Dakar 2019, 3ª Etapa: Os 3 primeiros de ontem….espalharam-se hoje!

Por a 9 Janeiro 2019 23:24

É assim o Dakar, de bestial a besta em menos de um dia…ou o contrário! Nada é garantido, nada está assegurado, o que hoje parece perfeito pode transformar-se num suplicio no dia seguinte.

E todos sabemos que desde logo o Dakar tem uma característica muito ingrata, que é o facto do vencedor da etapa partir em primeiro no dia seguinte e ….perder quase seguramente a liderança. Abrir a pista é algo que ninguém quer, pois sem rasto dos pilotos que passaram antes, não há qualquer referência que facilite a navegação. Claro está que quem seguir apenas os rastos que encontra, pode perder-se se tiver o azar de seguir um piloto desorientado, mas na maioria das vezes, os rastos das rodas ajudam brutalmente a manter um ritmo mais elevado.

Mas a verdade é que o Dakar se perde por muitas razões diferentes e o objectivo é chegar á frente no penúltimo dia, com uma vantagem suficiente para as perdas da ultima etapa…

Os três primeiros classificados hoje à partida -Joan Barreda Bort (Honda), Matthias Walkner (KTM) e Ricky Brabec, não poderiam imaginar quanto mal classificados iriam estar no final da etapa…

O lider da prova, Joan Barreda Bort ao quilometro 130, teve enormes problemas de visibilidade com o nevoeiro cerrado que o impedia de ver mais do que 2 metros à sua frente. Foi seguindo as indicações do GPS  entrando por uma ravina muito inclinada que o fez pensar que não deveria ser aquele o caminho…hesitou, parou, tentou voltar para cima mas não conseguiu ter motricidade para suplantar a enorme subida. Foi então que viu chegar o seu colega de equipa o americano Ricky Brabec e o rival Matthias Walkner que seguiam juntos e se dirigiam para o mesmo local. Só que ao verem Barreda, puderam travar e evitar descer pela tal ravina. Seguiram o seu caminho noutra direção, enquanto Barreda Bort tentava sair daquele buraco, mas não encontrava forma de o conseguir. Foi descendo mais e mais, mas cada vez a situação era pior. Por mais incrível que possa parecer, a um piloto tão experiente como o espanhol da Honda, podem acontecer surpresas desagradáveis deste tipo.

Barreda Bort não conseguiu sair do buraco e ali ficou, sem solução, em perfeito estado de saúde, a moto em perfeito estado mecânico …mas sem poder continuar!!! Frustração total! Abandono forçado por razões quase inaceitáveis….

Mas precisamente o seu companheiro de equipa Ricky Brabec e o austríaco  Matthias Walkner que conseguiram evitar a armadilha, acabaram, tanto um como o outro, por também obter um péssimo resultado na etapa.

Walkner partiu de primeiro e abria a pista. Barbec partiu de segundo e rapidamente alcançou o austríaco recuperando os 3 minutos que os separavam na partida. Fizeram a etapa sempre juntos, mas a abrindo a pista, foram sempre perdendo tempo para os pilotos que partiram de trás.

No final, perderam 23m e 26m respectivamente para o vencedor da etapa Xavier de Soultrait que partira do 12º lugar e como tal pôde seguir o rasto de 11 motos…é ou não uma vantagem?

E assim se vai fazendo o Dakar, cheio de historias e aventuras, e de como o azar de uns se transforma na sorte de outros.

Amanhã Xavier de Soultrait na sua Yamaha, abrirá a pista e aí sim vai ver como são elas…no final do dia vamos ver…Mas não esquecer que este ano, com uma percentagem tão grande de percurso em dunas, esta problema é muito maior, pois não há estradas, apenas montanhas de areia, subidas e descidas inclinadíssimas que obrigam a navegar à vista, a apostar na sensibilidade e na experiência e acreditar que é mesmo por ali! Em percurso de caminho ou estradas, nada disto tem a mesma importância…Mas este ano o Dakar está mesmo Dakar, com muita areia, muitas dunas, muitas surpresas! Ainda bem, é assim que mais gostamos dele.

Deixe um comentário

Please Login to comment
últimas TT
últimas Motosport
AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/logo.png