Moto2: Luca Marini e Sam Lowes impressionam com motores Triumph

Por a 26 Novembro 2018 13:30

Nos últimos três dias o circuito de Jerez-Ángel Nieto ficou marcado pelos primeiros testes oficiais de pré-época da categoria de Moto2.

Ensaios esses marcados por muitas novidades, entre elas desde logo a estreia dos motores Triumph (em substituição dos antigos motores Honda) passando pelo regresso oficial da MV Agusta ao Mundial após 42 longos anos de ausência. No total foram realizadas oito sessões cronometradas, onde aqui e ali apareceu a chuva, mas onde também os motores Triumph, com a pista seca, mostraram estar já em boa forma neste primeiro apronto.

Isto porque os dois pilotos mais rápidos, Luca Marini e Sam Lowes, rodaram abaixo do recorde oficial da volta mais rápida (1m41.890s) de um protótipo de Moto2 em Jerez e que está na posse, desde 2018, de Lorenzo Baldassarri.

Com a Kalex da Sky VR46, Marini cravou, na quinta sessão realizada (a mais veloz de todos os ensaios), o tempo de 1m41.524s  e com isso bateu Sam Lowes por 0.268s, piloto que regressou à Kalex da Gresini depois de um ano díficil com a KTM da Swiss Innovative Investors.

Seguiu-se o ‘veterano’ Álex Márquez, que foi secundado por Remy Gardner, piloto que deixou bons apontamentos na estreia com a SAG Team. Lorenzo Baldassarri foi quinto, apesar der sido o mais forte no primeiro dia, e já a mais de meio segundo de Luca Marini. A seguir ficou Jorge Navarro, também ele com um arranque competitivo com a Speed Up.

Entre os estreantes o melhor foi Nicolò Bulega com o 11º posto. O italiano começou este aventura a aproveitar da melhor forma o facto de estar inserido na Sky VR46, equipa que teve em 2018 o campeão do mundo Francesco Bagnaia.

Quanto à KTM, esteve muito discreta durante os ensaios, pelo que o seu melhor representante, Brad Binder, surgiu apenas no 13º lugar. Muito trabalho pela frente parecem ter ainda os homens de Mattighofen para serem competitivos com os motores Triumph. Ainda no campo laranja, estes ensaios ficaram marcados pela queda e lesão do estreante Jorge Martín no primeiro dia, situação que obrigou à sua substituição por Iker Lecuona. Situação que deixou a Swiss Inovative Investors sem testar, pois o reforço Joe Roberts não esteve presente em Jerez.

Nota ainda para a MV Agusta que teve um regresso auspicioso, pois Stefano Manzi colocou o chassis italiano no 14º lugar entre os 30 pilotos que estiveram em pista.

Agora segue-se a longa pausa de inverno com os testes oficiais de Moto2 a regressarem apenas em fevereiro e novamente no circuito de Jerez-Ángel Nieto.

Classificação final:

Deixe um comentário

Please Login to comment
últimas Moto GP
últimas Motosport
AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/logo.png