MotoGP, 2020: Congelamento bom para a Suzuki, diz Mir

Por a 7 Maio 2020 15:30

 

Joan Mir diz que quando o MotoGP recomeçar, o primeiro piloto a bater será Jack Miller, “que pode andar de mota todos os dias!”, e admite que o congelamento técnico é uma “boa notícia” para a Suzuki.

Mas o longo intervalo provocado pela Covid-19 significa que, pelo menos do ponto de vista da aptidão do piloto, Jack Miller poderá ser o homem a bater quando o campeonato finalmente começar. Isto porque o australiano regressou a casa assim que a abertura da temporada do Qatar foi cancelada e tem podido treinar em MX, que é visto como essencial para manter a forma.

A estrela da Ducati Pramac tem sido capaz de continuar a treinar numa moto desde o início de Março enquanto a maioria dos seus rivais têm estado confinados dentro de casa em condições de bloqueio na Europa.

“Estou feliz porque na pré-época o objetivo era ficar entre os cinco primeiros e estávamos nessa posição”, disse Mir, que está entre o grupo de pilotos de MotoGP sediados em Andorra.

“Agora, depois desta situação, não sei em que posição estaremos, mas a verdade é que acho que o primeiro a bater será o Jack Miller, que pode andar de moto todos os dias!”

“Depois do Jack, podem ser um par de espanhóis e agora os italianos podem sair com uma moto outra vez…”

Em termos do seu próprio programa de formação, Mir, recentemente confirmado ao lado de Alex Rins na Suzuki para 2021 e 2022, está a ter de “improvisar um pouco”, sublinhando que as restrições governamentais são “diferentes para cada país”.

“Neste momento não podemos ir a Espanha, é proibido“, explicou. “Mas talvez nas próximas semanas haja um acordo entre Andorra e Espanha para que possamos ir. Esta seria a melhor notícia para mim e para os outros pilotos aqui, porque em Andorra há muitos pilotos.!”

“Andorra disse que por enquanto os pilotos profissionais podem sair apenas por algumas horas para fazer exercício e pedalar num só lugar. São boas notícias, mas não é suficiente, porque há muitos pilotos, como os italianos, que podem sair agora. Aqueles que vivem em Tavullia podem ir para o rancho VR46 e assim.”

“No nosso caso, só podemos sair com a moto de Trial. Por isso vamos começar com essa moto para ganhar um pouco de familiaridade com uma moto novamente. E depois, na semana seguinte, se tudo continuar no bom sentido com as restrições, espero começar com a moto de cross se permitirem. Ou com uma moto rápida, minimoto ou karting.”

“Mas depois de alguns meses sem usar nenhuma moto, é importante começar de modo fácil e não ir imediatamente a 100% porque se pode contrair alguma lesão.”

Voltando ao congelamento técnico para redução de custos, que impede que o design do motor seja modificado até ao final de 2021, e adia qualquer atualização aerodinâmica deste ano até à próxima temporada, Mir disse:

“A verdade é que é uma boa notícia para nós que o desenvolvimento esteja congelado, porque temos uma boa base. Como vimos no Qatar e em Sepang, o pacote Suzuki de 2020 está a funcionar muito bem.”

Mas também sublinhou que as fábricas têm continuado a desenvolver outras áreas das motos, o melhor que podem.

“Alguns outros fabricantes estavam numa posição pior do que nós, mas também é difícil dizer com certeza agora, porque sei que todos estão a tentar melhorar em casa com os computadores, analisando os dados. Isso não é proibido.”

Rins e Mir terminaram a 0,271s do líder Maverick Viñales da Yamaha durante o último teste de pré-temporada em Losail, em 24 de Fevereiro, que foi a última vez que alguém montou uma máquina de MotoGP.

No entanto, foi o ritmo consistentemente elevado de ambas as GSX-RR, tanto no Qatar como na Malásia, que mais impressionou os rivais.

Deixe um comentário

Please Login to comment
últimas MotoGP
últimas Motosport
AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/logo.png