SBK, San Juan: Previsão da Argentina

Por a 8 Outubro 2019 15:00

Após uma estreia feroz na América do Sul na última temporada na Argentina, o Campeonato Mundial de Superbike de 2019 volta para mais, pois o Circuito San Juan Villicum aguarda. O traçado tortuoso e técnico oferece corridas próximas ao grande público argentino, além de trazer ação emocionante. Como Jonathan Rea (Kawasaki Racing) já foi coroado campeão e Álvaro Bautista (Ducati Aruba.it) está seguro em segundo, a feroz batalha é pelo terceiro lugar.

Jonathan Rea chegou a dobrar na Argentina o ano passado, tornando-se o primeiro piloto de SBK a vencer no continente da América do Sul. Acabar de terminar a corrida 1 nos pontos colocará Rea igual ao número recorde de 43 pontos consecutivos de Sylvain Guintoli. Ele também quer ganhar mais corridas, para consolidar a sua posição como melhor piloto do SBK de todos os tempos. O irlandês do norte de 32 anos está em forma desenfreada e pode vir a bater mais recordes em 2019.

A equipe Ducati sofreu muita má sorte em Magny-Cours e viu as chances finais de ganhar o título de pilotos desaparecerem quando Álvaro Bautista chocou com Razgatlioglu. No entanto, orgulho e honra estão em jogo e a equipa italiana retorna a San Juan e a uma pista que os levou a conquistar a primeira pole de todos os tempos na Argentina na última temporada. Chaz Davies foi negado um pódio lá em 2018 e estará ansioso por voltar à tribuna dos vencedores em 2019 pela primeira vez desde a Corrida 1 em Portugal. Quanto a Bautista, nunca esteve na pista de San Juan.

O momento e a confiança estão firmemente com Toprak Razgatliolgu (Turkish Puccetti Racing), que conquistou duas vitórias em Magny-Cours para levar a Turquia ao topo das SBK. Ele também esteve no pódio no Circuito de San Juan Villicum o ano passado, algo que agora ele procurará melhorar. Com um novo contrato no bolso e a mudança para a equipe Yamaha Pata confirmada, a confiança de Razgatlioglu está altíssima e o piloto de 22 anos poderá ser o homem a bater. Acrescente-se a determinação de terminar em terceiro no campeonato, e Toprak poderia estar no topo novamente.

A batalha pela terceira posição é disputada entre seis vencedores das SBK, e o líder é Alex Lowes (Yamaha Pata). Lowes, que deixa a equipa no final de 2019, quererá provar o seu valor ao garantir o terceiro lugar no mundial, embora o companheiro de equipa Michael van der Mark tente afastá-lo dessa posição. Ambos os pilotos da Yamaha estiveram em dificuldades na Argentina na última temporada, com Lowes levando para casa o único resultado nos seis primeiros na Corrida 2.

Em 2019, no entanto, a Yamaha tem sido competitiva em quase todas as pistas e com apenas cinco pontos separando o par, pode ser uma ronda explosiva para a sua rivalidade.

Embora ainda tenha uma chance matemática de terceiro à geral, Leon Haslam (Kawasaki Racing) não podia ter sofrido uma ronda difícil em França num pior momento. Haslam também nunca correu em San Juan, o que significa que as suas esperanças em relação ao terceiro podem acabar matematicamente enquanto ele aprende a pista, enquanto todos os outros seguem de onde ficaram em 2018.

No entanto, ele tem uma vantagem de 16 pontos sobre Chaz Davies. Este, por sua vez, tem 14 pontos de vantagem sobre Tom Sykes (BMW Motorrad SBK) – e nenhum deles alcançou um pódio no circuito no ano passado.

A pole e o pódio duplo de Marco Melandri (Yamaha GRT) no ano passado na Argentina mostram que ele pode ser uma estrela na América do Sul.

Entrando no seu penúltimo tango, Melandri procurará aumentar a parada e dançar no pódio mais uma vez, mas há muitos outros pilotos independentes que serão um obstáculo nesse processo.

Loris Baz (Yamaha Ten Kate) está em boa forma, assim como Leon Camier (Honda Moriwaki Althea), que procurará consolidar o seu ritmo de França entre os dez primeiros.

Ansioso por estar de volta entre os dez primeiros, está igualmente Eugene Laverty (Team Goeleven), que alcançou o seu primeiro top 10 desde que voltou de lesão na Corrida 1 de Magny-Cours, em nono.

O herói da Argentina é Leandro Mercado (Orelac VerdNatura), que foi cruelmente negado um dos dez primeiros na última temporada depois de apanhar uma pedra no radiador na Corrida 1.

Desta vez, ele está à procura do seu quinto término entre os dez melhores da temporada, em que o seu melhor resultado foi sexto na chuva torrencial de Donington Park.

Há uma série de pilotos que se estreiam na Argentina que não foram mencionados, começando por Michael Ruben Rinaldi (Ducati Barni Racing), que garantiu o melhor resultado numa corrida de Superpole com 4º na última proca.

Ryuichi Kiyonari (Honda Moriwaki Althea) nunca correu na Argentina em nenhum circuito, e toda a experiência será nova para ele. Markus Reiterberger (BMW Motorrad), que está lutando por um lugar na grelha de 2020, também faz a sua primeira aparição em San Juan, bem como o estreante das SBK, Alessandro Delbianco (Honda Althea Mie Racing).

Deixe um comentário

Please Login to comment
últimas Mundial Superbikes
últimas Motosport
AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/logo.png