SBK 2020: Onze países diferentes confirmados esta temporada

Por a 15 Janeiro 2020 16:00

O início do Campeonato Mundial de Superbike de 2020 está a apenas seis semanas, com uma das grelhas mais fortes em memória recente já confirmada para a classe superior. Na última temporada, quatro países diferentes alcançaram pelo menos uma vitória em corrida, mais do que em qualquer ano desde 2014; no entanto, esse também é um número que pode ser superado nesta temporada, com vários países em busca do título no campeonato. Deixando de lado as lealdades dos fabricantes, eis o que os fãs de todo o mundo podem esperar em 2020.

Na SBK, o país mais bem representado é mais uma vez o Reino Unido, com sete pilotos, um a mais que em 2019. Quatro das cinco equipas de fábrica terão pilotos do Reino Unido em 2020: Kawasaki (Jonathan Rea e Alex Lowes), Ducati (Chaz Davies e Scott Redding), BMW (Tom Sykes) e Honda (Leon Haslam); Leon Camier será o único piloto independente britânico, depois de ingressar na Barni Racing.

Curiosamente, a Yamaha, cuja equipa oficial é administrada pela Crescent Racing, sediada no Reino Unido, não apresentará este ano pilotos britânicos em nenhuma das suas cinco motos (de fábrica ou independentes).

Não nos afastando muito, a Irlanda continua a marcar presença na grelha graças a Eugene Laverty, agora membro da equipa BMW Motorrad.

A Itália continua a ser o segundo país com o maior número de pilotos na grelha: Marco Melandri e Alessandro Delbianco são substituídos por Federico Caricasulo e Lorenzo Savadori, com Michael Ruben Rinaldi no seu lugar no campeonato.

Mas este ano a Espanha desafia-os pelo segundo lugar, recuperando o piloto que perderam em 2019. Xavi Forés retorna ao campeonato e, com ele, a Espanha chega a três, completando um trio impressionante ao lado de Álvaro Bautista e Jordi Torres.

O resto dos países que aparecerão na grelha confirmaram um único piloto para 2020 agora. Isso inclui nomes bem estabelecidos na série, como Michael van der Mark, Toprak Razgatlioglu, Loris Baz e (da prova de Espanha em diante) “Tati” Mercado.

O Japão também permanece representado na grelha, com Ryuichi Kiyonari a entregar as rédeas a Takumi Takahashi.

O mais emocionante, porém, é a adição de duas nações à programação de 2020. A ausência de pilotos dos EUA na grelha permanente foi invertida este ano com a chegada de Garrett Gerloff, de 24 anos, à equipa Yamaha GRT Junior.

Adicionalmente, Maximilian Scheib vai tornar-se no primeiro representante permanente do Chile nas SBK, depois de fazer uma breve aparição na série no final de 2018.

Nenhum piloto alemão foi anunciado no momento da publicação, uma ausência que é em parte corrigida por uma forte presença na classe Supersport (sem mencionar o regresso de Oschersleben ao calendário).

Pilotos de 16 países diferentes foram anunciados para a grelha dos pesos médios, incluindo a África do Sul, Indonésia e Suécia. Da mesma forma, espera-se que as SSP300 contenham uma grande variedade de países, com todos os continentes representados na lista permanente de inscrições do ano passado.

Deixe um comentário

Please Login to comment
últimas Mundial Superbikes
últimas Motosport
AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/logo.png