MotoGP, 2020: Oliveira comenta testes de Misano

Por a 24 Junho 2020 14:30

Quatro fabricantes de MotoGP abriram ontem um teste privado de três dias em Misano, Itália. Foram seguidas as já habituais medidas de proteção do Covid-19 e alguns dos pilotos sentaram-se mesmo numa máquina de corrida pela primeira vez desde Fevereiro.

A equipa Ducati, a Suzuki Ecstar, a equipa de fábrica da KTM Red Bull, bem como a formação da KTM Tech 3 Red Bull e a Aprilia Gresini inscreveram-se para o teste privado.

Miguel Oliveira, que na Sexta Feira tinha estado em Portimão, foi diretamente para Itália e descreveu com entusiasmo este regresso às pistas:

“Foi muito bom ter tido esta oportunidade de voltar a andar na minha moto de MotoGP, com toda a equipa.

Nestes tempos que vivemos, não é fácil poder deslocar tantas pessoas aqui a Itália, mas a KTM fez um esforço enorme para poder ter aqui toda a estutura de apoio…

Obviamente para mim, voltar à moto com que eu corro é sempre uma grande emoção e hoje foi um dia muito positivo de primeira tomada de contacto.

Amanhã segue-se outro dia, hoje nem sequer testámos nada, simplesmente concentrámo-nos em voltar a ter as sensações de andar com uma MotoGP e a voltar a pegar um pouco no nosso ritmo.”

Às 9 horas em ponto, os pilotos presentes começaram a habituar-se ao novo asfalto do percurso de 4.060 m.

O piloto de testes Michele Pirro andou pela Ducati, enquanto no caso da Suzuki foi o piloto de testes Sylvain Guintoli. As marcas sem concessões podem treinar apenas com os pilotos de teste A KTM Red Bull, por outro lado, como marca concessionada, contava com os quatro pilotos regulares nas suas máquinas.

Outro dos regressados foi Bradley Smith, piloto da Aprilia, que já tinha completado um teste com Lorenzo Savadori em Misano há alguns dias e acaba de ser confirmado como o piloto da formação, pelo menos para as duas primeiras provas. No entanto, Smith teve um problema no início quando o motor da sua Aprilia se calou.

Aleix Espargaró da Aprilia), Brad Binder, Miguel Oliveira e Iker Lecuona (todos da KTM) completaram as primeiras voltas numa máquina de MotoGP desde Fevereiro passado.

As “equipas de concessão”, a KTM e a Aprilia, estão autorizadas a continuar a desenvolver os seus motores e a utilizar os seus pilotos regulares até 29 de Junho.

Os outros fabricantes, por outro lado, tiveram de homologar e congelar as suas “especificações do motor” em Março.

As equipas puderam obter informações importantes para as configurações durante o teste de três dias no Adriático. Afinal, é importante pois vão realizar-se aqui duas corridas nos dias 13 e 20 de Setembro.

É claro que as medidas de proteção decretadas foram observadas no local: a temperatura corporal dos engenheiros e pilotos foi medida, as boxes foram desinfetadas e os que não usavam capacete tiveram de usar máscara durante os treinos.

Ao fim do dia de ontem o tempo mais rápido pertencia ao piloto da Aprilia Aleix Espargaró.

0 0 vote
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas MotoGP
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x