MotoGP, 2022: Começa a dança das transferências

Por a 20 Maio 2021 15:00

É a chamada “silly season”, quando começam a correr boatos sobre quem está interessado em quem, alguns sempre disparatados mas outros bem no alvo

O destino da VR46, o futuro de Rossi, a satélite Gresini Aprilia e muito mais, são temas de abundante especulação à medida que o quebra-cabeças do próximo ano começa a tomar forma.

Podemos ter apenas cinco rondas de MotoGP concluídas na época de 2021, mas já há muito ruído sobre a forma como a grelha de 2022 está a evoluir.

Nas próximas semanas vão ser tomadas grandes decisões sobre alguns dos temas quentes da estação, mas quais são esses temas, e quais são os resultados possíveis?

Decidimos aprofundar um pouco alguns dos principais pontos de discussão.

VR46: DUCATI OU YAMAHA?

Um dos principais pontos de discussão nesta fase da campanha é com que fabricante a equipa VR46 de Valentino Rossi (agora na Yamaha Petronas SRT) irá ter em 2022 e mais além.

Em Le Mans, o Doctor confirmou que é 50-50 entre a Ducati e a Yamaha, e vai ser tomada muito em breve uma decisão sobre essa frente.

Como a Yamaha não tenciona equipas uma terceira equipa, é seguro dizer que a decisão de fabricante da VR46 vai estar no epicentro de algumas mudanças potencialmente enormes na grelha de 2022, e não deveríamos ter de esperar muito mais tempo para descobrir o destino da VR46 em MotoGP.

O FUTURO DE ROSSI: CORRER OU REFORMAR-SE?

Mais uma pergunta na boca de todos. Será que o nove vezes Campeão do Mundo continua a correr em 2022, ou retira-se no final desta época? Nesta fase, antes do 6º round do ano em Mugello, nem mesmo Rossi sabe.

O número 46 disse à emissora indonésia da MotoGP há dias que irá decidir se ainda é competitivo  durante as férias de Verão, pelo que as corridas em Mugello, Catalunha, Sachsenring e Assen vão ter uma enorme influência no futuro de Rossi como piloto.

APRILIA, GRESINI E ANDREA DOVIZIOSO

Após dois testes privados a bordo da  RS-GP de 2021, os rumores sobre o que acontece com o tricampeão Andrea Dovizioso, em 2021 e 2022, em MotoGP, multiplicam-se.

O italiano e a Aprilia mantiveram-se em silêncio juntos, com sussurros de um wildcard para Misano por vezes mencionados. Se nada acontecer em 2021, será que Dovizioso regressa à MotoGP em 2022 com Aprilia?

Bem, isto é o que ele e o seu manager Simone Battistella sempre reiteraram: um regresso às corridas de 2022.

Parece que a Aprilia terá o dobro do número de motos na grelha na próxima época (4) e estará a correr com um esforço total de fábrica, juntamente com uma equipa independente…e o que aconteceu a não terem budget para os cerca de 6 milhões pedidos por Dovi?

A Gresini, que também tem estado em conversações com a Ducati, são os favoritos para correr como equipa satélite da Aprilia, pois têm trabalhado em conjunto com a Aprilia desde que a fábrica de Noale voltou ao MotoGP em 2015.

Motos de fábrica Aprilia para Dovizioso e Aleix Espargaró, parece muito plausível.

Fabio Di Giannantonio da Federal Oil Gresini Moto2 é um piloto de quem o grande Fausto Gresini gostava muito, e depois de impressionar nas fases iniciais da temporada 2021, o italiano é um favorito para passar para MotoGP na próxima temporada dentro das fileiras da Gresini.

O negócio da Aprilia satélite é certamente um dos que se deve manter debaixo de olho. Se Bastianini acabar por ter de deixar a Ducati devido a uma potencial parceria VR46/Bologna, será a Aprilia o próximo destino do italiano?

Teria de pensar que sim. A Yamaha Petronas SRT quererá manter um dos seus pilotos para ser parceiro de Morbidelli, com as Suzuki, KTM e Honda aparentemente bem colocadas nos seus alinhamentos. Tempos interessantes e emocionantes tanto para a Aprilia como para a Gresini.

A chamada estação tola é como um vento que está prestes a revirar tudo, por isso agarrem-se aos vossos bonés.

3 3 votes
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas Autosport
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x