MotoGP, 2021: Pilotos e chefes de equipa: quem está com quem em 2021?

Por a 30 Janeiro 2021 16:00

Há grandes mudanças na classe rainha a caminho da nova temporada, aqui fica um resumo de quem é o braço direito de cada piloto principal em 2021

Miguel Oliveira emparelha com o antigo chefe da equipa de Pol Espargaró, Paul Trevathan

Os homens de confiança de cada piloto de MotoGP são um verdadeiro braço direito dos pilotos, e desempenham um papel crucial ao longo da temporada, com experiência, conhecimento e uma forte relação chave para uma parceria de sucesso.

Há uma série de pilotos a prepararem-se para embarcar em novos desafios em 2021, o que significa que os chefes de tripulação do pitlane estão a preparar-se para fazer a mesma coisa.

Aqui está um resumo completo de quem está com quem na próxima temporada:

Na equipa de fábrica Ducati, tanto Jack Miller como Francesco Bagnaia trazem consigo os seus chefes de equipa do seu tempo no esquadrão Pramac. Christian Pupulin estará ao lado do australiano, enquanto Christian Gabbarini regressa à fábrica, desta vez com Bagnaia, depois de ter trabalhado ao lado de Jorge Lorenzo durante o seu tempo na marca de Bolonha.

Na garagem da Pramac Racing, Johann Zarco traz Marco Rigamonti com ele desde o seu ano na Esponsorama Racing, enquanto o estreante de classe rainha Jorge Martin fará parceria com o ex-chefe da tripulação de Danilo Petrucci, Daniele Romagnoli.

Finalmente, na boxe da Esponsorama, o campeão mundial de Moto2 Enea Bastianini trabalhará ao lado do antigo companheiro de Andrea Dovizioso, Alberto Giribuola e Luca Marini estará com Luca Ferracioli, anteriormente nas SBK.

Com duas grandes mudanças de pilotos prestes a acontecer na Yamaha, assim mudam também dois grandes chefes de tripulação.

Na boxe de MotoGP da Yamaha Monster Energy, Maverick Viñales permanece mais uma vez com Esteban Garcia e o novo companheiro de equipa do Top Gun, Fabio Quartararo, traz consigo Diego Gubellini da Yamaha Petronas SRT.

Da mesma forma, há uma outra mudança na Yamaha Petronas SRT.

Franco Morbidelli fica com Ramon Forcada e Valentino Rossi embarcará pelo segundo ano com David Muñoz, já que o espanhol se muda com o Doutor para as cores da equipa da Malásia.

Porquê mudar uma fórmula vencedora? Depois da temporada mais bem sucedida de MotoGP da história, não é de estranhar que tanto o campeão do mundo Joan Mir como Alex Rins permaneçam com os respetivos chefes de equipa: o britânico Frankie Carchedi, com 36 anos, ao lado de Mir, e o argentino José Manuel Cazeaux, com 42, a acampnhara Rins.

Há mudanças em ambos os lados da garagem da KTM Red Bull Factory. Miguel Oliveira emparelha com o antigo chefe da equipa de Pol Espargaró, o Neo-Zelandês Paul Trevathan, e Brad Binder também tem um novo homem na sua equipa.

A juntar-se ao sul-africano está Andrés Madrid, com quem passou dois anos no Campeonato do Mundo de Moto2 e que, por fim, trabalhou com Tetsuta Nagashima na classe intermédia.

Entretanto, na KTM Red Bull Tech3, o novo rapaz Danilo Petrucci junta-se ao chefe de equipa de Binder a partir de 2020, Sergio Verbena, enquanto Iker Lecuona permanece com Nicolas Goyon.

Marc Márquez, oito vezes campeão do mundo, estará novamente ao lado de Santi Hernandez em 2021 e Pol Espargaró iniciará a sua aventura na HRC com o experiente Ramón Aurín, ele próprio a iniciar o seu quinto ano com um quinto piloto diferente depois de trabalhar com Jack Miller em 2017, Takaaki Nakagami em 2018, Jorge Lorenzo em 2019 e Alex Márquez em 2020.

A estrela japonesa Takaaki Nakagami continuará ao lado do antigo chefe de equipa de Dani Pedrosa, Giacomo Guidotti, e Alex Márquez trabalhará com o parceiro de longa data de Cal Crutchlow, Christophe ‘Beefy’ Bourguignon.

Na Aprilia Racing Team Gresini, Aleix Espargaró vai embarcar na sua terceira temporada ao lado do conhecido Antonio Jimenez.

5 1 vote
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x