MotoGP, 2020: Os bastidores da logística

Por a 23 Abril 2020 14:30

A crise Covid-19 criou inicialmente um desafio logístico, mas agora todo o frete de MotoGP já foi repatriado para a Europa.

O Grande Prémio do Qatar teve lugar exactamente quando grande parte do mundo começou a ver restrições de viagem entrarem em vigor para limitar a propagação do Covid-19, mudando a face do mundo quase instantaneamente e criando alguns desafios logísticos complexos para o Mundial de MotoGP.

Agravada pelo facto da classe principal não ter conseguido regressar ao Circuito Internacional de Losail e, no entanto, o seu equipamento ter permanecido em Doha na sequência do teste anterior realizado no circuito, foi uma tarefa, que já foi concluída, para as equipas e pessoal de logística embalar tudo e repatriar o equipamento para a Europa.

Inicialmente, manteve-se um calendário normal após a conclusão do GP do Qatar, pelo que todo o material foi colocado em paletes, pronto para voar para o seu próximo destino dentro de um prazo regular.

Em circunstâncias normais, o frete teria então viajado para o próximo GP nos voos que saem nos dias seguintes, mas desta vez foi colocado em armazém no aeroporto de Doha, aguardando mais atualizações sobre onde seria necessário e quando.

Graças ao parceiro Qatar Airways, que garantiu um espaço seguro, automatizado e climatizado, foi possível manter o frete no Aeroporto Internacional de Hamad, crucial para grande parte do material, uma vez que estava protegido tanto da humidade como de quaisquer alterações na temperatura ambiente, mantendo-o seguro e intacto.

Com voos que repatriaram material de Doha para Espanha com uma procura extremamente elevada, a Dorna Sports trabalhou então com a Qatar Airways para garantir cinco voos de carga que foram necessários para repatriar todo o material. A primeira conseguiu começar a devolver a mercadoria no dia 1 de Abril, seguindo-se a segunda e terceira viagens nos dias 8 e 10 de Abril, respetivamente – todas elas desembarcadas em Saragoça. Um voo para Barcelona, no dia 12 de Abril, completou quatro quintos da tarefa antes do voo final aterrar em Saragoça agora mesmo, na quarta-feira, 22 de Abril, para completar o repatriamento.

Uma vez que cada avião cheio de material regressou à Europa, o frete foi transferido para um armazém seguro na Catalunha à chegada. Parte dele será guardado à espera do próximo Grande Prémio, incluindo grande parte do equipamento da Dorna, enquanto muito será agora devolvido àqueles que pediram a sua transferência para as suas próprias instalações para armazenamento.

Assim que a data e a localização do próximo Grande Prémio forem confirmadas, a Dorna Sports e os parceira de logística retomarão o serviço normal para continuar a transportar o MotoGP para todo o mundo.

0 0 vote
Article Rating
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Ensaios
últimas MotoGP
últimas Motosport
Motomais
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x