MotoGP; Malásia: Rossi “contente” na “corrida mais difícil da temporada”

Por a 5 Novembro 2019 15:30

Este Domingo, o Grande Prémio da Malásia foi outro lembrete de que ainda há bastante genica e determinação em Valentino Rossi (Yamaha Monster Energy).

O seu 4º não conta toda a história da corrida no Circuito Internacional de Sepang. Desesperado por conquistar o seu primeiro pódio desde o GP das Américas, Rossi esteve forte durante todo o fim de semana na sua YZR-M1 e tendo qualificado em 6º, um ataque ao pódio estava definitivamente nos planos.

E a possibilidade, pelo menos, materializou-se. Um grupo de pilotos de alto nível numa variedade de marcas lutou pelos lugares do pódio nas voltas de abertura, até que o companheiro de equipa de Rossi Maverick Viñales se destacou na frente.

Perdendo tempo na primeira curva, Rossi cedo alcançou a 4ª posição, atrás de Andrea Dovizioso, da Ducati.

Seguiu-se um duelo Ducati x Yamaha, duas motos de características de eficácia contrastantes, numa pista que apresenta vantagens para as máquinas de Rossi e Dovizioso.

Rossi tentou várias vezes passar Dovi por dentro na esquerda apertada da curva 9, mas a aceleração da Desmosedici e a velocidade em linha reta de Dovi nas retas monstruosas de Sepang acabaram por ditar que Rossi não pôde bater a Ducati.

Contentar-se com o 4º não era o que o tricampeão queria, mas era praticamente impossível para Rossi fazer um passe, já que a falha da Yamaha era mais uma vez a velocidade máxima. O lado bom? Rossi estabeleceu um novo recorde de volta em Sepang. Mas o que o italiano queria mesmo era um pódio.

“Estou feliz de qualquer maneira, porque para nós foi uma boa corrida, especialmente considerando a nossa velocidade e o nosso resultado na corrida anterior”, começou Rossi, referindo o 8º em Phillip Island na semana passada, após liderar brevemente a corrida. “Queria tentar o pódio, porque com certeza o pódio é outra história, mas infelizmente não consegui vencer o Dovi. No entanto, a corrida foi boa, fiz a volta mais rápida também, fiz o recorde, e isso é bom.”

“Senti-me bem com a moto, andei bem. Com certeza eu estava a vir detrás na grelha logo perdi um pouco de tempo no começo porque foi tudo muito rápido. Mas gostei, foi um bom fim de semana. O Dovi nas travagens foi bom, estava forte, mas eu também fui mais rápido, nas curvas longas, por exemplo”, continuou Rossi, explicando a batalha que teve com Dovizioso.

“Tentei algumas vezes, mas depois na sequência ele passou sempre de novo. Eu estava a dar o máximo. Com certeza tentei o máximo porque um terceiro e um quarto são muito diferentes, estar no pódio é muito melhor. Mas de qualquer maneira, foi uma boa corrida. ”

No GP da Malásia de 2018, Rossi caiu na liderança depois de controlar toda a corrida pela frente, e o seu ritmo novamente um ano depois – assim como a formidável vitória de Viñales – é uma ótima indicação de que ele e a Yamaha vão bem no circuito.

“Estou contente com o meu andamento, porque, fisicamente, é com certeza a corrida mais difícil da temporada. Isso é importante. O traçado da pista é bom para a M1, porque tem muitas curvas longas e rápidas. Nesses lugares, a nossa moto é boa. Nós ainda precisamos de trabalhar, a nossa moto é muito boa na qualificação com os novos pneus, somos muito fortes. Depois, na corrida, sofremos um pouco mais, porque fazemos o tempo da volta no limite, com certeza stressamos mais os pneus. E também temos falta de velocidade, portanto, quando se luta com a moto mais rápida, é muito difícil gerir quando não estamos a andar sozinhos. Mas a Yamaha está a trabalhar duro, e talvez possamos melhorar.”

Um pódio de Rossi no Circuito Ricardo Tormo a seguir seria uma maneira fantástica de terminar uma campanha um pouco difícil, antes do início dos testes – para a 25ª temporada de Grande Prémio de Rossi – apenas alguns dias depois.

A Yamaha pode encontrar algum desempenho de ponta extra para dar a Rossi, Viñales e às Yamaha Petronas SRT de Fabio Quartararo e Franco Morbidelli uma chance contra as Ducati e Honda na reta, sem perder a sua excelente capacidade em curva? É a pergunta nos lábios de todos.

 

Deixe um comentário

Please Login to comment
últimas MotoGP
últimas Motosport
AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/logo.png