Ensaio Husqvarna Svartpilen 401 – Especialista em Urban OffRoad

Por a 15 Outubro 2018 10:36

A Svartpilen , que significa “flecha negra” em sueco, posiciona-se segundo a própria marca como uma “urban scrambler”.  Com um motor monocilíndrico a 4 tempos de 44 HP, acelerador ride-by-wire, embraiagem deslizante e caixa de 6 velocidades, a Svartpilen é uma verdadeira exploradora da selva urbana, convidando a uma utilização divertida e sem limites.

A Husqvarna é obviamente mais conhecida pelas suas motos de todo-o-terreno e esta última evolução para um terreno ”urbano” e num formato que no mínimo podemos adjectivar como “alternativo”, demonstra claramente que a Husqvarna pretende seguir novos caminhos por ninguém ainda trilhados. Ou seja mantém-se a vocação “aventureira” da marca e a capacidade de desbravar terreno na procura de uma nova identidade. Foi assim com a Vitpilen 401 e 701, duas motos de cariz estradista e urbano e agora também com uma versão “scrambler”, pronta a atacar qualquer obstáculo que lhe seja colocado no caminho e capaz de explorar sempre alternativas às “habitualmente” correctas.

Quando a olhamos pela primeira vez estranhamos as suas linhas, rectas e angulosas, tal como a sua irmã “Vit” mas a postura de condução é totalmente distinta. O “blend” ou mistura de conceitos e épocas é evidente e a sensação é a de estarmos perante uma moto imaginada num filme de ficção dos anos 30 ou 40, quando o Júlio Verne nos antecipava uma visão de futuro com as suas máquinas improváveis ou ainda num dos filmes da “Guerra nas Estrelas” mas ainda com rodas.

O design e o equilíbrio de género é cativante e se de início estranhamos logo entranhamos com a sua personalidade exclusiva a fazer-nos também destacar dos restantes motociclistas. Muitos na rua vêm-nos perguntar se é uma transformação… eu respondia sempre que era uma metamorfose de uma espécie em evolução, ao que as expressões de admiração se tornavam ainda maiores.

A posição de condução é bastante mais confortável e menos exigente do que na versão Vitpilen, esta mais ao estilo Café Racer e com um guiador tipo avanços numa posição bastante baixa. A Svartpilen, pelo contrário, monta um guiador tipo trail, não demasiado alto, mas o suficiente para que tenhamos uma postura mais natural e direita na moto. O banco é minimalista sobretudo se andarmos com pendura que, no caso do modelo que testámos, se queixava que tinha a sensação de que a qualquer momento iria ficar sentado na “roda de trás”. É que o modelo cedido para ensaio não montava uma pega de acessório, muito útil para o pendura se segurar, que já vimos montada noutras versões.

A conjugação estética de todos os elementos estabelece uma coerência evidente com um estilo neo-clássico onde a Svartpilen se posiciona. E dentro do se pode entender por “neo” a Svartpilen monta suspensões WP de 43mm, travões de disco Bybre, 2ª marca da Brembo,farol dianteiro redondo com luzes de tecnologia LED, tecnologia também incluída no farol traseiro e piscas. A informação está bem explícita e de leitura fácil num mostrador LCD, também redondo. O depósito é sem dúvida alguma o elemento central do design das novas Husqvarnas urbanas. Os dois modelos montam depósito semelhante, com um elemento em metal no topo, que não é apenas estético e que serve também para fixar um acessório muito útil, que a Husqvarna propõe como opção, e que é uma pequena bolsa para transporte, onde poderá caber um pequeno laptop e outro tipo de acessórios pessoais.

A traseira da Svartpilen é curta, talvez demasiado curta na opinião do pendura, mas contribui para o aspecto compacto da moto. O farol traseiro de LED está integrado no conjunto banco, tampas laterais e guarda lamas. O sub-chassis não suspende o escape nem as peseiras do pendura e é uma peça fixada na base do quadro que realiza essa tarefa, deixando a traseira da moto “respirar”. Um pequeno guarda-lamas e o suporte de matrícula estão fixados no braço oscilante do lado esquerdo, contribuindo assim para manter a traseira da moto “limpa” entre o banco e a roda.

O quadro de trelissa e o sub-quadro são constituídos por tubos de aço cromo-molybdenio. As suspensões WP de 43mm à frente e mono-amortecedor atrás têm um curso de 160mm e 180mm, respectivamente. O disco dianteiro tem 320mm e monta pinça Bybre de 4 pistons, enquanto que atrás o disco é de apenas 230mm com pinça de duplo piston. O ABS é da Bosch versão 9.1 de dois canais e o nível de desempenho na travagem que a Svartpilen demonstrou está de acordo com a qualidade dos seus elementos.

