mais difícil para as máquinas vermelhas, tudo pode acontecer em corridas tão apertadas … e o clima pode trazer algumas surpresas também, tradicionalmente um ponto forte para ‘DesmoDovi’ e Petrucci.

Um homem que poderia ser um ponto de interrogação muito interessante é Alex Rins (Suzuki Ecstar). Não teve problemas de qualificação em Assen, e o espanhol teve um grande arranque para liderar a corrida… e depois caiu. Antes do desaire, o desempenho de Rins tem sido impecável, mas na Alemanha na época passada, o piloto da Suzuki não conseguiu marcar pontos. Isso significa que não temos uma boa referência para a velocidade dele na pista, que com a suavidade da Suzuki, poderia fazer uma adição interessante às apostas num dos mais locais mais sinuosos do ano.

O rookie Joan Mir (Suzuki Ecstar) voltou a estar em forma em Assen, e apesar de ter alinhado com Quartararo na luta pelo Rookie do Ano, juntou-se ao francês para liderar uma corrida da categoria rainha pela primeira vez, ainda que brevemente.

Há outra adição interessante na batalha na Alemanha também. Jorge Lorenzo continua tristemente afastado da Honda Repsol e é um herói da casa que toma o seu lugar: o piloto de testes Stefan Bradl.

O alemão tem um pódio na categoria rainha e até mesmo em Wild Card desde então, tem impressionado. O que poderá fazer em casa?

A KTM, entretanto, está ansiosa por seguir em frente. Pol Espargaró (KTM Red Bull) sofreu um pouco de dor de um acidente no teste de Barcelona em Assen, por isso espera aqui voltar à velocidade máxima, e o companheiro de equipa Johann Zarco também sofreu em Assen. Ambos esperam por mais na Alemanha. Miguel Oliveira entrou nos pontos de forma sólida em Assen e estará mais habituado às novas peças recebidas pela Tech3 para a sua KTM, que em teoria o colocam no mesmo plano que as motos de fábrica.

A luta pela melhor equipa independente também é apertada. Jack Miller (Pramac Racing) lidera o caminho apesar de Assen, mas Cal Crutchlow (Honda LCR Castrol) não está muito atrás. O seu companheiro de equipa Takaaki Nakagami (Honda LCR Idemitsu) teve má sorte quando Rossi colidiu com ele, mas ele esteva em forma e já bateu Crutchlow algumas vezes. E a Aprilia Racing Gresini também pode dar alguns passos em frente na Alemanha, com Aleix Espargaró a recuperar mais alguns dias e Andrea Iannone a fazer alguns progressos sólidos com o seu primeiro Top 10 da época na Holanda.

Poderá Marquez ser batido na Alemanha ou permanecerá imbatível?

Deixe um comentário

Please Login to comment
últimas MotoGP
últimas Motosport
AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/logo.png