SBK: Quem é Scott Redding?

Por a 14 Agosto 2019 15:00

Muito se fala de Scott Redding desde que integrou este ano o Britânico de Superbike e começou a vencer corridas liderando agora as séries por 20 pontos sobre o seu maior rival que é o seu próprio colega de equipa da Ducati Josh Brookes… Mas é justo dizer que antes disso, como um independente em MotoGP, o piloto andava um pouco esquecido… Agora, a Ducati afirmou categoricamente que ele é o primeiro nome numa lista de compras para substituir Álvaro Bautista, que aparentemente não vai ficar na Ducati para a época vindoura.

Quem é então Scott Redding? Redding nasceu em Gloucester, Inglaterra, a 3 Janeiro de 1993 e (tal como um certo Miguel Oliveira) começou a correr e a vencer nos Campeonatos locais de Metrakit 50cc em 2001, portanto com apenas 8 anos.

Em 2005 passou para Copa Calypso em Espanha, com as mesmas Metrakit mas em versão 80cc, e ganhou todas as 6 corridas do campeonato, sendo convidado para Red Bull Rookies Cup no ano seguinte… Até 2008 correu no CEV Espanhol, ingressando no Mundial ainda no tempo das 125cc e tornando-se, logo na estreia do Qatar, no mais jovem piloto a qualificar na primeira linha da grelha com apenas 15 anos.

Na Moto2 com a Marc VDS

Na mesma prova ficou em quinto e saiu de Losail com o recorde da classe. É por isto que, ao ingressar no Britânico, as pistas lhe eram desconhecidas, já que nunca passou pelos Campeonatos locais. Em Junho do mesmo ano, ainda com 15 anos, tornou-se no mais jovem vencedor de um Grande Prémio ao vencer em Donington Park. E fê-lo batendo um Andrea Iannone e um tal Marc Márquez pelo caminho!.

Em 2010 assinou pela Marc VDS para subir ao Mundial de Moto2, onde esteve até 2013 com alguns pódios. Finalmente, chegou a hipótese de ingressar na MotoGP no ano seguinte, com uma Honda do Team Gresini, onde o colega de equipa era… Álvaro Bautista! Apesar de correr com uma Honda satélite, mesmo assim, Redding ultrapassou essa dificuldade para conseguir dois sétimos lugares e no ano seguinte, com uma RC213V de melhor especificação, conseguiu logo um pódio em San Marino… depois de ter andado pelo chão no começo da corrida!

Na MotoGP com a Honda Gresini CRT

Seguiram-se dois anos na Ducati Pramac, tendo ingressado na Aprilia em 2018, mais uma vez com Fausto Gresini. Mas o seu temperamento algo desbocado, como quando disse que “nem Márquez ganharia num lixo como a Aprilia RS GP” não lhe fez amigos e para 2019, prestes a achar-se desempregado, aceitou a oferta de Paul Bird para regressar a casa e correr, pela primeira vez, nos circuitos ingleses com a Ducati… que, pelos vistos, pode agora ter levado a voos mais altos e de volta ao mundial!

Deixe um comentário

Please Login to comment
últimas Mundial Superbikes
últimas Motosport
AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/logo.png