SBK, 2109: O melhor dos 5 títulos de Rea

Por a 21 Dezembro 2019 15:30

Batendo recordes atrás de recordes e fazendo história com manobras de tirar o fôlego: Jonathan Rea (Kawasaki Racing) tornou-se o primeiro piloto na história das Superbike a alcançar cinco campeonatos mundiais, ainda por cima consecutivamente. O irlandês do norte fez a sua nação orgulhar-se dele, e relembra cinco momentos importantes dos seus impressionantes cinco títulos.

2015: Drama na última volta não pára Rea na Malásia

Com a continuação da temporada de 2015 o desafio dos rivais, Davies, em particular, estava ganhando força. Tentar fugir à frente no calor e humidade da Malásia em Sepang nunca iria resultar para Sykes, e Rea e Davies conseguiram alcançá-lo, com Rea a passar o galês na última volta. Apesar do avanço de Rea, um erro na curva final permitiu a Davies passar, mas Rea cortou por dentro, marcando uma empolgante vitória em frente da multidão da Malásia.

2016: Ainda mais forte na Alemanha

A primeira ronda alemã em três anos foi bastante dramática para as Superbike, com as aspirações ao campeonato de Jonathan Rea a sofrerem um revés. A forma de Rea falhou na Alemanha como um problema mecânico raro a fazê-lo cair na Corrida 1.

O EuroSpeedway Lausitz não foi o seu melhor amigo, embora ele tudo mudasse para a Corrida 2. Um dilúvio tinha caído na pista – situada 65 km a norte de Dresden. Tom Sykes, que tirou 20 pontos à liderança de Rea na Corrida 1, caiu na volta de abertura da corrida 2, enquanto Chaz Davies, vencedor da corrida 1, conseguiu apenas um sexto lugar. Isto deixou Rea com a sua 9ª vitória e última da época para renovar o título.

2017: Parando o domínio de Sykes em Donington

Parecia que Rea tinha herdado uma vitória na Corrida 1 depois de Chaz Davies cair, mas o Irlandês sofreu um destino semelhante depois de ter sido ultrapassado pelo companheiro de equipa Tom Sykes na volta anterior. Ansioso por conquistar a primeira vitória em Donington Park com a Kawasaki, Rea marcou o ritmo na Corrida 2 e resistiu ao ataque de Sykes nos estágios finais. A Kawasaki veio e venceu, com Jonathan Rea a fazer o suficiente na frente dos seus leais fans de casa para vencer. Foi a sua primeira vitória em Donington Park em 5 anos.

2018: Problemas a dobrar para a oposição em Imola …

2018 foi o seu pior começo de temporada nas SBK com a Kawasaki; Rea só pisou o pódio em 2 de 4 corridas, e em Phillip Island, foi derrotado por Melandri numa última volta titânica. Em Aragón e Assen, as vitórias foram para Chaz Davies e Tom Sykes, respetivamente, provando que Jonathan podia ser batido. Mas em Imola, foi a vez de Rea colocar a sua marca sobre o que tinha sido até então, uma abertura bastante imprevisível do campeonato. Demolindo a oposição na Corrida 1 e na Corrida 2, Rea chegou à sua primeira dobradinha em Imola desde 2015 e logo no quintal da Ducati. Foi o começo de uma sequência incrível para Rea, onde ele falharia o pódio em apenas uma das 29 corridas seguintes. Como era possível?

2019: Batalha na última volta com o mais jovem pretendente das SBK

Em segundo no campeonato, estava começando a parecer que Jonathan Rea poderia perder a coroa em 2019. No entanto, dois erros enormes do líder do campeonato Álvaro Bautista (Ducati Aruba.it) trouxeram o irlandês de volta ao jogo.

Ultrapassagem de Rea a Razgatlioglu nas últimas voltas

No entanto, na Corrida 2 de Misano, Toprak Razgatlioglu (Kawasaki Turkish Puccetti) foi o desafio. O Turco liderou uma corrida pela primeira vez e não desistia de dar à Turquia a primeira vitória em SBK. A corrida durou até à última volta, com as duas motos a trocar tinta na disputa pela supremacia das Superbike.

No final, a experiência prevaleceu sobre a exuberância juvenil e Rea venceu com uma manobra bem calculada, encurtando a diferença para o campeonato para apenas 16 pontos… e o resto, ficou para a história!.

Deixe um comentário

Please Login to comment
últimas Mundial Superbikes
últimas Motosport
AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/logo.png