MotoGP Misano: Lorenzo esperava mais

Por a 17 Setembro 2019 15:42

Lorenzo agora pretende terminar dentro de 30 segundos do tempo da vitória em Aragão.

Lorenzo pode ter feito cara de corajoso na sua exibição de domingo em Misano, mas as suas palavras  indicam a que distância ele ficou de onde precisa estar. Aqui o único positivo mencionado foi que terminou “mais perto dos pilotos mais rápidos”.

O termo de comparação foi a sua performance em Silverstone, onde ele chegou 56 segundos atrás do vencedor da corrida, Alex Rins. Aqui em Misano o Maiorquino ficou 47 segundos atrás de Marc Márquez à bandeira quadriculada, um pouco além do objetivo dos “30 segundos” que estabelecera.

Foi pior do que o esperado”, reconheceu Lorenzo na sua declaração posterior de que o objetivo da corrida de Domingo que vem em Aragão era “com um bocadinho de sorte… podermos estar mais perto do que 30 segundos [atrás do vencedor]” indicativo de onde ele está agora.

A condição física de Lorenzo  melhorou, quando comparada a Silverstone. Mas, no calor da tarde, na Itália, ele era regularmente um segundo e meio por volta mais lento que os líderes, em dificuldades com a sensação da dianteira.

“Bem, o positivo é a distância para o mais rápido”, disse o piloto de 32 anos. “Passámos de um segundo para dois segundos, dependendo da sessão. Em algumas sessões, estávamos mais próximos. Em outras, nem tanto.”

“Em Silverstone, eu esperava muito menos do que o que acabei or conseguir na corrida. Aqui era o oposto. Eu esperava terminar mais perto do vencedor, 30 segundos como melhor e a 40 segundos quando muito”.

““Mas terminei 47 segundos [atrás]. Foi pior do que eu esperava, mas, em geral, a sensação era melhor fisicamente que Silverstone e eu estava mais perto do meio da grelha e mais perto dos mais rápidos [pilotos].

“Positivo, mas vamos tentar dar ainda mais um passo em Aragão, daqui a apenas cinco dias. Mas, especialmente, quero chegar mais forte às provas finais na zona asiática. ”

Quando lhe perguntaram se sentiu tantas dores como após o Grande Prémio da Inglaterra, respondeu “Muito menos”, afirmou. “Depois da corrida de Silverstone, senti dores. Foi muito doloroso até andar. Agora estou com dor, mas depois de mais de três semanas, conseguia puxar mais pela moto.”

“Infelizmente com essa falta de aderência após a Moto2, e este calor, estava em dificuldades para parar a moto. Não sei se fiz a escolha certa com os pneus. Eu escolhi-os porque tinha uma sensação melhor com eles, mas na corrida foi realmente difícil parar a moto. a cada travagem.”

“Foi preciso muita energia e a moto não parava. Estava a ter que travar mais cedo do que nos treinos. Não consegui o ritmo que queria. Eu queria estar por alturas do 1:38s, mas nunca cheguei a isso. Estava a ficar pior, pior e pior. Aqueles à minha frente estavam a fugir.”

“Portanto, 47 segundos, mais do que eu esperava, mas menos do que em Silverstone. Por isso, espero que em Aragão possamos estar mais próximos desses 30 segundos, que é meu objetivo, antes de aumentar mais a minha condição física. ”

Sobre um prazo para a recuperação, Lorenzo acrescentou: “Acho que não farei uma grande melhoria repentina em apenas uma corrida. Eu acho que serão melhorias progressivas. Espero estar mais forte em Aragão.”

“Mas especialmente, este intervalo de semanas de Aragão à Tailândia vai-me dar oportunidade de me recuperar, mas também treinarei mais no ginásio e levantarei mais pesos para ganhar força nos meus músculos. Até agora eu conseguia aumentar o peso, mas não tanto como isso”.

“Por causa da lesão, falta de ritmo e condição física, luto mais para aguentar ao longo da corrida. Mas também é verdade que quando a aderência é baixa e não sinto a frente, vou perdendo a traseira e perdendo a frente, tenho mais dificuldades.

“Vamos tentar melhorar, especialmente o ritmo que é a coisa mais importante”.

Deixe um comentário

Please Login to comment
últimas MotoGP
últimas Motosport
AutoSport https://www.autosport.pt/wp-content/themes/maxmag/images/logo.png