MotoGP, história: Quartararo e os franceses na classe rainha

Por a 29 Julho 2020 15:00

As recentes vitórias consecutivas de Fábio Quartararo em Jerez, que o tornaram no francês de maior sucesso de sempre em 70 anos de MotoGP, levaram-nos a olhar para outros franceses que competiram na classe rainha ao longo dos anos.

Começando pelos que obtiveram vitórias, são apenas dois, e um deles é Christian Sarron, que pilotou pela Yamaha Gauloises nos anos 80 do século passado e venceu apenas uma vez no Grande Prémio da Alemanha Ocidental de 1985.

Caso estejam a pensar que vencer só uma vez é um feito desprezível, deixem-nos acrescentar que para tal, bateu um tal de Freddie Spencer, a caminho do seu segundo título Mundial de 500, por 11,590 segundos, o que também ilustra como tudo é mais competitivo hoje…

Se adicionarmos esses 11 segundos ao tempo vencedor de Quartararo deste último Grande Prémio, quase cobrimos os primeiros 6, pois Dovizioso ficou a 12.554.

Sarron (7) segue Lawson (3) e Gardner (1), e tem atrás Schwantz. O ano é 1987

Dito de outra maneira, no caso de Sarron o 6º classificado Wayne Gardner, também, ele um futuro Campeão Mundial de 500, ficou quase a 1 minuto… Sarron era particularmente bom no molhado, que terá sido o caso.

O outro vencedor recua aos primórdios do Campeonato, e foi Pierre Monneret, que conseguiu uma vitória no grande Prémio de França de 1954…

Também cabe nesta lista Christian Bourgeois, um antigo campeão de França de 500, e mais tarde manager da Kawasaki France na Resistência, que ficou em segundo justamente no seu grande Prémio de casa em 1972…

Raymond Roche na Honda oficial

Saltemos uns anitos e poderíamos mencionar outros como Raymond Roche que foi piloto oficial da Honda ao lado de Freddie Spencer e consegui 5 segundos lugares em 1984…

Quem se lembra da Kawasaki em MotoGP?

Depois temos homens como Olivier Jacques, (19 acima) que vindo de ser Campeão nas 250, ficou em segundo no grande Prémio da China de 2005.

Jean Michel Bayle, o Motocrosser virado para a velocidade, também ficou em quarto no Japão em 2005 e depois outros menos conhecidos, ou mais conhecidos por outras modalidades, como Hervé Moineau, “Mr. Suzuki” na Resistência, com um Top 10 em Jerez, Patrick Pons, a dada altura mentor do nosso Alex Laranjeira, e que ficou em 4º no GP da Bélgica de 1974… as coisas eram mais difíceis então!

Offenstadt era um inovador, reparem na frente alternativa da sua moto

Digno de nota também, Eric Offenstadt que de piloto passou a fabricante, e com a sua BUT, um patrocínio duma cadeia de mobiliário, teve 1 segundo lugar no Grande Prémio da Bélgica em 1971.

Bérnard Garcia foi piloto da Yamaha France em 1993, com um melhor resultado de 7º em Jarama

Outro nomes que surgem são os de Frederic Protat, Michel Rougerie, Phillipe Robinet, Jean Pierre Jeandat, José Kuhn, os irmãos Garcia, Marc e Bernard, no tempo das Yamaha ROC clientes, ou seja, início dos anos 90, e um punhado de outros que passaram pela classe rainha nos 70 anos da modalidade… mas nenhum com o perfil ou sucesso de Fabio Quartararo, que decerto veremos coroado Campeão Mundial um dia!

Deixe um comentário

Please Login to comment
últimas MotoGP
últimas Motosport
AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/logo.png