SSP, 2021: Dominique Aegerter traz 14 anos de experiência de GP à Ten Kate

Por a 2 Fevereiro 2021 16:29

Tendo 14 anos de experiência em competição, Dominique Aegerter, da Yamaha Ten Kate SSP Team, não é o que se pode chamar um típico estreante no Campeonato do Mundo de Supersport

“A parte mais difícil é, ajustar o meu estilo de condução entre duas motos!” Dominique Aegerter

O craque suíço tem encontrado sucesso em quase todas as categorias que tem disputado e está a apontar para ainda mais no seu primeiro ano na comprovada Yamaha R6.

Aegerter chegou pela primeira vez ao palco mundial em 2006, entrando nas duas últimas rondas do Campeonato do Mundo de 125cc no Estoril e Valência.

O então jovem de 16 anos ganhou um lugar a tempo inteiro na classe em 2007, tornando-se um consistente finalista no top 10, antes de subir para a Moto2 em 2010.

Nas 10 temporadas seguintes, Aegerter conquistaria sete pódios, a vitória no Grande Prémio da Alemanha de 2014 e por duas vezes terminou em quinto no campeonato.

Em 2020, o piloto nascido em Rohrbach juntou-se à grelha do Mundial de MotoE e demonstrou a sua capacidade de se adaptar rapidamente a novas máquinas, ao marcar quatro pódios nas quatro primeiras corridas, incluindo duas vitórias em Jerez e Misano, e acabou por ficar em terceiro lugar na classificação.

Foi durante essa temporada que Aegerter olhou para as SSP para 2021, e quando uma opção para ingressar na Equipa Yamaha Ten Kate ficou disponível, o piloto de 30 anos aproveitou a oportunidade para fazer parte da equipa que conquistou nove coroas de pilotos entre 2002 e 2014.

“Já estava a pensar no ano passado em aderir à grelha das SSP”, disse Aegerter. “Estava a ver qual seria a melhor opção, para mostrar o meu potencial e também divertir-me nas corridas. O objetivo é tentar estar por cima e estar lá em cima com os melhores pilotos de SSP. Definir o objetivo agora é muito difícil porque não sei como o meu estilo de condução vai resultar na moto, mas na minha cabeça tenho alguns objetivos altos e vou tentar alcançá-los.”

“Também é ótimo juntarmo-nos à grelha com uma equipa que tem um enorme sucesso nesta categoria. Visitei a fábrica da Yamaha Ten Kate na Holanda, eles dão-me uma boa sensação e confiança, e estou muito motivado para fazer parte desta equipa vencedora!”

“Este ano vou fazer o MotoE e as SSP, e também vou ser o terceiro piloto em Moto3, por isso é uma temporada bastante movimentada pela frente! Acho que do lado físico não deve haver problema com isso, mas a parte mais difícil é mudar entre as duas motos, ajustar o meu estilo de condução e garantir que maximizei todos os fins de semana.”

Apesar de ser duas vezes finalista do pódio das 8 Horas de Suzuka, Aegerter nunca andou com uma Yamaha R6, mas o seu sucesso e experiência em várias motos e conhecimento da competição, será vital na sua candidatura a pódios consistentes.

“Já corri com muitos pilotos que vou defrontar no próximo ano, como Jules Cluzel e Raffaele De Rosa, por isso conheço muito bem a concorrência”, disse Aegerter. “Vou ser um estreante desta categoria, mas tenho muita experiência com 125cc e Moto2 em muitas motos e fabricantes diferentes. Além disso, nas 8 Horas de Suzuka já corri com algumas motos maiores, por isso, no geral, sinto-me bastante confiante em poder adaptar-me.”

“É bom estar de volta a Espanha para treinar, mas com a pandemia a situação ainda é um pouco mais complicada. Provavelmente estou a andar mais de moto e a correr do que em anos anteriores por causa das restrições que não nos permitem treinar no ginásio. É uma mudança, mas sinto-me bem preparado antes do novo desafio.”

0 0 vote
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas Mundial Supersport
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x