SBK, Magny-Cours: Os recordes espantosos de Rea

Por a 30 Setembro 2019 15:00

Jonathan Rea (Kawasaki Racing) conquistou não apenas uma quinta coroa consecutiva no campeonato de produção mais rápido do mundo, mas pelo caminho, também conquistou muitas outras metas. Estatisticamente, o homem da Irlanda do Norte já é o melhor piloto das SBK na história do campeonato.

Desde atingir o maior número de vitórias até chegar ao pódio em mais corridas do que qualquer outro, Jonathan Rea tem sido admirável em termos de boa forma. E apesar de todo o seu sucesso até aqui, mais recordes podem estar no horizonte…

Começando comas  vitórias, Rea está no topo com 83 até agora, um impressionante número a 24 do seu adversário mais próximo, Carl Fogarty. Rea só igualou ‘King Carl’ na Corrida 2 em Imola na última temporada, tornando a sua conquista ainda mais impressionante.

Em termos de importância para a marca Kawasaki, ele conquistou 68 vitórias até agora nos cinco anos desde que se juntou à marca, o que representa 49% de todas as vitórias anteriores da Kawasaki nas SBK – a maioria das outras atingidas por Sykes, Russell, (Campeão em 1993), Anthony Gobert, Akira Yanagawa, Chris Walker, e Aaron Slight. Rea alcançou em cinco temporadas metade do que o fabricante alcançou em 32, impondo a sua determinação em vencer.

Passando para os pódios, Jonathan alcançou 162 até agora de 274 partidas, o que significa que ele esteve entre os três primeiros em 59,1% das suas aparições em corrida. E se acham que isso é um grande número, esperem até ver as estatísticas das cinco temporadas na marca verde. Das 135 partidas com a Kawasaki, ele já esteve 117 vezes no pódio: em percentagem, dá uns incríveis 86%, a mais alta para um piloto de SBK para a mesma marca.

E as estatísticas continuam a chegar para Rea, tendo atingido o número recorde de voltas mais rápidas nas Superpole em Misano nesta temporada, superando Noriyuki Haga. Todas as voltas mais rápidas, com exceção de 10, foram feitas com a Honda. No topo da corrida para os pontos, Rea tem mais uma vantagem de 249, à frente do segundo campeão das SBK de 1996 e 2005, Troy Corser. Ele agora é o quarto na classificação geral de poles nas SBK, com 22.

E essas estatísticas só ficarão maiores e melhores à medida que o irlandês continuar a exibir as suas proezas. Rea e a Kawasaki têm sido uma força dominante nas últimas cinco temporadas e mostraram-se resistentes e imutáveis, mesmo com a chegada feroz de Álvaro Bautista à Ducati e da nova Ducati Panigale V4 R. Por trás de qualquer grande piloto está uma ótima equipe técnica, e também aqui os homens dqa Kawasaki puderam fornecer a Rea as ferramentas para que ele pudesse fazer o trabalho pelo melhor, com destaque para Pere Riba Cabana, o seu mentor e técnico chefe, ex-piloto do Mundial de 250, ex-concorrente da frente nos Campeonatos no Reino Unido, e logo, um Espanhol muito especial.

A questão é: até que ponto essas estatísticas se tornarão melhores? Que mais registos estão no horizonte? O primeiro será já a seguir na Argentina, com o objetivo de superar Sylvain Guintoli no número de corridas consecutivas nos pontos.

Rea pode empatar com Guintoli na Corrida 1 em San Juan, enquanto ficar nos nove primeiros colocados no novo circuito da Argentina verá um novo recorde estabelecido – mais uma vez por Rea. Isso, coincidentemente, também daria 200 corridas consecutivas nos pontos para a Kawasaki, igualando a sua melhor sequência como fabricante.

Deixe um comentário

Please Login to comment
últimas Mundial Superbikes
últimas Motosport
AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/logo.png