As rodas de 17” de raios dão um toque especial à Svartpilen, que a nós muito nos agrada, montam pneus de tacos, mistos, que fazem denotar a personalidade multi-facetada da Svartpilen.

O motor de 373cc da Svartpilen , um monocilíndrico de 4 tempos muito compacto e leve, com DOHC e 4 válvulas por cilindro, debita uns simpáticos 44HP às 9.000 rpm, com suficiente binário nos regimes mais utilizados e com capacidade de atingir altas rotações, a proporcionar uma condução urbana segura e divertida. O motor da Svartpilen 401 é o mesmo que montam as KTM Duke 390 e RC 390 pelo que é um motor testado e amplamente utilizado pelas duas marcas irmãs em vários modelos.

Muito interessante em termos de opções que a Husqvarna disponibiliza para a sua Svartpilen é uma embraiagem automática que funciona por efeito de força centrífuga, da marca Rekluse Radius, e que se instala facilmente substituindo a embraiagem de origem e que permite parar e arrancar, tal como numa scooter, sem que a moto vá abaixo mesmo engatada. A embraiagem funciona igual à de origem nas passagens de caixa sendo necessário acionar a manete. Esta funcionalidade para quem faça uma utilização intensa em ambiente urbano, no meio do transito citadino, revela-se muito útil e contribui para um maior conforto do condutor.

Outro acessório que contribui para uma maior presença da Svartpilen e uma maior afirmação e resposta do seu motor é um escape da Akrapovic especialmente desenvolvido para este modelo, pese embora o de origem seja de belo efeito em negro mate e com uma proteção muito bem desenhada.

O peso total da Svartpilen 401 de apenas 150 Kg, graças a uma filosofia minimalista que inclui apenas o indispensável no modelo, confere-lhe uma agilidade extra em todo tipo de situações convertendo-a numa excelente opção para uma utilização urbana. Passar carris de elétricos, subir passeios, andar por ruas em mau estado ou de paralelipípedos na grande Lisboa, foi de facto uma “brincadeira de meninos” sendo que a certa altura percebemos perfeitamente que a filosofia da Svartpilen 401 é a de ser uma verdadeira Urban OffRoad Bike, tal é a facilidade com que ultrapassa as mais variadas situações.

Caraterísticas Técnicas

Marca: Husqvarna Modelo: Svartpilen 401
MOTOR
Tipo Monocilíndrico, refrig. líquida, 4 tempos, DOHC, 4 valvulas
Cilindrada 373 cc
Potência Máx. 44 hp @ 9.000 rpm
Binário Máx. 37 Nm @ 7.000 rpm
Embraiagem Multidisco DDS em óleo deslisante com acionamento hidraulico
Alimentação e Ignição Injecção electrónica Bosch Efi e Keihin EMS
Caixa Vel 6 Velocidades
CHASSI E SUSPENSÕES
Quadro Treliça em aço cromoly
Suspensão Dianteira 48mm WP com 150mm de curso
Suspensão Traseira Amortecedor ajustável pré-carga de mola 150mm de curso
TRAVÕES E PNEUS
Travões Dianteiros 1 Disco de 32o mm Pinça Bybre radial 4 pistons com ABS
Travões Traseiros Disco de 230mm Bybre 1 pistoncom ABS
Pneu Dianteiro 110/70-17 jante de raios
Pneu Traseiro 150/60-17 jante de raios
ELETRÓNICA E ELETRICIDADE
Bateria 12 V
Luzes Dianteiras Full LED
Luzes Traseira Full LED
Painel Info LCD redondo
Controle Tração não
Ride by Wire sim
Modos de Motor não
Outros Embraiagem deslisante
DIMENSÕES
Comprimento n.d. mm
Largura n.d. mm
Altura n.d. mm
Distância entre Eixos 1.367 mm
Distância ao solo 140 mm
Altura do banco 835 mm
Peso total 150 Kg
Capacidade do Depósito 9.5 litros
Reserva n.d.
Consumos n.d.
Norma Emissões Euro 4

 

Concorrência

Scrambler Ducati 400 Sixty2     399cc / 40 CV / 183 Kg / 7.795 euros

MASH Scrambler 400     397cc / 27,7 CV / 151 Kg / 4.750 euros

 

Galeria de Imagens

 

Deixe um comentário

Please Login to comment
últimas MOTO+
últimas Motosport
AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/logo.png