MotoGP,2021, Catalunha: Os Franceses no topo

Por a 2 Junho 2021 12:30

Pela primeira vez em 70 anos de Mundial, dois pilotos franceses, Fabio Quartararo e Johann Zarco, lideram a caça ao Campeonato quando nos dirigimos à Catalunha para a 7ª ronda de 2021

Quando a MotoGP se dirigia para as colinas onduladas da Toscana no norte de Itália, grande parte da conversa pré-corrida foi dominada pela possibilidade de ver três Ducati no pódio pela primeira vez.

E porque não? Afinal, Mugello é o lar das balas de Bolonha, e três dos homens que montam as GP-21 têm estado em forma sensacional, conquistando 8 dos 15 lugares de pódio até então, apesar do domínio Yamaha nas vitórias.

Jack Miller (Ducati Lenovo) perseguia um hat-trick de vitórias, o seu companheiro de equipa Francesco Bagnaia estava em segundo lugar na classificação do Campeonato, e o seu homólogo da Pramac Racing, Johann Zarco, tinha ficado em segundo lugar em três ocasiões diferentes nas cinco rondas anteriores.

Era justo dizer que as expectativas eram elevadas para a Ducati.

No entanto, não foi assim no GP italiano, pois nenhum deles figurou entre os lugares de tribuna, essa alegria reservada à Yamaha, KTM e Suzuki.

Fabio Quartararo (Yamaha Monster Energy) estragou o regresso a casa da Ducati quando garantiu uma terceira vitória em 2021 e, no processo, estendeu a sua liderança na corrida ao título para 24 pontos, no que foi um dos fins-de-semana mais difíceis para as corridas de motociclismo.

“Foi muito difícil manter o foco devido ao minuto de silêncio observado imediatamente antes da partida”, disse Quartararo.

“Mas uma vez na liderança, só pensava em mim. Queria absolutamente dedicar esta vitória a Jason. Este domingo, um segundo lugar não bastava. É uma pena que o Pecco tenha caído tão prematuramente. Mas aproveitei esta oportunidade para escapar”.

De facto, após uma breve luta contra o seu compatriota Zarco, o piloto Yamaha levantou voo.

“Penso que temos um pacote bastante completo. É claro que a nossa velocidade máxima ainda não é a melhor, mas ganhámos em dois dos circuitos onde as Ducati eram os favoritos”, disse ele.

“Ninguém esperava ver uma Yamaha, um KTM e uma Suzuki no pódio este domingo. Faltava-nos apenas o dispositivo de partida, porque os nossos arranques eram um desastre, que já solucionámos. Hoje apenas fiz questão de compensar o nosso défice de velocidade nas outras partes da pista”.

Quartararo não foi o único piloto a capitalizar a queda de Bagnaia, com Zarco a passar à frente do italiano para ficar em segundo lugar na classificação do Campeonato, dando aos fãs franceses muito para aplaudir.

O homem da Pramac foi o melhor colocado das Desmosedici em pista, cruzando a meta em quarto lugar para conquistar 13 pontos cruciais, apesar da colisão antes corrida com Enea Bastianini da Ducati Avintia Esponsorama.

“Estou satisfeito, sobretudo, porque esta corrida foi cheia de emoções, entre o anúncio da morte de Jason e esta colisão com o Enea na grelha”, disse o bi-campeão mundial de Moto2.

“Admito que fiquei surpreendido. Tinha quase medo de não poder começar. Felizmente a moto não ficou danificada, e eu fui capaz de fazer toda a corrida. Após a queda de Pecco, o Fabio estava na liderança. Consegui passar por ele várias vezes para o impedir de fugir. Mas ele foi muito forte no sentido de ter conseguido ultrapassar-me muito cedo na volta, de modo a criar uma folga suficiente na parte sinuosa e estar fora de alcance”.

“Teria sido preciso mais uns décimos para poder segui-lo. No lado positivo, ainda aprendi muito. E depois chegaram o Miguel Oliveira (KTM Red Bull Factory Racing) e o Joan Mir (Suzuki Ecstar), começámos a ultrapassar-nos um ao outro, mas depois a minha moto estava a mover-se muito para fora das curvas. Eu estava a gastar muita energia a tentar segurá-la. Como resultado, perdi algum tempo no final da corrida. Tentei voltar a subir ao pódio, não consegui”.

“Seja como for, estes 13 pontos são muito importantes para o Campeonato, especialmente num fim-de-semana como este. Estou agora em segundo lugar na classificação geral. Fabio tem tido uma grande atuação, mas sinto que estou perto de algo muito bom para ser competitivo e para lutar contra ele”!

À medida que nos dirigimos a Barcelona, esperamos ver mais algum talento francês em acção no circuito, com os compatriotas preparados para a batalha.

0 0 votes
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x