MotoGP, Jerez: Estreia impressionante de Binder

Por a 22 Julho 2020 13:00

Na sua estreia na MotoGP, o sul-africano provou que tinha ritmo para igualar o eventual vencedor da corrida, Fabio Quartararo.

Quando um jovem de 21 anos conquista a pole, uma vitória na corrida de estreia por quase cinco segundos e faz tudo isso apenas na sua 20.ª corrida de classe rainha, é difícil justificar a escolha da honra de piloto do fim-de-semana a qualquer outra pessoa.

No entanto, Brad Binder (KTM Red Bull Factory) pode ter feito suficiente para o colocar à frente de Fabio Quartararo, da Yamaha Petronas SRT, nesse critério.

Na sua primeira saída a sério, o piloto de 24 anos impressionou toda a gente dentro do paddock do MotoGP desde a manhã de sexta-feira até domingo à noite.

O sul-africano acabou no top 10 no seu primeiro dia como piloto de MotoGP, abaixo de duas décimas à deriva do experiente companheiro de equipa Pol Espargaró, antes de fechar ainda mais a diferença para o espanhol no sábado.

Apenas 0,138 segundos foi a diferença entre o seu 13º lugar da grelha e ocupar o lugar de Espargaró na Q2, onde se tivesse igualado o seu tempo de volta na Q1, teria garantido o quinto lugar da grelha.

O esforço de domingo foi o que valeu a Binder mais aplausos, no entanto. O seu ritmo foi nada menos que fenomenal para um homem no seu Grande Prémio de estreia.

Uma ida à gravilha na volta sete na Curva 5 foi o momento chave da sua corrida de estreia, mas isso certamente não deve ensombrar o que foi de outra forma uma estreia na mesma liga que as de Quartararo ou Marc Márquez na última década.

“Acho que a minha equipa disse que perdi 26 segundos”, admitiu Binder acerca do seu momento na Curva 5, mas depois de terminar a apenas 29 segundos do francês, com Maverick Viñales (Yamaha Monster Energy) 4,6 segundos à deriva e Andrea Dovizioso da Ducati Team em terceiro, a seis segundos, podemos argumentar que esse erro o impediu de ir ao pódio de Jerez.

É claro que matemáticas tão simples como isto raramente acontecem no MotoGP na prática, mas certamente destacam o potencial do sul-africano.

“Fiquei muito feliz com a forma como começámos“, começou por dizer o campeão do mundo de Moto3 de 2016. “Comecei muito bem e imediatamente pude ver que o nosso pacote é muito, muito competitivo. Senti-me muito forte em certas partes da pista e foi incrível estar lá em cima com tipos que admirei toda a minha vida. Senti-me como se tivesse algo em mão quando estava sentado atrás deles.”

“Infelizmente, agarrei o travão de forma demasiado agressiva e tranquei a roda dianteira e depois meti a frente na gravilha e, para ser franco, tive muita sorte por a minha corrida não ter ficado por aí, porque devia ter resultado numa queda. Mas consegui mantê-la direita e passar pela gravilha, mas na Curva 5 não há como voltar à pista a não ser fazer um enorme arco na gravilha. Com o TC [Controlo de Tração] fica-se literalmente parado porque com a roda a patinar na terra não se pode simplesmente acelerar e sair. Demorei tanto tempo a sair da gravilha que acho que a minha equipa disse que perdi 26 segundos por causa do despiste.”

“Depois disso, tentei reagrupar, instalar-me no meu ritmo e tentar fazer o melhor trabalho possível para poder voltar mais forte na próxima semana. A quantidade de coisas que aprendi é incrível. Só para dar uma ideia, sempre que saio para a pista, aprendo mais três ou quatro coisas que me ajudam. É inacreditável os passos que damos só para aprender coisas pequenas que acabam por fazer uma diferença tão grande.

“O calor também é incrível, na moto de MotoGP o calor vindo das motos à tua frente, é agitado. Quando estamos sentados atrás doutra moto, parece que está 10 graus mais quente. Hoje, quando estava com os rapazes, senti-me bem e foi adorável sentar-me com estes tipos e ver o que estavam a fazer. Infelizmente, estraguei tudo, mas tenho a certeza que vamos conseguir da próxima vez.”

Não há como negar que se Binder conseguir acertar este fim-de-semana no Grande Prémio Andaluz, ele pode ter um resultado excecional. Já está colado à cauda do colega de equipa Pol Espargaró e, com um punhado de habituais corredores da frente ausentes, pode estar preparado e pronto para lançar uma surpresa sul-africana. Uma coisa é certa, a KTM escolheu bem e o MotoGP tem outra estrela na forma de Binder.

O futuro parece brilhante para o homem da Nação Arco-Íris.

0 0 vote
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas MotoGP
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x